sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Ateísmo - Minha Opinião

Existem hoje, duas formas de ateísmo. Um ateísmo mais militante, defendido por Richard Dawkins e Christopher Hitchens, que procura nos convencer de que a ideia de um criador é absurda, e há um outro mais sutil, dos físicos, que, seguindo a tradição inaugurada por Laplace, sugerem que Deus é uma hipótese desnecessária.

Há algum tempo eu venho dizendo que o ateísmo vem beirando as raias da religião e muitas pessoas se sentem ofendidas com tal comparação, afinal, sua idéia é a de que não existe um criador para o mundo.

Eu muito concordo com essa filosofia, considero ela válida mas, o que faz eu chamar de religião são exatamente esse pessoal da primeira forma, e vou dizer porque...

  • Primeiro, os militantes estão o tempo todo tentando convencer os "crentes" da inexistência divina. Isso tem um nome religioso: evangelizar. 
  • Segundo, os militantes tem algo em que aceitam e acreditam piamente: isso se chama fé. 
  • Terceiro, os militantes tem muitas provas e métodos de provar essa inexistência e usam isso como instrumento da sua fé: isso se chama credo. 
  • E por último, os militantes têm suas verdades universais que, pelo menos são mais "versáteis" que as religiosas, mas ainda sim tem um nome: dogma. 

A segunda forma pra mim é mais saudável, por diversos motivos:
  • Não tentam convencer as pessoas de algo destruindo o credo dessas. 
  • Dão explicações isentas de julgamento de valor, simplesmente mostram algo e deixam aberto pra interpretação de quem quiser enxergar daquela maneira.
  • E simplesmente assumem que a existência de um ser criador é algo desnecessário de acordo com suas próprias descobertas.

A diferença entre o ateísmo fato e o ateísmo religião pra mim eh isso! Ateísmo não está relacionado com conhecimento, está relacionado com crença. O conhecimento, no caso do ateísmo, está ligado à forma como a crença em um universo sem uma entidade é mostrada em termos da ciência, que é essencialmente sobre conhecimento. E aqui encerro esse assunto polêmico.

URI

Eu ainda tenho uma terceira forma, que eh um pouco derivada da primeira mas que na época que eu era ateu eu seguia, que era o ateísmo brincalhão, que eh menos sério que o tal e se vale de "divindades" como o Unicórnio Rosa Invisível e outros pra fazer uma ponte engraçada entre os dois lados.

Pois o URI é a expressão máxima da relação razão e fé, pois pela nossa perceção ele é invisível, mas temos fé de que ele é rosa.

Hoje eu sou agnóstico, ou seja, não faz a mínima diferença se existe ou não a divindade. É irrelevante pra mim acreditar ou não.

A única parte boa dessa posição eh poder enfurecer ao mesmo tempo a ala religiosa e a ala atéia.

E que URI tenha piedade de voces!