terça-feira, 30 de setembro de 2008

Instale o Google Chrome no Linux utilizando Wine

O pessoal do Google Discovery postou um artigo muito bom sobre como instalar o Chrome no Linux. Vale a pena ver:

O Google Chrome, o novo navegador do Google, está dando o que falar. Todos querem tê-lo, até mesmo os usuários de Linux. Embora ainda não exista uma versão para Linux, o pessoal do site My Science is Better encontrou um modo de executa-lo através do Wine, uma plataforma dentro do Linux que permite executar aplicações do ambiente Windows.

Chega de blá blá blá e vamos lá ...

Tutorial no Google Discovery

domingo, 28 de setembro de 2008

Pelo direito de votar em branco

Decepção. Esse é meu sentimento diante dos escândalos políticos que se revelam um após o outro. Mas depois do desapontamento vem a indignação. Uma das maneiras de expressá-la tem sido o incentivo ao voto nulo ou branco, através de movimentos que proliferam principalmente pela internet. O Tribunal superior Eleitoral fala das diferenças entre esses dois tipos de voto, o que eles podem acarretar para o processo eleitoral e seu significado em uma democracia.

Do site do TSE:
É considerado voto nulo quando o eleitor manifesta sua vontade de anular seu voto, digitando na urna um número que não seja correspondente a nenhum candidato ou partido político oficialmente registrados.

É considerado voto branco quando o eleitor manifesta sua vontade de não votar em nenhum candidato ou partido político, apertando a tecla BRANCO na urna.

O voto branco, assim como o voto nulo, é apenas registrado para fins de estatísticas e não é computado como voto válido, ou seja, não vai para nenhum candidato, partido político ou coligação. Antes da Lei 9.504/97, o voto branco era considerado válido, desde então não é mais.

Fonte: Tira-dúvidas TSE

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Horóscopo Celta na Roda Astrológica

A mitologia celta não deixa nada a dever da grega. O grande diferencial está justamente em responder questões sobre nossa atualidade, como o papel da mulher na sociedade e a relação entre humanos e a natureza. Por tudo isso, a mitologia celta não fala somente de deuses distantes ou de arquétipos psicológicos. Os deuses celtas estão vivos em cada um de nós, e podem nos mostrar como lidar com muitos dos problemas que nos afligem atualmente.

Pensando nisso, estou aqui postando um material sobre a correlação entre a roda astrológica baseada em arquétipos da mitologia grega e a sua ligação com cada uma das várias deusas da mitologia céltica. Espero gue gostem.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Hoaxes: Pulhas, Boatos ou Lendas Virtuais

Já repararam que só aumenta o número de spams na Internet? Não sei se dá para segurar o surto, mas resolvi escrever sobre o assunto, sabendo eu que a higiene digital exige a faxina na própria rede de relacionamentos.

O que são pulhas ou lendas virtuais?

São os boatos, informações infundadas que muitas pessoas espalham por emails e fóruns, que só fazem aumentar o tráfego mundial da Internet. Também chamados de hoax.


O que autores de boatos ganham com isso?

- Recolher inúmeros endereços de emails, que vão sendo anexados à notícia original cada vez que alguém a redireciona ou encaminha. Ao repassar para os amigos da sua lista, você ingenuamente acaba de indicar que todos eles são válidos, e é justamente a confirmação dessa validade que interessa ao spammer, que é quem compra essas listas de emails válidos ao final. Ou seja, você trabalha para o spammer, sem saber.
- Outros motivos: Pregar uma peça (o infame 1/ abril) nas pessoas ingênuas; difamação, a estratégia da anti-comunicação, entre outros.

Que vulnerabilidades são exploradas?

- Desinformação e preguiça mental. A maioria das pessoas novas na Internet ainda estão deslumbradas com esta mídia. São crédulas e pouco questionadoras. E essa ignorância associada a facilidade em encaminhar emails, gera correntes sem fim de spams, mundo afora.
- Carências emocionais, boa-fé. Essas são exploradas em correntes para doação de dinheiro para vítimas de tragédias ou doenças.
- Pânico, medo. Muito usado quando o assunto do boato é sobre vírus.
- Curiosidade mórbida. O sensacionalismo usado com o intuito de seduzir.
- Pseudo-esperteza. Mania de querer se dar bem, também conhecida no Brasil por Gersismo (Lei de Gerson). É a clássica situação do email que promete pagamentos por quantidade de pessoas reenviadas. Como todos os anos a Internet recebe milhares de novos usuários, esta tática acaba funcionando. Fique esperto!
- Pseudo-cidadania. Os abaixo-assinados eletrônicos, de causas até sensatas mas por não conterem assinatura, não tem valor legal. Você acaba digitando seu nome lá e soltando o email, fazendo a festa dos spammers.

Saiba Que (reproduzido da página sobre hoax na Wikipedia):

- deletar uma corrente ou hoax não provocará a ira ou castigos de deuses ou de santos, tampouco a morte, doença ou miséria de ninguém;
- o simples repasse e proliferação de mensagens nunca rende dinheiro a terceiros, assim como correntes pela Internet nunca trazem qualquer lucro financeiro a nenhum internato;
- nem a Anistia Internacional, nem a Cruz Vermelha ou qualquer outra instituição humanitária, pública ou privada jamais promoveu campanhas se utilizando de repasses de mensagens para emails particulares;
- campanhas humanitárias só podem ter credibilidade se houver um prévio e amplo conhecimento e divulgação do fato através dos meios de comunicação de massa, coordenado por uma instituição idônea;
- não há registros de casos voluntários e anônimos de campanhas de ajuda ou socorro a vítimas de penúria, saúde dramática, calamidades, sequestros, desaparecimentos, anistias ou indultos;
- alertas sobre vírus só merecem atenção se partirem de uma instituição especializada e confiável;
- abaixo-assinados recolhidos via Internet não têm qualquer valor jurídico ou administrativo, nem tampouco credibilidade como manifestação ou pressão social;

