quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

De sádico e bonzinho, todo mundo tem um pouquinho

Olá!

Eu sou de sagitário, o que não significa muita coisa pra mim. Apesar disso, não esqueço nunca que sou de sagitário, é que não me deixam esquecer. Não que isso signifique muita coisa pra mim.

Mas não é por isso que estou aqui hoje.

Estou tão assustado comigo mesmo que resolvi escrever como uma forma de "auto próprio proteger-me a mim mesmo, de mim mesmo".

Sabe, eu sempre fui um cara politicamente correto, contra injustiças, a favor da paz, da racionalidade, da conversa, da negociação, do acordo, enfim, da paz. Acontece que nos últimos dias descobri uma outra face de mim mesmo, uma que mostrou que eu posso pensar como um psicopata sádico.

Não é pra se assustar?

Eu ando andava desejando que coisas ruins acontecessem para outra pessoa, cheguei a sonhar que teria eu mesmo comandado algum tipo de ato contra a integridade física de outra pessoa. Não para por aí, sonhei que sentia prazer com isso, que de alguma forma isso me satisfazia, amenizava um sentimento de raiva e frustração.
Racional que sou, percebi que algo ruim vinha se criando na minha cabeça, algo que até então eu jamais havia pensado.

Na verdade não tive que fazer muito esforço para descobrir a raiz disso tudo... tem algo ocorrendo comigo no trabalho que está me afetando muito negativamente há vários meses. Quando eu falo "muito negativamente" quero dizer MUITO NEGATIVAMENTE.

Não quero e não vou entrar em detalhes quanto à esse problema em particular, não hoje.

Mas concluí que todos temos um gatilho que nos faz pensar assim, como sádicos psicopatas. Cada um com seu termômetro pode ser mais ou menos tolerante, mais ou menos sensível a determinados tipos de estímulos.

De fato só uma coisa nos diferencia de uma pessoa má, a capacidade de compreendermos nossos sentimentos para agirmos de forma racional e o discernimento entre o que a sociedade considera como certo ou errado.

Nos últimos dias eu descobri qual é o meu gatilho...  já descobriu o seu?