quinta-feira, 14 de julho de 2011

Conceitos Básicos de Fotografia

Todo mundo um dia já deve ter tentado tirar fotos na sua vida. Ainda mais com o advento das máquinas digitais compactas e automáticas, isso é mais uma certeza que especulação. Tirar fotos em uma dessas máquinas é uma maravilha, vc aponta e tira a foto. Não é à toa que elas se chamam point-and-shoot. No entanto, elas não fazem mágica. Há momentos em que sua correção mágica da imagem tira toda a magia de determinados tipos de fotos. Por exemplo, fotos de pôr-do-sol. A regulagem automática (e as vezes, a correção do branco) dessas máquinas vai destruir sua linda visão daquele crepúsculo, só porque ela acha que os níveis de luminosidade estão baixas. E como você faz para corrigir isso? Photoshop? Não, você pode fazer isso na câmera, se você souber o que está fazendo.

Pensando nisso, tive a idéia de fazer um post sobre simples técnicas de fotografia. Não que eu seja o expert em fotos, mas ficar horas e horas na wikipédia lendo sobre diversas coisas me ajudam um pouco de vez em quando. E essa é uma das áreas que eu sei pelo menos um pouquinho, pra poder criar um post decente...




Conceitos Básicos de Fotografia - Sensibilidade do Filme (ISO), Abertura e Velocidade do Obturador

Independente da câmera que você possua - pode ser uma point-and-shoot baratinha ou uma DSLR de milhares de Reais - três coisas sempre afetam a qualidade da sua imagem: a sensibilidade do filme (ou no caso das digitais, do sensor), a abertura do diafragma e a velocidade do obturador. E ambos os três dependem de um outro fator, que é a iluminação. A fotografia basicamente é um processo no qual um filme (ou um sensor) é exposto para captar a luminosidade, e registrar em uma imagem.

Existem outros fatores, relacionados às câmeras digitais, que determinam a qualidade de uma fotografia, como tamanho do CCD, qualidade do programa de processamento, tipo de matriz de captura, mas isso não entra no mérito deste post. Aqui vamos falar só sobre a técnica clássica mesmo. Isso se aplica tanto às digitais quanto à máquinas de filme de qualquer tipo. É a ótica do processo em jogo!

Vamos então começar falando do primeiro deles.

Velocidade do Obturador

Primeiramente, vamos falar sobre o por que de a velocidade do obturador ser um fator importante. É simples, na verdade: Quanto mais rápido o obturador abre e fecha, menos você precisa se preocupar com uma imagem borrada. Para a maioria das fotos que eu tiro, configurações de 1/60s ou maiores são perfeitas pra fotos sem muita preocupação. Velocidades como 1/30 até algo em torno de 1/10 são bastante passíveis de saírem borradas, a não ser que você segure muito bem a câmera. Qualquer coisa acima disso exige mãos totalmente firmes (algo bem improvável de acontecer) ou o uso de tripé.

1/250s - 1/10s - 1/2s

Dependendo do tipo de fotografia que você estiver fazendo, a velocidade também é um fator determinante. Por exemplo, se você está assistindo Fórmula 1, usar velocidades acima de 1/250 é imprescindível, a não ser que você queira fazer aquele efeito de movimento, que não é dos fáceis de fazer.

Outro uso para baixas velocidades é produzir efeito de movimento. Isso pode ser visto nas fotos abaixo:

f/8,0 - 1/4s - ISO 200

f/5,0 - 20" - ISO 100

Para fotografar coisas estáticas você pode usar velocidades menores. Com uma velocidade de, por exemplo, 15" e uma noite sem lua (e luzes da cidade) você consegue uma boa vista do céu noturno.