Prevenções
- Aprenda a desconfiar de certos tipos de email. Saiba como identificar hoax.
- Sempre procure se informar antes de reenviar algum alerta ou notícia-bomba. Como? Fazendo uma simples busca no Google, usando como palavra-chave o título do email que você recebeu.
- Desconfie da ingenuidade de seus amigos(as) menos experientes que você na rede, que vivem te enviando spam sem saber. Ofereça um link deste tutorial e peça para eles lerem.
- De tão famosas, algumas “estórias” dão a volta ao mundo. E acabam catalogadas. Basta uma visita em alguns desses sites para descobrir a enorme quantidade de boatos que circulam por aí.

Conheça dezenas de hoaxes já catalogados:
Lendas e folclore da Internet (em português), listados por ordem alfabética;
Hoax Busters (em inglês)
Museum of Hoaxes (em inglês)

Agora, se você quiser rir, nada melhor que ver algumas lendas urbanas na opinião dos editores da Desciclopédia !!

Fonte do Artigo: novasinapse.com

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Fazendo Buscas Eficientes no Google

Há alguns dias eu estava analisando as estatísticas do Analytics e do Webmaster Tools, ambos do Google, para a criação de um relatório que mostra o crescimento do blog nesses últimos 12 meses de vida. É muito interessante como o blog cresceu em visitações (e em pagerank) nesse último ano. Várias pequenas mudanças foram feitas no blog para que o conteúdo ficasse mais acessível para os visitantes. No entanto, por mais acessível que o conteúdo possa estar, existe um outro problema. Como a busca foi feita.

Dizia meu professor de matemática, da época do ensino médio, que "Noventa por cento da resolução do problema está em como a pergunta foi elaborada". Pensando nisso, e analisando os termos de busca que levaram os visitantes ao meu blog, eu constatei que muitas pessoas ainda não sabem escolher as melhores palavras-chave que vão permitir que o conteúdo que eles desejam apareça na listagem.

Nesse último ano, 77,56% das visitas do meu blog (yahoo: 1%) foram geradas pela busca do Google, enquanto em apenas 7,85% das visitas os usuários usaram alguma forma de acesso direto (digitação do endereço, favoritos, etc). E o mais engraçado é que muitas vezes, os termos de busca não têm muito a ver com o conteúdo que estes visitantes procuravam, ou acreditavam procurar.

Um exemplo clássico é o do termo de busca "de que época vem o hábito de jogar arroz nos recém-casados?". Há tantas palavras chaves que o buscador têm bastante dificuldade de criar uma lista que realmente seja eficiente. Uma sugestão para esse caso seria "hábito jogar arroz casamento".

É pensando nisso que resolvi juntar um pouco de informação e montar um tutorial básico para buscas no Google, que considero o melhor buscador hoje. Espero que seja útil. No final, há uma lista dos termos de busca mais estranhos que já levaram visitantes ao meu blog. Se você se identifica com algum dos termos, aproveite pra aprender a fazer boas buscas e ter resultados mais eficientes.


Tutorial: Como fazer buscas eficientes no Google

Digitar algumas palavras na caixa de busca do site ou em uma das barrinhas que complementam seu navegador é tarefa fácil, mas você sabe usar os recursos mais avançados do buscador? Estão todos lá na página de “Busca Avançada”, mas também podem ser acionados a partir do campo de busca, desde que se conheça os comandos necessários. Vamos a eles...

Operadores lógicos

O pessoal da antiga já conhece os comandos ditos “booleanos”, por derivarem do sistema lógico-algébrico criado pelo matemático inglês George Boole. O “AND” (e) é dispensável no Google, que busca automaticamente por páginas que contenham todas as palavras digitadas no campo correspondente (com algumas exceções). Ferramentas mais antigas exigiam que se escrevesse “Fotografia AND Digital”, por exemplo.

O operador “OR” (ou), porém, deve ser incluído para buscar uma palavra ou outra, como em “câmera OR máquina fotográfica”. Para contornar as exceções mencionadas acima (geralmente palavras muito comuns ou caracteres isolados, ignorados na busca para torná-la mais rápida), também pode-se usar o sinal “+”. Buscar por “letra A” ou “letra +A” gera resultados bem diferentes... experimente.

O oposto também pode ser bem útil: com o sinal “-”, conseguimos evitar resultados que não nos interessam por conter uma palavra aplicada em um contexto diferente. Procurar por “lula -presidente” é uma forma de encontrar mais páginas sobre as lulas de dez tentáculos do que sobre o Lula de nove dedos. Em tempo: para o Google, “Lula”, “LULA” e “lula” é tudo a mesma coisa.

Por fim, vale mencionar o uso das aspas... as que usamos até aqui são apenas para identificar os exemplos e não devem ser digitadas no campo de busca. Mas se você quiser procurar por uma frase completa, e não pelas palavras espalhadas por uma página, basta colocar a expressão entre aspas. “José da Silva” encontra apenas referências ao nome completo, enquanto José da Silva localizará páginas em que sejam citados o José das Couves e o João da Silva.

Links, domínios e afins

A próxima leva de comandos avançados do Google reúne referências específicas da Internet. O termo “site:”, por exemplo, restringe os resultados da busca às páginas de um determinado domínio – que pode inclusive ser o de primeiro nível de um país. Assim, “celular site:wnews.com.br” traz resultados da busca por “celular” apenas do site em que estamos, enquanto “celular site:br” retorna só endereços com o sufixo do Brasil.

