quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

HTC Touch, impressões finais

Bom pessoal, a maioria de vocês sabe bem que eu comprei há um ano atrás um smartphone com Windows Mobile para usar no meu dia-a-dia. De lá para cá, passei por vários entendimentos e desentendimentos com meu Touch. E hoje? O que eu faria? Eu voltaria para meu Samsung D900i.

A história é interessante. No final do ano passado, eu havia decidido que não esperaria mais para comprar um smartphone com o Android, e decidi então procurar um até poder comprar um com Android.

Desde então, comecei a estudar um aparelho que se adequasse às minhas necessidades, mas nenhum era completo. No meio dessas frustrações a minha paciência se esgotou, e eu resolvi partir para “comprar um só para quebrar o galho”.

Nesse meio termo, eu encontrei uma empresa chamada HTC que recentemente havia lançado um produto baseado no Windows Mobile, chamado HTC Touch.

No começo, eu fiquei meio intrigado com ele, mais depois fui me afeiçoando, mais do que estava pelo Android ou pelo OpenMoko.

Contrariei tudo o que eu sempre costumo falar para vocês que me enviam emails com dúvidas. Para piorar, cometi o erro de “pagar caro para pegar na hora”. No mês de dezembro acabei comprando o dito cujo.

O que mata no HTC Touch, é o fato de ele ser extremamente LERDO. Praticidade é tudo… tudo o que você não tem em um aparelho que engasga para executar a maioria das operações. O Windows Mobile também me decepcionou um pouco no quesito usabilidade, mas aí não é culpa do pobre do HTC...


De agora em diante, sem teclado QWERTY físico não dá.

Você pode baixar quantos teclados virtuais quiser, mas o Touch é lindo por ser minúsculo. Se o teclado for grande, você digita quase bem, mas não vê mais nada além do teclado na tela.

Enviar emails, postar no twitter ou digitar endereços no Opera Mobile são atividades complicadas de se fazer em movimento. Você precisa parar no meio da rua, e acaba chamando a atenção de todo mundo para o seu aparelho.

Quanto ao Android, até que eu tenha a oportunidade de testá-lo no dia-a-dia, tomo a liberdade de não incluí-lo nesta regra. Se você já usa um, diz aí se o teclado é prático.

O HTC Touch tem Windows Mobile 6.0! Isso é bom, não?

Você já tentou instalar o Windows Vista em um Athlon 1.3ghz com 512MB de Ram? Uma dica: não tente.

Na melhor das hipóteses o sistema roda, mas é um programa de cada vez. No caso do Touch, certos programas eu sequer consegui rodar, nem com overclock. O belo travava, e só retirando a bateria para resolver. Sem falar que, para usar o programa para tirar fotos, você precisa praticamente fechar todas as outras aplicações. Um saco.

Pelo menos o Windos Mobile sincroniza todos os dados do telefone com o PC.

Teoricamente sim, mas isto não é uma exclusividade do WM. Aliás, desconsidero completamente esta hipótese, após várias tentativas mal sucedidas de tentar sincronizar o Touch com o meu notebook com Windows XP.

Linux então? Até desisti de tentar fazer sincronia. Atualmente uso meu notebook somente para carregar as baterias do Touch. Qualquer transferência de dados faço usando o adaptador de cartões MicroSD. É mais rápido e mais prático.

O Touch é um excelente player musical

Sinceramente, meu D900i era muito melhor!!

Eu sempre usei meu celular como player digital, e logo que comprei meu HTC, tratei de equipá-lo com um cartão de memória de 1GB. Depois de um tempo, comecei a notar que ouvir música nele por mais de uma hora me dava dor de cabeça. Já tinha ficado claro para mim que os fones originais eram meia-boca, mas só depois de outros testes fui constatar que era pior do que eu pensava.

O som é bem agudo, e escutar música com o volume um pouco mais alto (necessidade quando se está dirigindo a moto ou em locais movimentados), me dá a sensação de estar enfiando uma agulha no ouvido.

Até comprei um adaptador para usar outros fone nele, mas paguei caro e ainda por cima o adaptador estourou depois de uma semana de uso.

Os controladores físicos de volume, e de troca de faixas do Touch também não funcionam se o aparelho estiver em stand-by. E ouvir músicas sem colocar o aparelho em stand-by, é pedir para drenar a bateria em poucas horas.

Aí você que escolhe entre ficar tirando o aparelho do bolso e correr o risco de ser roubado, ou simplesmente não usá-lo porquê a bateria acabou durante a viagem.

Sem contar outra coisa: Quer usar algum toque personalizado para mensagens ou para despertador? Desista. Eu já tentei de tudo para fazer meus mp3 servirem de toques de mensagem ou de despertador, mas nada resolveu meu problema.

Outra coisa interessante. Depois de vários anos usando meus celulares como players de música, foi só com o Touch que me veio a idéia de comprar um MP3/4/5/6/7/8/9 Player em separado. Veja só !!

Concluindo

O HTC Touch ainda é um pouco caro para a potência do aparelho. Sei de gente que vive muito bem com o ele, e o indica. Eu diria que ele é um aparelho de entrada para o mundo dos SmartPhones, mas é um pouco caro demais por ser de entrada.

Não aconselho a compra se você é (assim como eu) um pouco mais exigente.

Se fosse hoje, eu provavelmente teria optado por esperar o lançamento do HTC G1 (Android) ou pelos celulares da Samsung (Meu preferido: i8510 INNOV8), por conta da boa experiência que tive com os D500, D600 e D900i. Tarde demais.

Dizem que não é uma boa idéia fazer compras quando se está com fome. Pura verdade.

P.S.: Nada contra Bia, mas lutei muito tempo pra aprender a gostar do meu Touch, mas decididamente não foi dessa vez que eu me senti bem com meu aparelho. Vc se deu muito bem com o seu, mas eu não me senti totalmente feliz com o meu, tanto que estou até tentando comprar novamente um D900i ou um INNOV8 daqui para o final do ano.

Só para não frustrar quem veio aqui procurando sobre funcionalidades para o Touch, aqui vai o link do blog da Bia, o Garota sem Fio, que trata sobre tecnologia.