quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Reveillon do Elfo - Compilação de memórias de 2010

Vinde na serra
Ano novo chegando, ano velho indo embora. Mais uma volta em torno do Sol. De todos os dias que conheço, esse é o único que não têm uma simbologia definida. Tudo bem, ter têm, mas nada que se diga herdado de outras culturas e tal. É simplesmente o reinício de todo o ciclo do ano. E muitas coisas vão se repetir, outras vão deixar de acontecer e outras vão surgir no decorrer dos meses.

Algumas pessoas comemoram os dias que virão, depositando votos de que as coisas melhorem, de que ganhem mais dinheiro, de que tenham uma vida próspera, que os filhos prosperem, que as colheitas sejam melhores e os desastres menores.

Eu me enquadro no grupo de pessoas que prefere olhar para o passado, para todas as coisas boas que aconteceram, as ruins, as chegadas e partidas de todas as formas que se possam imaginar. Pois penso que mais importante que esperar pelo futuro incerto, é olhar para o passado que se fixou e dali tirar alguma coisa de útil. Coisas boas nos ajudam, com certeza. As ruins também, servem de inspiração e de como não cometer erros novamente (mesmo que no final das contas, sempre repitamos os mesmos erros). Enfim, é um novo ano começando...

Teddy, Qwika, Simba e Munchkin
Bom, este ano foi um ano bem variado para mim. Descobri novos amigos. Cultivei amizades mais fortes e fortaleci mais algumas amizades. Também descobri que algumas pessoas que julgava serem minhas amigas eram simplesmente colegas. Tive uma experiência amorosa intensa e que terminou prematuramente, porque eu não me sentia ligado à ela. Também descobri que pessoas especiais existem e mesmo longe passaram a fazer mais parte da minha vida que pessoas próximas.

Janaina Draugluin
Minha moto passou por um período de provações. Teve seu motor destruído por um delinquente que colocou areia no motor dela, foi atropelada 5 vezes estacionada, foi personagem de um dos meus acidentes mais sérios (post) e sobreviveu, incólume, à tudo isso. E no final, eu a aposentei dos seus dias de aventuras sobre a minha custódia. Vou sentir saudade dessa moto, que foi a minha primeira moto e a que mais me proporcionou momentos de alegria nos ermos de Palmas. Te gosto muito Janaína, que seus novos donos te dêem muita atenção, como eu lhe dei!

Também este blog passou por um crescimento enorme do ano passado para este. Completou 100.000 pageviews em 25 de outubro e na noite do dia 21 de dezembro passou das 250.000 pageviews, com crescimento crescente desde o ano passado. Também durante este ano teve o desenvolvimento do layout concluído, e lançado no dia 29 de dezembro, com algumas correções ainda a serem feitas. E para concluir, um novo editor convidado para escrever neste blog: Diego “Homer” Bevilaqua neste dia de hoje.


Também houveram muitas mudanças em mim. No começo do ano eu estava magro. No meio do ano gordo. Mais ou menos no mês de setembro magro e agora no final do ano gordo como não estou desde 2007. Meu cabelo também mudou um bocado. Esteve loiro, preto, vermelho, na cor natural (castanho claro), rapado, comprido, de novo vermelho e agora com um corte “ursino” chamado “French Crop”.

Twitter BFFs
Teve também o twitter né? Esse ano foi o ano do twitter pra mim. Com a compra do meu primeiro “espertofone”, o HTC Touch e por último o Motorola Milestone, eu passei a ser um assíduo (e pq não dizer viciado) do Twitter, do Facebook, do Buzz, do FourSquare... Também passei a ler todas as minhas notícias preferidas num lugar só, no Google Reader. Esse também foi o ano que eu me rendi ao Google e a todos os seus recursos.

Na faculdade, tive o meu melhor desempenho no curso, na matéria do professor Fernando Ebrahim e do professor Wilson Costa, ao mesmo tempo que tive meu pior rendimento nas matérias dos professores Marinaldo e Simone. Desenvolvi ótimos trabalhos e trabalhos horríveis. Matei muita aula pra trabalhar, assim como matei muita aula pra lanchar na cantina. Assisti muita aula prestando mais atenção no twitter que na aula, assim como assisti muitas aulas que de tão interessantes que eram, me faziam desligar o computador para prestar mais atenção (e sem o professor pedir pra desligar o notebook, praqueles que lembram do episódio).