É importante não confundir o comando acima com o “inurl:”, que busca os termos em questão apenas no endereço dos sites. “inurl:news”, por exemplo, mostra páginas que tenham a palavra “news” em algum lugar de seu endereço, como “wnews.com.br” ou “oi.com.br/news”. Se for mais de uma palavra, pode-se usar a variante “allinurl:”, para obrigar os resultados a conter todas elas.

Uma dupla semelhante são os comandos “intitle:” e “allintitle:”, sendo que estes procuram ocorrências da palavra (e das palavras, respectivamente), apenas no título das páginas – aquele que aparece na barra do alto da janela do navegador (definida pela tag <TITLE> da linguagem HTML, para quem é mais técnico).

Em tempo: tanto os comandos inurl/allinurl quanto os intitle/allintitle exigem o uso do sinal de dois pontos, “:”, sem espaço depois. No caso das versões sem o “all”, podemos repetir várias vezes o comando e combiná-lo com buscas comuns (de palavras em qualquer lugar da página), como em “inurl:news inurl:world brazil”.

Outro comando muito interessante é o “link:”, que retorna apenas as páginas que contenham links para determinado site e é superútil para se medir a popularidade de um site e saber de ondem vêm suas visitas. O exemplo “link:www.wnews.com.br” procura as páginas com links para o WNews – repare que neste caso é importante colocar o “www” antes da URL (e logo depois dos dois pontos).

Por fim, se você quiser encontrar páginas semelhantes a uma outra qualquer, o comando é o “related:”. Já se o objetivo for saber mais informações sobre a página ou acessar diretamente as páginas que linkam pra ela, são semelhantes ou contêm aquele termo, o caminho é o “info:”. Experimente procurar por “info:www.wnews.com.br”, por exemplo.

Contas e conversões

Você sabia que, além de buscar informações, o Google também é uma calculadora e conversor de unidades? Experimente digitar “2+2” no campo de busca, por exemplo. Fácil? Tente “3rd root of 125” para encontrar como resultado o número 5, raiz cúbica de 125, ou “10!” para saber que dez fatorial equivale a 3.628.800 – ótimo para os vestibulandos de plantão. Isso qualquer calculadora melhorzinha faz, não é mesmo? Então vamos complicar...

Que tal usarmos o serviço para converter unidades de medida? Basta saber um pouco de inglês para escrever “50 feet to meters” e descobrir que 50 pés equivalem a 15,24 metros. E, para quem curte exercícios ou está querendo emagrecer, digitar “160 pounds * 5 km in calories” responde quantas calorias um indíviduo de 160 libras (não funciona em quilos, infelizmente) queima em 5 quilômetros: 85 mil!

A calculadora do Google também é ótima para converter números decimais em binários, hexadecimais e até algarismos romanos – e vice-versa. Para fazer cálculos com eles, os binários devem ser precedidos do código “0b” e os hexadecimais, de “0x”. A expressão “0b1011001 in roman numerals” retorna LXXXIX, a representação romana para o número 89, ou 1011001 em binário.

Achou pouco? Tratemos de converter grandezas mais dinâmicas, então: digite “20 reais to euros” para saber que uma nota com a estampa do mico leão dourado vale € 8.24 na cotação de quando este texto foi escrito. E você nem precisa saber o nome das moedas: “500 USD in japanese money” revela que US$ 500 valem 53.972,36 ienes, a moeda da Terra do Sol Nascente. Para mais comandos da calculadora, é só acessar http://www.google.com/help/calculator.html

Lista das buscas mais cabulosas do meu blog, em 12 meses



Eu não vou citar todos os exemplos, pois eles dariam para preencher várias páginas com explicações e teorias para tentar entender o que a pessoa estaria procurando. No entanto, vou colar aqui uma listinha dos termos de busca mais estranhos que já passaram por esse blog:
c:\arquivos de programas\arquivos comuns\windowsliveinstaller\msisources\

como fazer conserva de jurubeba

como enviar scrap para pessoas que nao sao amigos

historias de homem que matou lobisomem

significado de molho doce no antigo testamento

existe alguma antena caseira que pegue canais outros alem de vhf ,uhf e radio ?

erro de acesso a memoria como descobrir no delphi

introdução ao cálculo de curto-circuito em sistemas elétricos+blogspot

modelo de como fazer uma antena wireles com fiode cobre

O porque a separaçao do estado de tocantins com o de goias

como aumentar o desempenho da cpu do meu qtek a9100

como compilar 2 arquivos fonte para gerar um único arquivo no linux

como obter um maior ganho da antena ominidirecional entre 1 e 5 quilometros

mandar mensagem pra lista de amigos orkut sem propaganda

mulheres de gemeos detestam homens sensíveis

o que acontece com o sinal de onda quando dentro da lata de pringles

tentei instalar delphi 2007 deu seria number invalid

E as duas buscas mais sem noção que eu vi:
antenas dipolo de 1/4 que tem um ganho de 31,25mm de onda, que sao feitas em casa, estas pegam sinal de tv ?

você é o pior de todos: desconfiado, ciumento, vingativo, obsessivo, compulsivo sexual, malicioso, frio, orgulhoso, cínico, pessimista, fofoqueiro e traiçoeiro nos negócios, ou seja, você é o perfeito filho da puta. só ama sua mãe e a si mesmo.

Fonte:
Info Corporate

sábado, 20 de setembro de 2008

Não somos tão gentis assim

Outro dia destes quase fui posto à fogueira. E nem precisei ser herege, fui simplesmente eu e expressei o que acho sobre a “bondade” das pessoas. Afirmei: “As pessoas não são boas, nem gentis, são convenientes.” E então quiseram me crucificar. Pois bem, deixe-me explicar antes que você se revolte também.


