quinta-feira, 10 de março de 2011

Lua: As várias facetas da grande dama da noite

I see the moon,
The moon sees me
Goddess bless the moon,
And Goddess bless me.
Canção de ninar

Hoje achei um texto muito interessante sobre os nomes de todas as fases de Lua Cheia do ano. Sempre fui muito ligado à Astronomia (e à Astrologia tb) e sempre admirei a Lua, em todas as formas que ela se manifesta física, mística, ou culturalmente. Então, estou aqui fazendo um post sobre a Lua. Espero que vocês gostem.


Pré-história. O homem começa a observar o movimento do sol, da lua e das estrelas. Fico pensando o quanto não deve ter sido misterioso e surpreendente para a nova raça de caçadores-coletores que uma hora a lua fosse grande, redonda e luminosa, e oras ela praticamente sumisse do céu.

A Lua influencia os movimentos biológicos já que tem uma influência dominante sobre a água, seja nas marés, nas chuvas ou na constituição líquida dos seres humanos, dos animais e das plantas, sendo a água a maior percentagem da sua matéria. Símbolo da fecundidade, a lua está associada às águas que provocam o início da criação...


A Lua simboliza o tempo presente e para muitas culturas ela foi a medida do tempo, como é o caso dos índios da América que mediam o tempo pelos ciclos da Lua, que completos traduziam uma unidade mensal. Para certos povos, a fase oculta da Lua simboliza a passagem da vida para a morte e o renascimento subsequente traduzido pelo crescente lunar. A Lua simboliza ainda a vida imortal, que só é acessível aos heróis e aos reis.

Venerada como divindade entre antigas civilizações, a Lua é um símbolo feminino, associado à fecundidade, à fragilidade, à ilusão e à pureza. Enquanto espelho da luz do sol, a Lua atravessa as suas quatro fases visíveis para a Terra e, neste contexto, é sinónimo de transformação e evolução, pois o seu movimento é de um eterno crescimento, de lua nova a lua cheia. Por mudar sua forma de aparecer no céu, na simbologia, a Lua é também um símbolo de inconstância. Além do mais, a Lua é o pêndulo da Terra, exerce influência irrefutável, não só sobre nosso planeta, mas também no psique e no espírito humano.

Para várias culturas da Antiguidade, a Lua estava associada às deusas como Ísis, Istar, Artemis, Diana ou Hécate. No hinduísmo, a Lua representa a vida dos antepassados e também a faceta transformadora de Shiva, que tem como emblema o crescente lunar. Entre os Maias, que adoravam o deus Sol, a Lua era a sua consorte e o seu aspecto negativo. Entre os Astecas, a Lua era filha do deus das chuvas e, para os Incas, era simultaneamente deus das mulheres, consorte do Sol, deusa feminina e esposa incestuosa do seu irmão Sol, já que ambos eram filhos de Viracocha. Tanto na América do Sul como na Europa, as crenças populares atribuíam as manchas da Lua aos ciúmes do Sol, que lhe teria deitado poeiras para ofuscar a sua beleza. Nas culturas etíopes, árabes e sul-arábicas, o Sol é de natureza feminina e a Lua é de natureza masculina, simbolizando a noite apaziguante e repousante para as tribos nómadas do deserto. Para uma tribo de índios do Brasil, a Lua é uma divindade masculina que nada tem a ver com o Sol.

Observando as fases da Lua podemos experimentar, em um curto espaço de tempo, um ciclo de relacionamento planetário entre o Sol e a Lua. Podemos dizer, que aí se deu o primeiro uso prático da astrologia.

O homem percebeu que certas Luas eram boas para plantar ou para colher, que a maré subia ou descia mais evidentemente, que era mais fácil pescar em tal Lua, etc. Foi observando a cadência da Lua que o homem começou a entender o tempo. Quando tudo começou, o dia e a noite já estavam criados. Mas ainda faltavam a semana e o mês.