E o mais importante de tudo: vivi um ano de muitas tristezas e de muitas alegrias. Não digo que se tivesse a chance faria tudo de novo. Também não me arrependo tanto das coisas que queria que esse ano não existisse. São momentos, e cada momento em especial têm seu simbolismo pra mim. Se me arrependo ou não de ter feito algo, isso não é algo com que me preocupo, pois já passou e se se repetir, vou encarar como se fosse um novo momento. E assim espero ser no próximo ano.

Eu não sou uma pessoa organizada. Não num nível global, saka? Eu consigo manter um cronograma de viagens, por exemplo. Mas não consigo sequer lembrar do cronograma de atividades da faculdade. Consigo economizar dinheiro, mas também não posso sequer sair pra andar a esmo com minhas amigas quando tenho dinheiro. E nesse ano que vai chegar, a única coisa que vejo é que será um ano de luz pra mim. Minha intuição me diz, nenhuma religião/seita/esoterismo/opinião me fala.

A propósito, este ano que passou eu mudei meus conceitos espirituais. Nada de seguir uma religião, de seguir um dogma. Não importa se é uma religião como a wicca, um conceito como o esoterismo ou uma expressão de opinião, como o ateísmo. Eu passei a acreditar em mim mesmo. Eh a única coisa que tenho controle nessa vida (e olha que nem tenho tanto controle assim) e, de verdade, é a única coisa que eu realmente preciso acreditar. No entanto, meu olhar pra estes conceitos anteriores mudou. Os vejo como expressões do pensamento humano. Nada de criticar o evangélico por ser fervoroso ou o esoterico por ser pseudo-ciência ou mesmo ainda o ateu por seu ceticismo. Todos só tentam explicar o mundo sob sua ótica específica. E no final das contas, quem realmente se importa com isso? Esse é meu novo eu. Pode não ser o certo mas é o mais sincero que posso ser comigo mesmo.

E para o ano que vem, o que espero? Bom, eu espero que ele chegue logo (hehehehe). Pela primeira vez vou passar a virada do ano com meus amigos (e muito etílico na cabeça) e não com minha família. Não que sejam menos especiais. Eles são. Mas esse ano quero comemorar com aqueles que realmente se mostraram ser as pessoas a quem dou o título de amigo. Meu conceito de amigo pode ser diferente do de outros, e que seja, já que os amigos são meus, não dos outros. Queria que pessoas especiais estivessem sempre perto, mas me conformo em saber que eles estão bem, mesmo estando longe.

Também espero pegar minha moto nova ano que vem! Que venha a minha primeira moto street. Assim como a Janaína viajou pelos ermos desérticos do Tocantins, que a nova moto me leve pelas estradas à lugares ainda mais distantes. Ela não têm nome, pq tenho de andar nela primeiro e sentir seu nome. Sim, só assim escolho um nome de uma moto.

Outra coisa que espero para esse ano terminar meu curso superior. Já tenho uma idéia de TCC formada na cabeça. Só falta achar meu orientador pra transformar essa idéia em uma aplicação. E também espero o mesmo pra meus colegas de faculdade, que me acompanham desde o ano de 2009.

E, como é de costume, espero um ano melhor que esse ano que passou. Com mais momentos bons, com mais momentos ruins, com mais provações, com mais alegrias, com mais amigos, com mais twitter, com mais piadas toskas, com mais posts no blog, com mais visitas também e, mais importante, com mais uma volta em torno do Sol.

Então, até daki aproximadamente 939.889.369,194912 km (já que nossa velocidade média é de 29,783 km/s e o ano têm 31.471.985,64522676 segundos, e considerando as paralaxes diárias). Espero que da próxima vez que estiver nessa posição, novamente no signo de capricórnio, depois das comemorações do solstício de inverno/verão e do nascimento das crianças da promessa, eu tenha mais coisas para contar. E com certeza terei, pois quanto mais achamos que o ano que passamos é estranho, vem o outro ano e mostra que estávamos redondamente enganados!

Então, um bom recomeço de ano!