Você acha que está sendo gentil, bondoso, quando cede seu acento pra grávida no ônibus ou talvez o seu ombro para o ceguinho atravessar a rua? Não, você está sendo conveniente. E sabe por quê? Porque você é o maior interessado nessa estória toda. Precisa estar em paz com a sua consciência, precisa ter a consciência de que é uma pessoa “boa”. Consciência essa que o sistema formatou em seu cérebro. Nascemos puros, simples e ignorantes, afirmou alguém um dia, e isso é fato. Você faz atos de bondade não porque é essencialmente bom, faz isso ou aquilo de bom porque pega bem perante as pessoas do seu convívio e responde ao comando que escreveram na sua mente: você precisa ser bom. Alguns chamam isso de valores, a carga de instruções que recebeu ao longo desta vida, e para outros, de outras vidas.

Você se preocupa com o bem estar ou o futuro do planeta simplesmente por que é uma pessoa bondosa ou por que precisa deixar algo de bom para os seus descendentes? Não. Você deve estar preocupado com isso porque se ainda estiver vivo, vai sofrer com as conseqüências da poluição, ou talvez porque seu conveniente instinto de existência ordena que você deixe o planeta habitável para os que representarão você no futuro. Você dá presentes simplesmente por que gosta? Talvez faça isto só por que agrada seu ego, o ego de se parecer “bom” para a “querida” pessoa presenteada. Não somos tão bons assim, somos pessoas que na maior parte do tempo obedecemos a ordens que nos deram. A idéia de bondade tem seu valor, é importante para existirmos. Do contrario, seriamos completamente anarquistas e não nos suportaríamos. Devemos ser convenientes para manter a ordem.

Ih caramba! Depois de todo este discurso pesado, preciso ser bom, ou melhor, ser conveniente e ponderar o que eu disse pra não ser apedrejado como as sábias bruxas do passado.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

O Armário: como e quando sair dele

"Mas, onde foi que eu errei?"

Essa é a pergunta que muitos pais fazem quando descobrem que o filho é homossexual. Há famílias que ainda se escandalizam e demonstram ansiedade diante da possibilidade de seu filho “homem” um dia revelar a homossexualidade. A minha mesmo, quando souber (se algum dia eu realmente contar pra eles, o que não acredito ser plausível possível) terá uma reação próxima disso.

A metáfora do armário já é mais do que conhecida no meio GLBT, mas seus significados, a meu ver, podem ser os mais diversos. Em geral, significa se assumir como homossexual, mas isso muitas vezes é por demais complexo. O que é se assumir? Como se assumir? Que comportamentos podem servir como medida para que se possa afirmar que um gay é assumido.

Já pensei muito sobre o assunto. Minha própria experiência e contatos com outras pessoas me mostram que a questão não é simples. O primeiro passo, geralmente, é o de contar para os pais e familiares mais próximos. O que é, desde o começo, um investimento muito grande devido ao medo de ser rejeitado, de ser expulso de casa, de ser renegado à condição de “ovelha negra” na família. Para muitos, assumir tais “riscos” é insuportável, devido aos vínculos de dependência emocional e financeiro em relação aos pais.


Para um adolescente gay, por exemplo, assumir-se para a família – a depender do tipo de formação moral, valores e postura adotada por ela – pode ser por demais difícil, pois implica muitas vezes em sofrer o preconceito dos pais e irmãos, sendo vítima de violência moral ou física, podendo até mesmo ser expulso de casa e passar por maus bocados. Situações como essas não são raras, sendo, infelizmente, mas comum do que imaginamos e um dos principais medos do jovem gay, afinal não podemos deixar de considerar que a família se constitui no primeiro e principal contexto de socialização do indivíduo, onde introjetamos nossos valores e adquirimos os nossos primeiros papéis sociais e repertórios identitários.

Se opor à família pode significar, muitas vezes, separar-se de uma parte de si mesmo, enlutar-se, morrer e renascer das cinzas. O que para alguns pode ser uma vitória, uma carta de alforria, assumir o rumo de suas próprias vidas, para outros pode causar uma dor muito grande, insuportável, que leva a depressão e a atos de auto-destruição, como o suicídio. Negar-se a si mesmo, no entanto, pode ter os mesmo efeitos negativos sobre si.

Na escola, também, desde cedo os jovens gays são submetidos a modelos de gênero. Meninos e meninas são separados e cada um aprende a assumir certos papéis sexuais. O que é ensinado em casa, na escola é sedimentado. Na aula de educação física, meninas jogam vôlei e baleado e meninos jogam futebol. Principalmente na adolescência, há a pressão de assumir certos comportamentos sexuais. As paqueras começam a rolar, o desejo, o interesse pelo amiguinho ou amiguinha. Na adolescência se experimenta. Mas “assumir” o próprio desejo, ainda tão incerto, indefinido, é difícil, pois o tempo inteiro os colegas soltam piadas, há a fofoca do banheiro e do corredor: “Fulano pegou cicrana”, “Mariazinha tá de olho em Joãozinho”, “Acho que Pedrinho é gay, pois não joga futebol!”, “Joaninha é sapa, tava de pegação no banheiro!”.

Nesse primeiro momento enfoco a família e a escola, pois são nossas matrizes e os primeiros contextos de socialização. As experiências que travamos nesses contextos deixam marcas permanentes em nossa história de vida, marcas essas que podem causar impactos enormes no amadurecimento emocional, nas estratégias futuras de enfrentamento em outros contextos interacionais.