E foi a Lua que deu as indicações, com suas quatro fases que se repetiam ciclicamente. Já que cada fase lunar durava, aproximadamente, 7 dias surgiu a semana ("septimana", do latim), reconhecida oficialmente somente no ano de 325 depois de Cristo.

O primeiro dia foi dedicado ao Sol e o segundo à Lua. Depois o homem percebeu que para a Lua completar um ciclo inteiro, ou uma lunação, devia-se esperar 29 dias. Assim apareceu o mês. Mas era preciso um espaço de tempo maior para medir viagens, construções e a vida do homem.

O próximo passo foi a fixação do ano com seus 12 meses. O nosso calendário com 365 dias, leva em conta o tempo que a Terra precisa para cumprir uma revolução completa em torno do Sol.

Mas até hoje, os muçulmanos seguem o antigo calendário lunar, que começa sempre na Lua Nova, sem se importar com o fato de o ano, para eles, ter 354 dias.



As fases da Lua

Lua Nova

A Lua Nova corresponde ao encontro da Lua com o Sol. Nesse período a Lua quase não é visível da Terra. Por estar muito próxima do Sol, seu brilho a ofusca. A fase Nova da Lua marca o início do ciclo de lunação e significa o começo de um movimento seja ele qual for. É o momento onde as sementes começam a germinar e iniciamos nossa caminhada em direção a um objetivo específico.

A fase da Lua Nova é claramente relacionada na agricultura ao período favorável para o plantio de tubérculos, como a batata, que crescem dentro da terra, e também para a poda das árvores, pois nessa época a madeira seca mais depressa e dá boa lenha. As mulheres, muito identificadas com o símbolo lunar, sentem mais fortemente as influências desse ciclo.

No ciclo feminino a Lua Nova corresponde ao início da menstruação, àqueles dias de indisposição e sensibilidade à flor da pele, onde há a necessidade do isolamento e quando facilmente se dá vazão de maneira descontrolada aos impulsos inconscientes. No mundo moderno a observação do ciclo da lua gera novas conclusões, às vezes fúteis, mas sem dúvida igualmente válidas. Toda mulher também sabe que não se deve cortar o cabelo na Lua Nova, nem fazer grandes mudanças no visual.

Na Lua nova existe uma falta de luminosidade lunar que faz com que os peixes fiquem no fundo das águas. Período neutro para a pesca.

Quarto-Crescente

O Quarto-Crescente é a fase seguinte. A Lua se adianta ao Sol e forma uma quadratura - um ângulo de 90 graus. Da Terra começamos a ver uma porção maior da Lua, ela fica parecendo aqui no hemisfério sul com a letra C. É o momento do ciclo onde enfrentamos as resistências que se interpõe às mudanças que queremos efetuar em nosso movimento. É um momento de crise na ação, pois temos que ter forças para superar os obstáculos.

Na agricultura, o Quarto-Crescente é reconhecido como o período favorável ao crescimento das plantas, pois nessa época a força da Lua atrai a seiva das plantas para cima da terra. É também o momento em que se deve cortar a madeira das árvores destinada às construções.

No ciclo feminino o Quarto-Crescente corresponde aos dias após a menstruação. A mulher já se livrou daquele "peso extra" e recupera seu entusiasmo. Os sentimentos se tornam mais claros. E pode pensar até em cortar os cabelos, principalmente se tem cabelos grossos, pois a fase do Quarto-Crescente é ideal para que eles cresçam mais finos e mais depressa.

Para a pesca, a luminosidade ainda é baixa e são poucos os peixes que sobem a superfície. Período regular.

Lua Cheia

A Lua Cheia ocorre quando Sol e Lua se distanciam 180 graus, fazendo uma oposição. Eles estão em signos opostos e a Lua reflete inteiramente a luz solar. Da Terra vemos aquela Lua imensa, exibida, vaidosa de revelar todos os seus mistérios num maravilhoso espetáculo.

