quinta-feira, 20 de setembro de 2012

A Falha do Angry Birds

Aqui estamos com mais esse post brilhante do meu amigo Rondinelli, sobre Social Games. Agora ele fala sobre o modelo de negócios do Angry Birds. Espero que curtam!

---

Quando Angry Birds chegou ao mercado parecia que não seria possível resistir ao jogo, bastava olhar para as mãos de alguém que tinha um aparelho Android ou iPhone e lá estavam os dedos deslizando para arremessar pássaros em pilares e bombas pra aniquilar aqueles malditos porquinhos famintos por ovos. Alguns diziam que era mais viciante que Tetris e Jewels e que seria o novo game mais duradouro e jogado de todos os tempos, por alguns meses eu acreditei nisso e por meses eu também deixei de dormir para tentar concluir uma fase ou conseguir um novo record. Simplesmente não dava para resistir. Alguma coisa mudou no reino do desejo das pessoas (em mim também) e os pássaros perderam espaço nos corações dos gamers (ohhh :/).

Algum tempo depois os pássaros chegaram furiosos ao mundo dos jogos sociais do Facebook, foi uma nova febre de divulgação de resultados de placar, gente disputando pra ficar no topo das fases do jogo. Essa versão social tinha alguns recursos diferenciados da versão app, objetos diferentes que você podia jogar no lugar do passarinho. Por um breve momento pareceu que tinham ganho vida nova, que seria uma nova febre, mas os passarinhos caíram e não se levantaram mais...


No começo de 2012 o Angry Birds possuía várias versões grátis no top 50 do iPhone e do Android, contudo hoje em dia nenhum de seus games grátis consegue ficar entre os 50 mais baixados. Curiosamente, a versão paga continua no top 10 do iPad, mas ainda assim os maiores ganhos estão nas mãos dos jogos grátis, então como entender isso? Onde o Angry Birds errou e esses outros estão acertando? O que os jogadores estão procurando ou o que eles estão sendo levados a procurar?

Como esses jogos grátis estão dominando o mercado, ganhando muito dinheiro e derrubando os outros?

Não é necessário ir muito a fundo ou fazer investigações minuciosas para descobrir o que esses jogos de sucesso possuem, pois são em sua maioria jogos sociais, jogos de click, jogos de aposta, jogos de carta, jogos de jornada e eles possuem uma coisa maravilhosa que é possível com o acesso fácil a pagamentos virtuais e acesso a internet móvel, ou seja, compras internas do aplicativo. A todo momento você é encorajado a comprar moedas para fazer algo mais rápido, mais completo ou simplesmente mais bonito e brilhante.

Obviamente que a maioria das pessoas não vai comprar coisas dentro de jogos, contudo, existem algumas dentre as que compram que gastam quantias enormes de dinheiro em objetos. Pessoas que querem jogar, que estão dispostas a concluir as missões sem esperar períodos de dias para isso.

Um exemplo disso é o que ocorre no The Sims Social, onde uma grande parte dos itens mais garbosos só podem ser comprados com moedas de ouro. Mesmo que você fique o dia inteiro jogando, a fazer visitas sociais, em algum momento pra conseguir concluir uma tarefa ou construir um cômodo novo, um móvel mais extravagante ou uma casa de praia, terá que necessariamente pedir coisas aos seus amigos (que vão demorar uma eternidade para lhe responder ou nem verão esses pedidos :'( buáaa) e não lhe darão escolha senão obter as tais moedas de ouro.

Tudo começa assim, primeiro você cria sua conta no jogo, em seguida é encorajado a seguir algum passo a passo ou tutorial, então você vê os primeiros resultados do que o jogo pretende que seja feito, então você continua e usa suas moedas de ouro para completar tarefas até que recebe uma mensagem irritante, desagradável que dá vontade de (MORRER) chorar: “Você não tem moedas suficientes para isso, deseja comprar mais?” - Claro que muitas pessoas apenas ignoram isso, ou se irritam e deixam de jogar, mas tem um bom número de pessoas que enxerga nisso um incentivo irresistível para gastar pequenas ou grandes quantias de dinheiro de verdade.

Se funciona fácil assim, então porque alguns jogos não conseguem convencer as pessoas a gastarem seu rico dinheirinho com suas moedas? O que faz com que alguém saque seu cartão de crédito da carteira e compre moedas de jogo? Alguma mecânica existe, óbvio.

Apenas pedir que alguém pague para remover um anúncio ou para jogar a versão completa do jogo não é o suficiente, funciona muito bem em jogos de console, mas na web nem tanto. Não adianta ficar só devorando as moedas que ele tem e chateando-o a todo momento pedindo por mais e mais. As pessoas se cansam e desistem se ficarem entediadas demais. Sim, as pessoas se irritam e depois fazem vídeos e postam no Youtube para demonstrar o quão (mimimi são) se sentiram humilhadas e maltratadas quando plantaram uma árvore toda linda, cuidaram e por fim perderam o prazo e não ganharam nada por isso.

O segredo é buscar um envolvimento do jogador com o jogo e dar o máximo de opções de compras internas que for possível sem entediar com tantas mensagens. Ocorre que se o número de pessoas dispostas a gastar é pequeno, então é necessário oferecer um número grande de opções de compra para que esses poucos dispostos tenham mais incentivo a gastar com os jogos que eles se interessarem. Digamos que é assim: Tem muitas opções de compra porque tem poucos jogadores gastadores, ou tem poucos jogadores gastadores porque tem opções demais de compra.

É importante que adicione algum valor ao jogador e que seja interessante, não apenas um meio de remover uma mensagem chata. Envolva seus jogadores numa história, faça com que eles se sintam parte dela, pois eles precisam desejar camisetas com estampas dos personagens, comprar bonecos de ação deles e quererem falar sobre o jogo com outras pessoas e não guardar apenas para si que não conseguem mais deixar de jogar. Outra coisa legal é que não fique óbvio demais que os itens foram comprados, pois parte da magia é fazer que os outros jogadores acreditem que eu “conquistei” por mérito.