Já conheci gays que aos 30 anos ainda não tinham contado para os pais que são gays. Outros, tiveram a coragem de contar para os pais na adolescência e foram expulsos de casa ainda cursando o segundo grau, tendo de abandonar ou postergar os sonhos de fazer medicina. Outro, na mesma situação, saiu de casa e entrou para a prostituição como alternativa que lhe permitiu o sustento e a vivência da sexualidade. Tive amigos que, mesmo com o canudo universitário, sofrem preconceito em congressos e temem pelo preconceito dos clientes e de colegas. Alguns são militantes e lutam pelo direito de casar, ter filhos, partilhar bens com o companheiro. Para alguns, o medo de se assumir implica na impossibilidade de viver uma vida a dois, na descrença na possibilidade de um relacionamento duradouro, com amor e respeito, mesmo mantendo ainda o sonho de um dia encontrar o par ideal partilhar a vida e a velhice.

Quando escrevo isso, penso em mim mesmo, em meus caminhos escolhidos até agora, nos medos que alimento, nos passos corajosos que dei, mesmo temeroso, na cautela de me assumir para alguns amigos e me esconder para outros, de manter minha aparente heterossexualidade, mesmo vivendo ou amando outro homem. Escrever esse artigo, em si, já é um passo a mais para fora do armário. Assinar essas palavras com meu nome é me assumir gay, ao mesmo tempo em que digo que sou homem, sou pessoa, amo, sinto, desejo, trabalho, sonho e vivo. E estar com outros “iguais”, tão diferentes de mim, tão únicos, é ver que somos humanos, independente de qualquer rótulo.

O armário, como a casca de um ovo, pode nos proteger e nos assegurar a preservação de nossa própria essência humana. Às vezes precisamos nos esconder dentro dele, ficar quietinho, pensando, dormindo, sonhando. Outras vezes precisamos fazer uma faxina, jogar tudo em cima da cama, pegar as coisas velhas e sem utilidade e jogar fora. Sair e ver de fora o que somos, quem somos e como somos, com a consciência de que não somos sozinhos no mundo, e que outra pessoa também pode vir, abrir a porta do armário e adentrar nossa intimidade. Não nos tranquemos em nossos armários com cadeados. Mantenhamos eles, pois somos nós mesmos, com as portas sempre entreabertas!

Para aquelas pessoas que realmente me conhecem e que se importam comigo, não é novidade isso que contei. O motivo de ter postado justamente hoje, no meu aniversário é meramente simbólico, mas para mim têm uma importância mais cármica, por assim dizer. Sei que algumas pessoas próximas a mim não entendem (e provavelmente nunca entenderão) a extensão disso tudo, vivendo somente no mundo que lhes é conhecido. Fico somente na esperança de que um dia consigam entender o que significa tudo isso.

Entenda mais sobre o que estou falando:
- Sair do armário - Ritos de iniciação e de passagem

Fonte: Núcleo Universalidade e Diversidade Sexual

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Estudo diz que música pode afetar sabor do vinho

Mais uma para a série "De jornais e notícias sensacionalistas".

Fonte: BBC Brasil

Uma pesquisa realizada por psicólogos afirma que tomar vinho enquanto se escuta um determinado tipo de música pode afetar a forma como se percebe o sabor da bebida.

A pesquisa realizada por psicologistas da escocesa Heriot Watt University, em Edimburgo, demonstra que quando uma taça de cabernet foi tomada ao som de música pesada, o vinho foi percebido como "60% mais poderoso, rico e robusto" do que quando tomado no silêncio.


A pesquisa sugere que o vinho do tipo cabernet é "mais afetado" por músicas consideradas pesadas, enquanto o chardonnay teria a sua percepção de sabor modificada com "sons energéticos".

A pesquisa envolveu 250 estudantes na universidade, que receberam uma taça gratuita por sua cooperação.

Cantos de monges

Quatro música diferentes foram tocadas – Carmina Burana de Carl Orff ("poderosa e pesada"), Valsa das Flores, de Tchaikovsky ("sutil e refinada"), Just Can't Get Enough, do Nouvelle Vague ("energética e refrescante") e Slow Breakdown, de Michael Brook ("melosa e leve").

O vinho branco foi percebido como 40% "mais energético e refrescante" quando a música do Nouvelle Vague foi tocada, mas apenas 26% mais "meloso e leve" do que quando saboreado ao som de Michael Brook.

O vinho tinto chegou a sofrer variação de 60% na percepção de seu sabor quando acompanhado por Carmina Burana, a música "poderosa e pesada".

O professor Adrian North, que liderou o estudo, acredita que a pesquisa poderia levar produtores de vinhos a imprimirem recomendações de músicas nos rótulos de seus vinhos.

A pesquisa foi feita por encomenda do chileno Aurélio Montes, produtor de vinhos. Seus vinhos são produzidos aos sons de cantos de monges.

"Foi, portanto, um passo natural me ligar à Heriot Watt para determinar cientificamente o impacto da música no sabor do vinho", disse Montes.

Anteriormente, o professor North havia conduzido uma pesquisa na qual sugeriu que os consumidores comprariam cinco vezes mais os vinhos franceses em comparação aos alemães se houvesse o som de acordeão nos supermercados.

Ao som de uma bandinha alemã, o vinho alemão foi vendido duas vezes mais do que o francês.