A Lua Cheia significa a plenitude, o ápice do ciclo. Tudo que é iniciado na Lua Nova tende a dar resultados da Lua Cheia, sejam eles positivos ou negativos. Ou seja, o movimento ou ação que foi semeado na Lua Nova chega agora a seu clímax e revela o ponto máximo de sua repercussão. No ciclo feminino a Lua Cheia corresponde à ovulação.

É o período de fertilidade, onde há a possibilidade de gerar a vida. Na agricultura a Lua Cheia marca o momento da colheita das plantas medicinais e também o época de semear árvores frutíferas. Qualquer pescador sabe que a Lua Cheia atrai os peixes para a superfície, aumentando seu metabolismo e portanto seu apetite. Quem sabe os peixinhos também não querem apreciar o brilho intenso do Luar. O corte de cabelo na Lua Cheia é indicado para os cabelos finos, pois nessa época eles crescem mais lentamente e aumentam de volume.

Outra coisa, para a pesca a luminosidade é máxima e bastante intensa, fazendo com que os peixes sejam atraídos para a superfície e provocando também um aumento de seu metabolismo e portanto de seu apetite. Período ótimo.

Quarto-Minguante

O Quarto-Minguante é a fase seguinte. Corresponde também a uma quadratura entre Sol e Lua, mas dessa vez é uma aspecto minguante. A Lua torna-se cada dia menos luminosa até sumir novamente quando atingir a fase Nova. Sendo uma quadratura, Quarto-Minguante representa também um momento de crise. Mas dessa vez a crise se estabelece nos objetivos. Ou seja, já atingimos nossa meta na Lua Cheia, portanto devemos compartilhar nossos ganhos com os outros e começamos a ter consciência da necessidade de encontrar novos objetivos para manter o ciclo da vida.

Na Lua Nova seguinte recomeçaremos tudo de novo, às vezes batendo na mesma tecla, às vezes, deixando tudo para trás e partindo em busca de novos ideais. No ciclo feminino o Quarto-Minguante corresponde a uma época menos expressiva, em que a consciência vai diminuindo gradativamente até uma fase de maior interiorização.

No Quarto-Minguante o magnetismo e a gravidade da Terra fazem desenvolver as raízes, atraindo a vida para o centro da Terra. Na agricultura, o Quarto-Minguante é o período favorável à colheita de cereais, como o feijão. Nessa época a seiva nas plantas é menor e é indicada a poda de árvores e arbustos. Devemos cortar o cabelo no Quarto-Minguante quando quisermos fortalecê-los. É a melhor época para o corte de cabelos fracos e quebradiços, e também para a depilação, para que os pêlos cresçam em menor quantidade.

É no Quarto-Minguante que notamos os efeitos mais evidentes da lua sobre nosso metabolismo. Esse período favorece aos regimes de emagrecimentos, facilitando a eliminação de líquidos do nosso organismo. Um dieta conhecida indica a ingestão de somente líquidos nas 24 horas que se seguem à mudança da Lua.

A pesca nessa fase, os peixes ainda se mantém na parte mais rasa das águas, aproveitando a luz, que não é tão intensa quanto na cheia. Período bom.

Luz cinérea

Uma coisa pela qual sempre fui curioso é o fenômeno que acontece próximo da Lua Nova, onde uma claridade tênue, porém marcante, ilumina o lado do satélite que deveria estar no escuro. Esse brilho fantasmagórico dura poucas noites e desaparece quase sem deixar lembranças.

Esse brilho têm um nome. ele se chama Luz Cinérea (ou luz cinzenta) e sempre intrigou a humanidade, até que um certo Leonardo DaVinci propôs uma explicação para o fenômeno:

"A luz cinérea acontece poucos dias antes e depois da Lua Nova, quando a maior parte do hemisfério noturno da Lua está voltado para nós. Como a Terra reflete muito mais luz que a Lua, acaba iluminando o satélite por reflexão. E embora essa luz seja muito mais fraca que a solar, a porção escura da Lua acaba se tornando visível por contraste."

