sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Alô companheiros que navegam no orkut!

No blog baixa-definição, na Info.

Fala sério que o Lula-nove-dedos falou isso né!! Acompanhem.

O título deste post não é meu, mas do presidente Lula. Luis Inácio é a estrela maior numa constelação de políticos que invadiu as redes sociais para defender, vá lá, suas idéias.

O vídeo de Lula é emblemático porque um presidente não faria uma pausa em sua agenda para gravar um “agradecimento aos orkuteiros” se sua equipe não estivesse convencida da importância que o vídeo na web e as redes sociais têm para influenciar a opinião pública.

Na campanha de 2006, petistas e tucanos trocaram sopapos em todas as plataformas. Na web, os detratores de Lula pegaram pesado para detonar o então presidente-candidato. Mobilizar seus defensores para reagir à luta eletrônica motivou Lula no vídeo que você vê no final do post.


Na época, o rival Alckmin respondeu com vídeo-mensagem para "o pessoal do orkut".

Na reta final destas eleições municipais, não há um só candidato importante, em capital, que ignore os vídeos online. Gabeira, por exemplo, tem até canal próprio no YouTube. Seu oponente na disputa pela prefeitura do Rio, Eduardo Paes, apinhou seu site de vídeo embarcado.

Em São Paulo, os postulantes Kassab e Marta são mais profissionais e não dependem da infra do Google. O candidato do DEM leva ao ar a TV K. Nesta quarta (22), o destaque é um jingle detonando Marta por ir a Paris. Já no site de Marta, o principal destaque é um.... vídeo! Nele, Marta promete “a verdade sobre o debate da Record”.

Na hora de fechar coligações, os políticos fazem os acordos mais questionáveis de olho num filão maior do horário eleitoral na TV aberta. Agora, os marqueteiros estão antenadíssimos também com vídeo na web.

Um breve detalhe, quase sem importância, é que a Justiça Eleitoral simplesmente não permite vídeos políticos na web fora dos domínios ponto can e dos sites de partidos. A eleição termina domingo e o TSE segue refletindo profundamente sobre o assunto.