Vinhos e sons

  • Cabernet Sauvignon: All Along The Watchtower (Jimi Hendrix), Honky Tonk Woman (Rolling Stones), Live And Let Die (Paul McCartney and Wings), Won't Get Fooled Again (The Who)

  • Chardonnay: Atomic (Blondie), Rock DJ (Robbie Williams), What's Love Got To Do With It (Tina Turner), Spinning Around (Kylie Minogue)

  • Syrah: Nessun Dorma (Puccini), Orinoco Flow (Enya), Chariots Of Fire (Vangelis), Canon (Johann Pachelbel)

  • Merlot: Sitting On The Dock Of The Bay (Otis Redding), Easy (Lionel Ritchie), Over The Rainbow (Eva Cassidy), Heartbeats (Jose Gonzalez)


Recomendação da chilena Montes

domingo, 14 de setembro de 2008

Cantadas

Sem nada para vazer, resolvi postar umas besteiras que recebi por e-mail. Não são nada novas e originais. Espero que não gostem hehehe.

Cantadas

Para cada cantada, uma resposta. Às vezes, a réplica é pior

Cantada: Este lugar está vago?
Resposta: Está, e este aqui onde estou também vai ficar se você se sentar aí.
Réplica: Obrigado, estava mesmo precisando de dois lugares, minha noiva já está chegando!


Cantada: Então, o que você faz da vida?
Resposta: Eu sou travesti. (putz!)
Réplica: Já tinha percebido! Você esqueceu de fazer o bigode!

Cantada: Será que eu já não te vi em algum lugar?
Resposta: Claro! Eu sou a recepcionista da clínica de doenças venéreas. Não se lembra?
Réplica: É isso mesmo! Você até me falou que estava pagando o seu tratamento com trabalho!

Cantada: A gente já não se encontrou em algum lugar antes?
Resposta: Já, e é exatamente por isso que eu não vou mais lá.
Réplica: Eu também nunca mais voltei, naquela zona só tem baranga.

Cantada: A gente vai para a sua casa ou para a minha?
Resposta: Os dois. Você vai para a sua casa e eu vou para a minha.
Réplica: Que pena! É que minha empregada foi embora e eu pensei que você pudesse ir lá em casa fazer uma faxina.

Cantada: Eu queria te ligar, qual é o seu telefone?
Resposta: Está na lista.
Réplica: Mas, eu não sei o seu nome.
Tréplica: Também está na lista, na frente do telefone.
X-plica: Mas qual é o anuncio? Acompanhantes ou Aluguel de tratores?

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Programmer's Day 2008


import datetime
x = datetime.date(2008, 1, 1)
y = datetime.date.today()
if (y - x).days == 256: 
    print "Feliz Dia do Programador, by Toca do Elfo!"

u_time hora_postagem = 1221215100;

Vamos lá, mais uma data festiva !!

O Dia do Programador é uma data festiva no 256º dia do ano, celebrada por programadores de computador em boa parte do mundo. Esta é uma data significativa para programadores porque 256 é igual a 28 (2 elevado à 8ª potência), e 8 é o números de bits de um byte.

O Dia do Programador é dia 13 de Setembro, exceto em anos bissextos, nos quais ele é comemorado no dia 12 de Setembro, pois esse é o 256º dia do ano bissexto.


Mundo afora a tradição inclui comportar-se de forma boba, codificar programas bobos, jogar jogos de computador, brincar com velhos computadores etc. Tudo isso, é claro, sob a condição de que o celebrante tenha feito códigos de qualidade nos outros dias do ano e tenha tentado ao máximo não se comportar como bobo nos outros dias. Para estes programadores que estão habituados a 'celebrações' em todos os dias de sua vida, esta data festiva é injustificada e redundante.

No Brasil

No Brasil a tradição ainda não existe, mas a data já se apresenta em spams por e-mail, fazendo com que a leitura de algum Spam também seja parte da celebração. Além disso, no meio acadêmico a data deve proporcionar um encontro dos primeiros programadores locais com os atuais, promovendo palestras e minicursos de linguagens que não são mais utilizadas, além de Assembly, Cobol e Basic, para que suas sintaxes não sejam esquecidas no futuro próximo.

Conversar sobre programação com quem não entende nada e assistir a filmes apreciados por programadores como Guerra nas Estrelas, Senhor dos Anéis, Filmes e séries de teor altamente científico também devem fazer parte dessa celebração.

Referências:
Wikipédia em Português:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_Programador
Wikipédia em Inglês excluiu a data:
http://m0smith.freeshell.org
Desciclopédia:
http://desciclo.pedia.ws/wiki/Dia_do_Programador
Programação de Computadores, na Uncyclopédia:
http://uncyclopedia.org/wiki/Programming_language

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Máquina do fim do mundo funciona amanhã (hoje)

Alguém aqui ainda se lembra de meu post de 08/08/08? Não? Bom, eu falei sobre o fim do mundo pelos físicos teóricos. Apesar de achar que as experiências vão dar certo e que eles descobrirão que a Partícula Divina - o Bóson de Higgs - existe, devemos concordar que é assustador pensar que experimentos podem destruir nossa bela terrinha.

Então, só pra deixar claro que não é só paranóia minha, segue um texto publicado ontem na Info Online:

Máquina do fim do mundo funciona amanhã (hoje)

Europeus testam amanhã acelerador de partículas que consumiu US$ 8 bilhões ao longo de 12 anos.

Um consórcio europeu de países vai testar, nesta quarta-feira (10), seu mais ambicioso projeto de tecnologia dos últimos 20 anos, um acelerador de partículas com 27 quilômetros de extensão.


Segundo os desenvolvedores do programa, o projeto poderá dar informações aos cientistas sobre como ocorreu o Big Bang, evento que supostamente deu origem ao universo.

No acelerador, prótons (partículas que compõem os átomos) serão acelerados em direções opostas. A idéia é que estas partículas viagem a 99,99% da velocidade da luz. Em determinado momento, os prótons disparados em lados opostos vão se chocar.

É exatamente este choque que os cientistas querem analisar. Que tipo de transformação a matéria sobre neste momento? Quanto de energia é liberadas? Os dados coletados serão processador por supercomputadores, que simularão o mesmo evento em dimensões maiores.