A luz cinérea faz três percursos até chegar aos nossos olhos. Primeiro, ela sai do Sol e vem iluminar a Terra; depois é refletida pela Terra e vai iluminar a face noturna da Lua. Em seguida parte da Lua novamente em direção ao nosso mundo, chegando até você, que está observando o satélite.

Além disso, ela pode variar de intensidade. Quanto mais nuvens envolverem a Terra, maior será a quantidade de luz refletida para a Lua e de volta para nós. Por isso existe relação entre as condições meteorológicas terrestres e a luz cinérea.




Nomes das Luas Cheias

Cada lua cheia do ano têm um nome. Assim dizem os índios norte-americanos. Eles deram nomes simbólicos à lua, de forma que esses nomes representassem o significado do mês e os ajudassem na contagem da passagem do tempo e das estações. Abaixo estão os nomes e seus significados:

Janeiro - Lua Cheia do Lobo (Full Wolf Moon): Nas neves frias e profundas do inverno, os matilhas de lobos em busca de alimento, uivam nas regiões próximas das aldeias indígenas. Assim é dado o nome da Lua cheia em janeiro. Às vezes era também referida como a Velha Lua, ou a Lua Depois de Yule.

Fevereiro - Lua Cheia da Neve (Full Snow Moon): Já que é neste mês que a neve mais pesada cai, os índios a chamaram de Lua Cheia da Neve. Também é conhecida como Lua Cheia da Fome (Full Hunger Moon) pois nessa época a oferta de alimento é a mais escassa do ano.

Março - Lua Cheia das Minhocas (Full Worm Moon): Nesse mês, com o aumento gradual da temperatura e o desaparecimento da neve, minhocas e outros vermes da terra começam a aparecer, anunciando o retorno de várias espécies de pássaros, como os pitarroxos, sinalizando o final do inverno. As tribos mais ao norte chamam essa lua de Lua Cheia da Crosta de Gelo (Full Crust Moon) pois com a variação de temperatura entre o dia e a noite, a neve está constantemente congelando e descongelando, formando uma fina crosta de gelo sobre a neve. É também nessa época que as bolotas de carvalho começam a brotar depois de caírem no chão no inverno.

Abril - Lua Cheia Rosa (Full Pink Moon): Este nome vem de uma planta chamada Moss Pink (sem tradução em português), que é uma das primeiras plantas à florar neste mês. Esta lua também é chamada de Lua Cheia da Brota da Grama (Full Sprouting Grass Moon) ou Lua Cheia dos Ovos, que tornam-se frequentes neste mês.

Maio - Lua Cheia das Flores (Full Flower Moon): Nem precisaria comentar. Neste mês, quase todas as plantas estão em floração. Outros nomes para esta época são Lua Cheia da Semeadura do Trigo (Full Corn Planting Moon) ou Lua Cheia do Leite (Full Milk Moon).

Junho - Lua Cheia dos Morangos (Full Stramberry Moon): Este nome foi dado por uma tribo que relacionou a curta temporada para colher morangos ao mês de junho. Na Europa, chamam esta lua de Lua Cheia das Rosas (Full Rose Moon).

Julho - Lua Cheia dos Machos (Full Buck Moon): Julho é normalmente o mês em que os chifres do veado macho começam a aparecer, anunciando a temporada de acasalamento de vários animais. Esta lua também é chamada de Lua Cheia do Trovão (Full Thunder Moon) pois nesta época as grandes tempestades de verão se tornam frequentes.

Agosto - Lua Cheia do Esturjão (Full Sturgeon Moon): Este nome foi dado pelas tribos pesqueiras pois nesta época, nos grandes lagos, vários tipos de peixes (entre eles o Esturjão) são facilmente capturáveis. Esta lua também é chamada de Lua Cheia Vermelha (Full Red Moon) pois, quando a lua cheia aparece no céu, ela aparenta avermelhada, como se estivesse envolta em um tipo de névoa sufocante. Também é chamada de Lua dos Grãos (Grain Moon).

