quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Elite: Dangerous - Que jogo maravilhoso é esse? E o que esperar dele?


Bem, o que dizer desse game que ainda nem joguei, mas já considero pakas?... Huauhauha. Mas, falando sério, acho que um jogo nunca conseguiu elevar tanto a minha expectativa, mesmo tendo outros concorrentes de peso, como Star Citizen ou No Man's Sky. E se você está lendo este post, provavelmente está tão ansioso pra jogar a versão final quanto eu...

Baseado em tudo o que já vi e li sobre o jogo, resolvi fazer esse post e reunir algumas informações relevantes sobre ele, bem como minhas impressões e opiniões, mesmo sem ter colocado as mãos nele (AINDA!).

Está pronto? Ative os motores e continue lendo!

Primeiro, o que é Elite: Dangerous?

Elite: Dangerous é o quarto jogo da série de jogos Elite, que foi lançado em 1984 para os computadores da época e adaptado para outros, além de consoles, como NES! Pra você ter ideia de como esse jogo é importante, saiba que ele foi o primeiro game do gênero "Simulador Espacial" a ser criado. Ele também foi o primeiro game em 3D feito, utilizando apenas linhas para formar os objetos. E pra ter ideia de sua grandiosidade, o universo do game continha 8 galáxias, com 256 planetas cada, cada um com características próprias e uma estação espacial pra ser visitada e dezenas de inimigos para serem abatidos. Abaixo você vê como é o jogo em sua versão para NES (print tirado no meu celular, usando emulador).


Elite: Dangerous foi financiado através de uma campanha no Kickstarter, onde a Frontier arrecadou a modesta quantia de £1.578.316. Mas, há algumas semanas, eu li que o valor gasto com o game já ultrapassava 12 milhões de dólares.

Os jogos anteriores da série já possuíam vários elementos presentes em Elite: Dangerous, mas agora ele conta com gráficos e jogabilidade atuais, além de adicionar muitos novos recursos, principalmente o conceito de multiplayer online.




Atualmente o jogo está começando sua fase Beta 3, e está disponível para quem contribuiu no Kickstarter ou para aqueles que têm um dinheiro sobrando (falarei sobre preços mais abaixo). Assim que o jogador entra no game, pode fazer alguns tutoriais offline para aprender as mecânicas básicas ou já entrar de cabeça em uma vasta galáxia para fazer o que bem entender.

O jogo é um sandbox e permite que o jogador escolha seu próprio caminho para enriquecer e se tornar importante. Começamos com uma nave espacial básica, uma Sidewinder MK I, e uma pequena quantia de créditos. A partir daí podemos negociar, praticar pirataria, caçar players ou NPCs procurados, explorar, minerar asteroides, etc.

O jogador pode usar seus créditos para comprar novas naves e fazer upgrades nelas, adicionando novas e diferentes armas ou equipamentos úteis que podem ajudar nas mais diversas situações, seja em batalha ou exploração.

O "mapinha" de Elite: Dangerous

Se você já achava grande a quantidade de planetas do Elite de 1984, vai ficar de boca aberta com o que Elite: Dangerous promete: nada menos do que 400.000.000.000 DE SISTEMAS para explorar. Sim, você leu certo. Mais de 400 BILHÕES de sistemas poderão ser explorados pelos jogadores, lembrando que alguns sistemas podem chegar a ter várias estrelas (similares ao nosso Sol) e dezenas de planetas, luas e campos de asteroides em órbita.



Uma das coisas que mais me surpreende, não é só a quantidade de astros, mas sim sua disposição: tudo segue uma escala 1:1 da nossa Via Láctea real! Sim, cada ponto que você vê no céu, à noite, poderá ser visitado no jogo! Por exemplo, supondo que você pretendesse simular um voo indo da Terra até a Lua, se prepare para ficar 22 dias na frente do PC! Isso, se o seu combustível fosse suficiente pra essa viagem... Pra isso, as naves serão capazes de viajar em velocidades superiores à da luz e também realizar saltos (hyperdrive), indo parar exatamente no local que você queira, desde que esteja dentro da distância máxima que a nave pode ir.

Mesmo com essas facilidades, você acha que será possível visitar 400 bilhões de sistemas? Eu tenho certeza que não. Pra você ter uma ideia, o Beta 3 tem 2.406 sistemas disponíveis para serem explorados. Segundo os desenvolvedores, isso corresponde à pouco mais da metade de um milionésimo de um por cento do jogo completo! o_O Dá pra imaginar o que isso? Certamente a recriação de toda a Via Láctea em tamanho real é uma das características que mais impressionam no jogo. O vídeo abaixo apresenta um pouco do game quando ainda estava na fase Alpha 4. Avance para os exatos 19 minutos e 40 segundos e veja como o "mapa" é assustadoramente grande:



Depois de lançado, o que podemos esperar de Elite: Dangerous?

Ah, meu amigo... Aí as coisas vão ficar ainda mais interessantes! Após o lançamento, o jogo continuará recebendo atualizações, tanto gratuitas (para acréscimo de novas funcionalidades, naves, estações espaciais, correção de erros, etc) e pagas.

Já existem muitas ideias sendo discutidas, como tornar possível voar na atmosfera dos planetas e pousar neles, bem como explorar sua superfície. Pode-se esperar também a possibilidade de criar bases e expandir seu império, além de um aguardado modo FPS. Isso certamente aumentaria muito a variedade de coisas a se fazer, tornando Elite: Dangerous um game perfeito pra se dedicar pelo resto de sua vida... xD A partir do ano que vem já poderão surgir algumas grande novidades como essas.


E é muito bom ver que a desenvolvedora, a Frontier, vem entregando fielmente tudo o que promete e as vezes até mais! Infelizmente ainda não posso fazer uma análise mais técnica do jogo, mas o farei assim que puder. Ou melhor, assim que o comprar... E falando nisso...

Quanto custa, onde compro e quando posso jogar Elite: Dangerous?

Você pode comprar o jogo na loja oficial da Frontier. Atualmente, se quiser participar da fase Beta, o jogo está custando $75,00. Sim, é um preço meio salgado para nós, brasileiros. Mas pelo menos você não comprou o game na fase Alpha, por $295,00... xD Se você aguenta esperar mais um pouquinho, pode fazer a pré-compra, que sai por $50,00.

Elite: Dangerous vai ser lançado oficialmente até o fim do ano. Quando isso acontecer, ele custará $60,00. Então corra, que ainda dá tempo de garantir sua cópia por um precinho mais bacana, e ainda levar alguns extras, como uma nave grátis (Eagle), pintura exclusiva e conteúdos digitais (guia e artbook).

A Frontier divulgou que haverá um evento especial no dia 22 de novembro, onde provavelmente divulgarão uma data oficial para o lançamento (ou quem sabe lancem logo o jogo!). E se você está pensando em esperar sair na Steam pra pega-lo em uma promoção, esqueça. A desenvolvedora já disse que não comercializará o jogo lá!

---

Bem, é isso. Espero que tenha conseguido dizer os motivos pelos quais Elite: Dangerous me chamou tanto a atenção. É um game que tem tudo pra ser ótimo. Ótimo, não... ÉPICO! E espero também poder fazer outras análises e desenvolver mais conteúdo a repeito do jogo futuramente. Até mais!