O programa gerou controvérsias na Europa e o acelerador acabou apelidado de “máquina do fim do mundo”. Alguns pesquisadores classificaram o evento como “muito perigoso” porque não há informações seguras do quanto de energia um evento como esse pode liberar. Cientistas mais críticos afirmam que a experiência pode até explodir o planeta, terminando com a vida na Terra.

O Tribunal Europeu de Direitos Humanos julgou a experiência segura e liberou o experimento. Cientistas que participam do projeto afirmam que a quantidade de prótons “acelerada” no teste será mínima, o que garante a segurança da experiência.


Não que realmente vá acontecer algo, e eu realmente acredito que tudo dará certo. Mas, brincar e fazer profecias é legal e engraçado.

Ah, e pra quem é como eu e acredita que o Bóson de Higgs é a partícula Divina, entrem na comunidade que criei: Eu Acredito no Bóson de Higgs.

Fonte do artigo: Info Online
Post Anterior: Toca do Elfo - Fim do Mundo, Pelos Físicos Teóricos
Post do blog Suco da Maçã: Grande Colisor de Hádrons

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Fãs de música clássica e heavy metal são parecidos

Mais uma para a série "De jornais e notícias sensacionalistas".

Fonte: BBC Brasil

Um estudo que analisa a relação entre gosto musical e personalidade sugere que há semelhanças entre fãs de música clássica e aqueles que gostam de heavy metal.

A pesquisa, realizada na Universidade Heriot Watt, em Edimburgo, na Escócia, entrevistou 36 mil pessoas. Os pesquisadores fizeram perguntas sobre características da personalidade de cada participante e pediram para que os voluntários avaliassem 104 estilos musicais.


Os resultados sugerem, por exemplo, que fãs de jazz são criativos e extrovertidos, enquanto aqueles que gostam de música pop tendem a ter pouca criatividade.

Segundo o professor Adrian North, que liderou o estudo, a surpresa foi descobrir semelhanças na personalidade de fãs de música clássica e heavy metal.

"São pessoas muito criativas, introvertidas e de bem consigo mesmas, o que é estranho. Como você pode ter dois estilos tão distintos com grupos de fãs tão parecidos?", afirmou North.

Ele ressalta que uma das explicações pode ser o “aspecto teatral desses estilos, que são dramáticos”.

"As pessoas em geral têm um estereótipo sobre os fãs de heavy metal, acham que eles têm tendência suicida, são deprimidos e representam um perigo para si e para a sociedade em geral. Na verdade, são pessoas bem delicadas", afirmou

Relação

De acordo com North, a pesquisa pode ser muito útil para a indústria fonográfica e para quem trabalha com marketing.

"Se você sabe a preferência musical de uma pessoa, pode dizer que tipo de personalidade ela tem e para quem deve vender", disse North.

"São implicações óbvias para a indústria da música, que está preocupada com a queda da venda de CDs."

Música e Personalidade

  • Blues – boa auto-estima, criativos, extrovertidos, gentis, de bem com a vida

  • Jazz - boa auto-estima, criativos, extrovertidos, de bem com a vida

  • Música clássica - boa auto-estima, criativos, introvertidos, de bem com a vida

  • Rap - boa auto-estima, extrovertidos

  • Ópera - boa auto-estima, extrovertidos, gentis

  • Country – Trabalhadores, extrovertidos

  • Reggae – boa auto-setima, criativos, pouco trabalhadores, extrovertidos, gentis, de bem com a vida

  • Dance – criativos, extrovertidos, rudes

  • Indie – baixa auto-estima, criativos, pouco trabalhadores, rudes

  • Rock/heavy metal – Baixa auto-estima, criativos, pouco trabalhadores, introvertidos, gentis, de bem com a vida

  • Pop – boa auto-estima, pouco criativos, trabalhadores, extrovertidos, gentis, desassossegados

  • Soul – boa auto-estima, criativos, extrovertidos, gentis, de bem com a vida


Heriot Watt University

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Arrancada do Chrome é histórica

Notícia de última hora !!

Fonte: Info Online

Não pude deixar de publicar mais essa notícia. Já estava comentando com alguns amigos que em menos de 24h o Analytics já mostrava que 4,72% das minhas visitas já eram feitas com o Browser do Google. No começo achei que era alguma coisa errada com o Analytics, pq eu mesmo ainda não instalei o Chrome. Mas, depois de ver na Info uma notícia de que até eles estão surpresos, resolvi postar aki esse post de emergência. Leiam aí.



Já vi milhares de programas subirem e caírem ao longo dos 11 anos que trabalho no grupo INFO. Nunca nada chegou perto da expansão velocíssima do Chrome.

Tudo bem, nunca houve uma empresa com um poder tão grande quanto o do Google na internet. Ainda assim, a rapidez com que seu browser se impôs, ainda em estágio beta, e com recursos mínimos, impressiona. A velocidade espetacular do Chrome, per si, não explica tamanho impacto.

Vejam pelo quadro aí de cima como o Chrome já arrebatou quase 6% dos freqüentadores do site da INFO em apenas dois dias e meio de vida. Os dados, do Google Analytics, são de ontem, 24 horas corridas. Nas áreas de notícias, a participação do Chrome passou de 10%. Em blogs, de 12%. Será que estamos inapelavelmente googlados até o fundo da alma?

