quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Sobre Motos e Rodovias


Esse mês de Setembro eu tirei minhas merecidas férias. Esse é um momento muito mágico para mim pois posso finalmente descansar mais do que alguns dias por semana. E posso fazer coisas que normalmente não tenho tempo de fazer enquanto tenho de pensar no trabalho, na faculdade, na casa ...

Uma dessas coisas que eu fiz foi empreender uma viagem para minha cidade natal. Como alguns de vocês sabem, eu moro em Palmas-TO e a distância de Palmas à minha cidade é de aproximadamente 1200km. Todo ano eu fiz essa viagem de ônibus, por vários motivos mas, esse ano, eu consegui realizar um antigo sonho, que foi ir de moto até lá.

Não foi uma viagem fácil. Cansei bastante, me estressei um pouco mas o resultado final da viagem foi muito gratificante. Também aprendi algumas coisas que eu queria compartilhar com vocês aqui no blog.

Lá e de Volta Outra Vez - Minhas experiências de viagem

Bom, primeiramente, quero dizer que fazer uma viagem como essa não é fácil. Requer um bom planejamento e bastantes cuidados na hora de dirigir. E pra falar sobre isso, eu vou dividir esse post em alguns tópicos para ficar mais fácil a leitura.


O que é importante ao dirigir em rodovia?


Dirigir em rodovia não é difícil. Difícil é você ter o preparo e a resistência adequados para aguentar ficar um tempo considerável em um trânsito que é um pouco monótono, mas não menos ágil que o trânsito da cidade. Mas os pontos importantes são os seguintes:

Itens de segurança

Nunca, mas nunca empreenda uma viagem de moto sem todos (ou a maioria) dos dispositivos de segurança necessários para sua proteção. Botas, calça e jaqueta próprios, um bom capacete, luvas protetoras são essenciais para lhe proteger de qualquer coisa que aconteça. Mesmo que você não caia, durante a viagem você pode levar pedradas ou colidir com pequenos animais e os itens acima minimizam os danos que você pode receber.

Reparo da moto

Nem sempre é possível carregar muita coisa na moto em uma viagem, especialmente em viagens longas. Por isso é importante que a moto esteja revisada e que você tenha junto contigo algum kit de reparos rápidos (especialmente para os pneus). Ter o kit de ferramentas da moto é importante nessas horas também. Uma dica que eu dou é usar um produto chamado "Vacina de Pneu" que você coloca dentro do pneu vazio e que, caso o mesmo venha a furar, o produto sela novamente o buraco evitando que o pneu esvazie. Eu usei na minha moto apesar de não ter precisado já que minha viagem não teve nenhum imprevisto.

Documentação em dia

Nem preciso falar disso né? Carteira de motorista e documento da moto em dias é essencial pra vc não ficar no meio do caminho. Mais importante ainda é que dependendo do lugar que você passar, infelizmente pode ter de lidar com alguns PRF corruptos e ter os documentos em dia pode evitar problemas caso alguém queira lhe explorar. Só para constar, na minha viagem eu fui parado 3 vezes na ida e 2 na volta.

Planejamento da viagem

Uma viagem como essa não é possível de se fazer simplesmente no "meu nome é pronto". É necessário que você conheça os limites da sua moto e também os seus próprios limites. Pontos de abastecimento, pontos de alimentação, pontos de descanso, tudo isso têm de ser levado em conta durante uma viagem. Uma moto não é como um carro, que pode viajar mais de 500km sem precisar de reabastecimento. Se você não calcular certinho quando parar, pode ficar seriamente encrencado quando seu combustível acabar faltando vários quilômetros pra chegar a alguma cidade ou posto de gasolina. É importante também fazer anotações de viagem, para que você possa acompanhar o rendimento da viagem e fazer ajustes, caso seu plano não esteja corretamente ajustado. Foi o que tive de fazer ao perceber que abastecer a cada 200km era complicado pelo fato de que nem sempre eu encontraria um posto quando a moto chegasse à reserva. Nesse caso, eu passei a abastecer a cada 100km.