Sensibilidade do Filme (Sensor)

As vezes, você precisa de uma foto veloz mas a iluminação não ajuda. O que você faz? Você pode abrir o diafragma para captar mais luz, mas nem sempre você conseguirá o efeito desejado com isso, já que alterar a Abertura pode trazer outros efeitos à foto. Então, a melhor forma é alterar a sensibilidade da captura. Em máquinas de filme, não têm jeito, você precisa trocar um filme por outro. No caso de máquinas digitais, isso pode ser feito através de um ajuste de sensibilidade chamado ISO. Essa ISO determina o quanto o filme ou sensor é sensível à luz. No entanto, tornar um filme mais sensível à luz também o faz ser mais sensível à ruídos. Isso quer dizer que a precisão para determinar a cor e a luminosidade de um determinado pixel é menor, mas ele consegue captar essas informações usando uma quantidade de luz bem menor que para uma ISO mais baixa.

f/5,6 - 1/20s - ISO 400

f/5,6 - 1/20s - ISO 1600

f/5,6 - 1/20s - ISO 6400

Nas imagens acima você pode conferir. A mesma cena, com condições próximas de luminosidade mas usando ISOs diferentes, mostram uma granulação maior das cores. Isso acontece justamente pelo fato de filmes com ISO maiores serem sujeitos à maior quantidade de ruído. No entanto, para a maioria das aplicações amadoras de fotos (Facebook, Picasa, álbuns de família) essa granulação pode ser, até certo ponto, irrelevante.

Granulado na Foto (f/2,8 - 1/200s - ISO 1600)

Imagem mais limpa (f/2,8 - 1/13s - ISO 100)
Abertura

Completando as explicações, chegamos ao último ponto dos conceitos básicos de fotografia, a abertura da íris.

Toda câmera possui um dispositivo chamado Diafragma, responsável por determinar a quantidade de luz que irá passar, controlando o tamanho do orifício, ou íris. Esta íris pode ser configurada para diferentes tamanhos, chamado de diâmetro de stop (f-stop) e cada lente possui seu valor mínimo e máximo permitido, que determina o tamanho mínimo e máximo da abertura. Cada stop possui uma numeração que indica o nível de abertura.

Esta forma de controlar a iluminação introduz um efeito chamado profundidade de campo, que pode ser explicado como o quanto é borrado um objeto que não esteja na distância de foco. Pequenas aberturas (valores f maiores) produzem grandes profundidades de campo, onde praticamente todos os objetos estão em foco, ao passo que grandes aberturas (valores f menores) produzem menores profundidades de campo, ou seja, menos objetos em foco.

f/11,0 - 1/7s - ISO 1600

f/3,2 - 1/7s - ISO 100


Para uma mesma sensibilidade do filme/sensor, se quisermos alterar a abertura e mantermos a mesma iluminação, é necessário também alterar a velocidade do obturador. Já que quanto maior o diâmetro, maior a quantidade de luz que entra, é necessário aumentar a velocidade de obturação!

Juntando tudo na mesma panela

Estes três conceitos não funcionam em separado. Para você tirar uma boa fotografia, é preciso saber escolher cada opção de forma a evitar que sua imagem saia borrada, ou com granulação alta ou mesmo com falta ou excesso de luminosidade. A maioria das câmeras point-and-shoot permitem você controlar um pouco destes aspectos (normalmente a sensibilidade do CCD), no entanto é sempre bom saber quando usar uma ISO alta ou uma velocidade de obturação baixa, ou mesmo quando usar o obturador para corrigir problemas de iluminação. Não há uma fórmula mágica (há sim, mas eu não sei) que determine o que usar, mas com um pouco de prática e experimentação, você vai descobrindo o que é melhor em cada cenário.

Pra quem quiser dar uma conferida, eu tenho algumas fotos que separo dentre as que eu tiro, e coloco em um portfolio de fotografias. Vocês podem ver no endereço 500px.com/vndmtrx e comentar e dar nota e compartilhar no Facebook, no Google+ e no Twitter que eu nem vou achar ruim.

f/5,6 - 1/320s - ISO 125

f/11,0 - 1/50s - ISO 400


Bom, é isso. Mais um post completo! Mais pra frente eu devo falar sobre composição de cenas. Não é coisa avançada, mas coisas que fui descobrindo com o tempo.

Abração!

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Shutter_speed
http://en.wikipedia.org/wiki/Aperture
http://www.photography-basics.com/2007/02/what-is-iso/
http://www.photography-basics.com/2007/01/what-is-aperture/
http://www.photography-basics.com/2007/01/what-is-shutter-speed/
http://www.dpchallenge.com/tutorial.php?TUTORIAL_ID=45