quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Sonhos Lúcidos #29 e #30

Longo tempo fora do blog... Em breve explico o motivo (é um bom motivo, acreditem)... ^^ Bem, essa semana tive dois sonhos lúcidos breves e vou compartilhar aqui, até porque quero aumentar minha frequência de sonhos. E relatar os sonhos é um bom exercício pra se lembrar com mais facilidade dos próximos.

O primeiro sonho começou como um sonho normal. Me lembro basicamente de uma parte onde eu estava escorado em uma árvore, quando um senhor chinês passou por mim. Ele usava um kimono colorido, tinha um bigode comprido e cabelos brancos. Parecia um homem muito sábio.

Após eu ignorar a passagem desse senhor, eu não me lembro do que aconteceu, mas lembro do gatilho que me fez ficar lúcido: o tempo voltou! Estava eu novamente apoiado na árvore e o homem chinês vinha mais uma vez na minha direção. A estranheza da situação me fez ficar lúcido.



Daí, na hora, eu pensei em conversar com ele, pois queria ver se ele realmente me diria algo sábio. Quando ele chegou perto, eu perguntei: "Ei, senhor. Pode me dizer o segredo para eu ter muitos sonhos lúcidos?". E ele respondeu no mesmo instante com uma voz estrondosa: "MORRA!". Ok, fiquei com medo dele e fui andar pelo belo mundo onírico que me cercava...

Estava num lugar com grama verde e árvores e vi uma parede de rocha por perto, com uma caverna. Resolvi entrar e os corredores dentro da caverna não eram de pedra, mas sim como se fossem paredes mesmo, de tijolos e cimento. Cheguei em um ponto onde o corredor acabava. Porém não queria voltar pelo mesmo caminho, pois parecia um labirinto.

Me concentrei um pouco e toquei as mãos na parede, desejando que ela se abrisse como uma porta. A parede, na verdade, se soltou e saiu flutuando lentamente, como se não existisse mais gravidade. Atrás da parede, o cenário me surpreendeu, pois eu estava no espaço! No fundo do cenário, nada além da cor preta e estrelas.

Perto de mim, havia várias plataformas de aço e eu me joguei no vácuo em direção a elas. Eu estava flutuando e me deixando ser levado. Ao tocar uma plataforma, logo me impulsionava em direção a outra. Fiquei nisso, até que tudo escureceu e eu acordei. :)



O segundo sonho começou após eu acordar pelas 3 horas da madrugada por causa de barulhos que os vizinhos estavam fazendo no andar de cima. Logo após eu adormecer, comecei a sonhar com algo parecido: eu estava na cama e havia muito barulho do lado de fora. Fui pra varanda e vi que estava acontecendo a maior algazarra na rua.

Haviam muitas pessoas se embebedando, tentando pular muros e se espatifando no chão, carros buzinando e até mesmo uma banda tocando marchinhas... Voltei pro quarto e, quando fui apagar a luz para "dormir", ela não apagou. Tentei por mais duas vezes e aí percebi que era um sonho e fiquei lúcido :)

Voltei pra varanda, mas tudo estava tão igual à minha casa de verdade que tive dúvidas se era mesmo um sonho. Resolvi olhar pras minhas mãos pra ter certeza e confirmei que estava sonhando: minhas mãos estavam completamente desproporcionais e haviam várias marcas/cicatrizes nelas.

Tomei impulso, pulei pela varanda do 3º andar (imagina se não fosse um sonho...) e saí voando. Fui o mais alto que consegui e, quando olhei pra baixo, vi um dos cenários mais belos que já me apareceu em sonhos. Havia um rio gigantesco, entre montanhas de pedra e árvores extremamente verdes, que ia parar em uma cascata de dimensões extraordinárias. O céu era azul e com poucas nuvens e os picos rochosos se estendiam até onde a vista alcançava. Muita névoa cobria o local, e deixava tudo ainda mais belo. Tudo estava muito nítido e detalhado.


Na margem do rio, notei uma pequena cidade e voei até lá. Haviam algumas construções e monumentos, feitos de alguma pedra branca e metais. Pousei em uma parte rasa do rio, onde haviam dezenas de pessoas pequenas (sei lá, como se fossem uma raça que habitava aquele lugar) enfileiradas, como se formassem uma infantaria. Usavam armaduras e faziam movimentos sincronizados, como se estivessem se preparando para o combate.

Não consegui observar por muito tempo, pois acordei. Percebi que ainda estava de olhos fechados e imóvel e tentei retornar para o sonho, me imaginando girando e flutuando, mas sem sucesso. Senti apenas um grande formigamento no corpo, que me deixou muito desconfortável e então desisti. Acordei de vez.