Atenção no trânsito da rodovia

Esse é o tópico mais interessante desse post. Afinal, é aqui que efetivamente estaremos botando o pé (ou a roda) na estrada. Eu digo que dirigir na rodovia não é essa hidra de sete cabeças que as pessoas dizem não. Na verdade, a moto é um dos veículos mais ágeis do trânsito em rodovia, seguido pelos carros pequenos, camionetes, caminhões pequenos e por último os grandes caminhões. É importante se lembrar sempre do fato que por a moto ser um veículo extremamente leve pode reagir às situações do trânsito da rodovia muito mais rapidamente que um caminhão.

Na minha viagem, várias coisas aconteceram e que a diferença esteve justamente no fato de minha moto ser pequena e mais ágil que os outros veículos. Por 3 vezes na ida e 4 na volta fui surpreendido por veículos fazendo ultrapassagens em locais de pouca visibilidade. A minha reação nesses casos sempre foi a de me jogar para o acostamento, já que eu tinha espaço de sobra para evitar o veículo contrário ali. Mas só fiz isso para evitar um acidente nos casos em que o outro veículo não teria tempo de voltar para sua faixa.

Outro caso muito frequente é o fato de eu abrir passagem para facilitar uma ultrapassagem de algum veículo mais rápido. Nota: Eu sempre dirijo no meio da faixa, normalmente mais próximo do limite com a faixa contrária, à esquerda. Eu faço isso para primeiramente me impor no trânsito e segundo para facilitar a visibilidade do trânsito oposto, já que para um veículo me ultrapassar nessas condições ele precisa efetuar uma ultrapassagem tradicional.

Não é importante só cuidar com o que os outros veículos fazem na rodovia, mas com o que você está fazendo. Lembre-se que se você não se impõe no trânsito, os outros vão passar por cima de você. Eu não tive nenhum problema sério com isso pelo fato de me impor bastante durante a viagem. Não era porque eu estava em uma moto que deixaria que um caminhão me subjugasse no trânsito. Claro que ele é maior do que eu mas ninguém quer matar ninguém, e essa relação de respeito deve ser entendida pelos dois lados.

Comunicação no trânsito

Uma atitude adicional minha no trânsito é a comunicação com os outros veículos. Muitos não fazem por não achar necessário. Eu penso o contrário, pois quando todos se ajudam todos saem ganhando nessa história. Vejam o seguinte caso: estamos eu e vários veículos em baixa velocidade atrás de um caminhão. Eu tenho uma vantagem extra aos outros veículos de poder enxergar o trânsito à frente com mais facilidade e por esse fato, eu sempre sinalizo a possibilidade (ou a impossibilidade) de se efetuar ultrapassagens. Claro, eu não precisava fazê-lo, mas a conduta além de te ajudar e ajudar aos outros, também trás um pouco mais de dinamismo à direção. Na minha viagem eu andei sempre próximo de um conjunto de caminhões e carros que sempre estavam se ultrapassando entre si e nessas ultrapassagens e paradas, apesar de não haver uma conversa, havia comunicação.

É importante a comunicação durante a viagem. Eu digo que ela acalma os ânimos, te faz sentir melhor as vezes e até te conquista novos amigos. Nas minhas paradas não tive essa oportunidade pois eu gastava pouco mais de 20 minutos por parada, no entanto eu sinto que algumas daquelas pessoas lembraram de mim assim como eu me lembro de algumas delas (em especial o caminhão que tinha uma cebola amarrada na parte traseira da carreta, um excelente companheiro de viagem).

Conclusão

Dirigir em rodovia não é difícil. Pode ser perigoso, mas é perigoso mais pelo fato de não ter auxílio próximo e pelo fato de que poucas pessoas estão disponíveis para auxiliar caso haja algum problema durante a viagem. No entanto, posso dizer para vocês que empreender essa viagem de quase 2500km de Palmas-TO à Jataí-GO e de volta foi uma das melhores experiências que eu já tive, e pretendo repetir ela em um futuro próximo.

Agradeço à todos que leram até aqui. Espero que tenham gostado!

Outros textos:
Dirigindo Motos em Rodovia: Minhas Dicas
Frenagem
Fazendo Curvas com Moto