Setembro - Lua Cheia do Milho (Full Corn Moon): Esta lua têm seu nome ligado ao período em que o milho se mostra pronto para ser colhido. Para muitos, a lua de setembro é conhecida como Lua da Colheita (Harvest Moon), apesar de que esta ocorre normalmente em outubro.

Outubro - Lua Cheia da Colheita (Full Harvest Moon): Esta lua cheia ocorre bem próxima do equinócio de outono nos países do norte. 2 em cada 3 luas cheias da colheita caem no mês de setembro, enquanto a terceira ocorre no final do mês de outubro. No alto da temporada da colheita, muitos fazendeiros trabalhavam na colheita até altas horas da noite, sob a luz desta lua cheia. Esta lua indica a grande temporada da colheita, quando a maioria das plantas frutíferas estão no auge da sua produção.

Novembro - Lua Cheia do Castor (Full Beaver Moon): A temperatura começa a baixar, enunciando a chegada do inverno. É nesta época que os indígenas costumavam colocar armadilhas para castores à beira dos lagos e pântanos antes que estes congelassem definitivamente, de forma a garantir um estoque de peles que seria necessário nos meses à seguir. Outra interpretação dada para o nome desta lua é relacionada ao fato de os castores estarem se preparando ativamente para o inverno, construindo suas barragens para conter os pequenos rios. Esta lua também é conhecida como Lua Gelada (Frosty Moon).

Dezembro - Lua Cheia da Longa Noite (Full Long Nights Moon) ou Lua Cheia Fria (Full Cold Moon): durante este mês o frio do inverno se intensifica e as noites tornam-se maiores e mais escuras. Esta também é conhecida como a Lua antes de Yule (Moon Before Yule). O termo Lua Cheia da Longa Noite é duplamente apropriado pois além de yule representar a noite mais longa do ano, é também neste período que a lua fica mais tempo acima do horizonte. A lua cheia em Yule têm uma trajetória muito alta pois ela se opõe à baixa trajetória do sol de inverno.

Conclusão

Dos astros celestes, a lua é ao mesmo tempo a que mais se destaca em virtude da sua mobilidade e a que mais produz efeitos visíveis no decorrer de sua passagem pelas fases. Ao contrário do ciclo solar, que é mais lento e mais sutil de perceber a mudança, a lua imprime grandes mudanças em questão de semanas, tanto nos ciclos das águas e das plantas, quanto no imaginário humano.

Talvez seja por isso que as pessoas hoje têm tanta fascinação em explorar a lua. Tão próxima, tão bela e ao mesmo tempo tão enigmática!

Por fim, chegamos ao final deste post. Para quem quer acompanhar as fases da lua, há ótimos sites para mostrar a lua em seu estado atual. Para aqueles fanáticos em programação, há implementações do cálculo do ciclo lunar em várias das linguagens conhecidas. Todos os links estão referenciados no final do post. Quando tiver mais tempo eu vou mexer um pouco com a implementação de uma "tábua" de cálculo dos ciclos lunares, em Python (ou Ruby).

Até mais!



Referências

Calendário de Lunação
http://stardate.org/nightsky/moon/

Google Moon
http://www.google.com/moon/

Links genéricos sobre a Lua
http://www.farmersalmanac.com/full-moon-names/
http://www.infopedia.pt/$lua-(simbologia)
http://www.girafamania.com.br/primitiva/astrologia-lua.htm
http://www.farmersalmanac.com/full-moon-names/
http://www.astrologica.com.br/artigos-fases.html

Links Científicos sobre a Lua
http://www.zenite.nu/?fasesdalua
http://en.wikipedia.org/wiki/Full_moon_cycle
http://www.faqs.org/faqs/astronomy/faq/part3/section-15.html
http://www.ben-daglish.net/moon.shtml
http://www.voidware.com/moon_phase.htm
http://www.fourmilab.ch/moontool/
http://bazaar.launchpad.net/~keturn/py-moon-phase/trunk/view/head:/moon.py