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Saudade "é a 7ª palavra mais difícil de traduzir"

A polêmica que gira em torno da palavra Saudade vem de longa data. Em inglês, o verbete citado anteriormente, pode ser entendido como miss (sentir falta) ou ainda homesick (sentir-se triste por estar longe de casa e da família). Provavelmente existem diversas outras traduções, mas nenhuma delas têm a capacidade de substituir a palavra saudade com a mesma carga semântica. Posto isso, realmente não há um cognato perfeito. A saída, obviamente, é sempre usar o bom senso e buscar uma palavra com sentido aproximado para a situação.

De acordo com uma lista feita a partir da opinião de mais de 1000 tradutores profissionais, a palavra saudade, em português, é a 7ª palavra mais difícil de traduzir. A lista considera palavras de todos os idiomas. Confira abaixo o ranking:


1. "Ilunga" (tshiluba) - uma pessoa que está disposta a perdoar quaisquer maus-tratos pela primeira vez, a tolerar o mesmo pela segunda vez, mas nunca pela terceira vez.

2. "Shlimazl" (ídiche) - uma pessoa cronicamente azarada.

3. "Radioukacz" (polonês) - pessoa que trabalhou como telegrafista para os movimentos de resistência o domínio soviético nos países da antiga Cortina de Ferro.

4. "Naa" (japonês) - palavra usada apenas em uma região do país para enfatizar declarações ou concordar com alguém.

5. "Altahmam" (árabe) - um tipo de tristeza profunda.

6. "Gezellig" (holandês) - aconchegante.

7. Saudade (português) - sentimento nostálgico, sentir falta de alguma coisa ou alguém (o significado não é consensual).

8. "Selathirupavar" (tâmil, língua falada no sul da Índia) - palavra usada para definir um certo tipo de ausência não-autorizada frente a deveres.

9. "Pochemuchka" (russo) - uma pessoa que faz perguntas demais.

10. "Klloshar" (albanês) - perdedor.

Segundo a diretora da Today Translations, Jurga Ziliskiene, embora as definições acima sejam aparentemente precisas, o problema para o tradutor é refletir, com outras palavras, as referências à cultura local que os vocábulos originais carregam.

"Provavelmente você pode olhar no dicionário e [...] encontrar o significado", disse. "Mas, mais importante que isso, são as experiências culturais [...] e a ênfase cultural das palavras."

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Primeiro bug do Google Chrome

Quentinha, direto do Evilfingers.com: contrariando o que foi dito na apresentação do Google Chrome, parece que já conseguiram um código malicioso que consegue atingir todas as abas do navegador. A famosa mensagem de erro é mostrada, e mais detalhes podem ser vistos na íntegra no artigo abaixo:



Já é sabido por todos que quando um hype surge, muita gente tenta a todo custo se aproveitar um pouco para aparecer de alguma forma. Então, mesmo com o surgimento desse primeiro bug, podemos supor que outros surgirão em breve numa tentativa de atrair os olhares. Apesar de ser talvez o primeiro bug reportado, não enxerguei nele ainda muita gravidade.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Google Chrome - Novo browser na área

Um dia antes do lançamento público da 1ª versão beta do Google Chrome para Windows em mais de 100 países, a gigante de buscas liberou informações preliminares sobre o seu primeiro navegador oficial para a web. A forma escolhida? Um livro de histórias em quadrinhos de 38 páginas, desenhado pelo famoso Scott McCloud.

Pensando no tempo em que as pessoas passam usando browsers diariamente, o Google decidiu criar uma solução do zero que contasse com os melhores componentes possíveis — levando em consideração a evolução da web: de simples páginas de textos para aplicativos ricos e interativos.



“Precisávamos repensar completamente o browser”, revelaram Sundar Pichai — vice-presidente de gerenciamento de produtos — e Linus Upson — diretor de engenharia do Google. “O que precisávamos não era apenas um navegador, mas toda uma plataforma moderna para páginas e aplicativos da web, e é isso que decidimos construir.”

Por fora, a janela de navegação do Chrome é simples, rápida e direta. O Google acredita que, para a maioria das pessoas, o que importa não é o browser, mas o que ele pode fazer — e como consegue fazer. A idéia deles é “tirá-lo da frente das pessoas e levá-las onde quiserem chegar.”



Tal como no Opera, as abas no Chrome localizam-se acima da barra de endereços e dos seus botões de controle. Esta, chamada omnibox, combina URLs do histórico com resultados de busca e sugestões. Uma homepage inclui sites visitados freqüentemente, abas fechadas recentemente, favoritos e buscas. E ele terá, assim como o Safari e o Microsoft Internet Explorer 8, um modo de navegação privada, chamado “Incognito”.



Por trás das cortinas, os caras construíram fundações melhores do que nunca para a execução de aplicativos complexos da web. Cada aba de navegação, por exemplo, foi isolada dentro de numa sandbox, impedindo que uma afete a outra.

Performance foi prioridade no desenvolvimento do browser, que contará com um sistema JavaScript bastante poderoso — V8, criado por um time da Dinamarca —, capaz de rodar aplicativos da web impossíveis nos navegadores de hoje em dia.

O Gears, é claro, também estará embutido no seu engine.

Os trabalhos no Google Chrome “estão longe de estarem finalizados”, dizem eles. A liberação desta versão beta para Windows servirá para iniciar os debates sobre a iniciativa e como forma de obter o máximo de feedback dos usuários. Versões para Mac OS X e Linux já estão em desenvolvimento.



Seguindo outros projetos de código-aberto apoiados pelo Google, o Chrome será open-source, visto que ele próprio utiliza diversos componentes do WebKit da Apple (utilizado, é claro, no Safari, mas também no Android, do próprio Google), e do Firefox, da Mozilla Foundation. “Esperamos colaborar com toda a comunidade para, juntos, evoluirmos a web.”



A propósito, aqui uma imagem do novo Browser:



Fontes:
Google Chrome: http://www.google.com/googlebooks/chrome/