sexta-feira, 23 de maio de 2008

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 06 - Segunda Temporada

Aqui estamos para a continuação da crônica Vampiro e Lobisomem. A luta entre os lobisomens foi dura, mas o que será que acontecerá após isso? Veja agora mais uma continuação desta história que vêm subindo o ibope do Toca do Elfo no Google Analytics hehehehehe

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em algum lugar do Passado

Cinco lobisomens, inclusive o que se retirou, chegaram por um portal aberto no céu e aterrissaram sem grandes problemas. Martin e Sebastian separaram-se, guardaram suas adagas e encurvaram-se em respeito, Ísis ficou somente observando e esperando. Um deles se destacava, era maior que os outros, suas feições eram familiares a Ísis. Ele portava uma espada, que provavelmente era mágica, ao invés de uma adaga, e logo veio tratar com a vampira...


- Como isso pôde acontecer com você?! O que houve?

- Desculpe-me. Sei que já o vi em algum lugar, mas não me recordo. - Disse Ísis da maneira mais cordial possível.

- Sou Evan, tetraneto do Evan que conheceu. Reconhece essa espada?

- Sim. Aquela que Evan aprisionou o príncipe Richard.

- Exato. O que houve com você?! ..... Você fede a Wyrm!

- Não sei. Nem mesmo eu sabia que havia perdido tanta humanidade. Acho que me tornei insensível após ver tanta dor, sofrimento e morte.

- Estava escrito que quando você reaparecesse nossa luta estaria fortificada novamente. Deveríamos estar em festa, mas na verdade não sei o que fazer com você. Não sei se merece nossa confiança.

- Desculpe-me. Não sei como pude deixar isso acontecer... Se achas que sou uma traidora, ou que não posso mais defender vossa causa, deixe-me ir, mas se ainda acredita em mim deixe-me explicar o que houve.

- Convença-nos, se puder. - Disse Sebastian.

- Logo após a morte de Edgard e de todos os outros fui obrigada a fugir e vim para Inglaterra onde achava ser seguro. O único vampiro que sobreviveu àquela noite, por não estar presente, foi acusado no meu lugar de assassinato e desapareceu. Passou então a me caçar, louco por vingança. Escondi-me como pude, até que um dia, não mais agüentando o que presenciava em minha taverna, defendi um pobre mortal e arrisquei minha máscara. O vampiro encontrou-me e passou a vigiar-me. Ontem, ele aprisionou meu protegido, vai matá-lo se não fizer aquilo que ele exige.

- Qual é o nome deste lacaio?

- Walter. Ele quer que eu sacrifique uma pessoa por noite, ou matará o jovem e me entregará para os outros vampiros.

- Agora você vai dizer que não vai obedecer porque respeita a vida humana, assim como está escrito nos livros. - Disse Sebastian ironicamente.

- Cale-se Sebastian! Certamente você é Ísis. Sua história condiz perfeitamente com as escrituras. Por que escondeu-se de nós durante tanto tempo? Não confia mais em nós?

- Queria que todos pensassem que estava morta, queria começar uma vida nova.

- E agora quer nossa ajuda?! Sua traidora!

- Já disse para se calar Sebastian! Se a interromper novamente enfrentará minha ira!

- Preciso de ajuda. Não posso enfrentá-lo sozinho. De qualquer maneira ele matará a mim e a meu protegido. Preciso de vossa ajuda!

- Não conheço nenhuma matilha de lobisomens que aceitará ajudá-la, você não é mais de confiança.

- Desculpe-me Evan, mas eu conheço. - Disse Martin aproximando-se.

- O quê!!? Você enlouqueceu!? Nunca lutarei em favor dessa traidora!

- Que você é covarde, Sebastian, nenhum de nós tinha duvida. Não preocupe-se eu irei ajudá-la nem que lute sozinho e que isso leve a minha vida!

- Você tem um belo poder de sedução, sua vampira desgraçada! Aposto que fez isso para conseguir a tatuagem sagrada!

- Escute aqui Sebastian! Eu não o conheço! Nunca o vi! E nunca fiz nada contra você! Sinto muito se algum parente seu tenha sofrido nas mãos de um vampiro, mas se você não começar a respeitar-me como respeito você! ...Desejará nunca ter me visto!

- Tenha UMA certeza: A partir de agora não mais respeitarei você!!! - disse Sebastian aproximando-se.

- Seu desgraçado!

Ísis enfureceu-se, ia atacá-lo quando foi interrompida pelo grito de Evan.

- Parem!!! - Sua voz impôs uma moral ímpar e ambos pararam ao ouvi-la. Ele continuou, mais tranqüilo. - Tudo bem! Tem mais alguém dessa matilha que não quer ajudá-la!!?

O mesmo lobisomem que havia votado a favor da morte de Ísis disse que não ajudaria.

- Martin. Você e seus dois companheiros estão livres para ajudá-la, sabendo dos riscos que correm. Sendo ela uma traidora, você perderá seu cargo como líder dessa matilha, tudo bem!?

- Sim, meu senhor.

- No caso da morte de Martin ter sido causada de alguma forma por Ísis, Sebastian será responsável em vingar sua matilha e, quando trouxer a cabeça da traidora, liderará uma matilha. Todos concordam?

Todos responderam afirmativamente. Ísis, Martin e os outros dois foram para a cidade e todos os outros se retiraram, ficando apenas Evan , Martin e seu aliado.

- Sebastian, tenho um serviço para você. Sei que sabe como ser furtivo. Quero que vigie nossa bela desaparecida, quero saber onde ela vai, como ela vai, com quem conversa, tudo. Entendeu?

- Será um prazer, Evan meu senhor. Tenho a permissão de atacar, se perceber que ela é uma traidora?

- Se for apenas uma suspeita venha falar comigo. Se for certeza, ataque para matar!

- Seu desejo é uma ordem, meu senhor.

Ísis era carregada por um dos lobisomens e levada o mais rápido possível para cidade, pois o sol não tardava. Durante o percurso conversava como podia.

- Você é Andrew e você Jason?

- Isso mesmo. Sou um Peregrino Silencioso e Jason á um Filho de Gaia, assim como Martin.

- Entendo, Evan também era um Filho de Gaia. Isso é como um clã não é?

- Chamamos de tribo.

- Por que Sebastian tem tanto ódio por mim?

- É uma união de vários fatores. Sua mãe, uma humana, foi manipulada por um vampiro. Ele aproveitou-se dela de todas as formas; físicas, psicológicas, usou-a para descobrir nosso Caern e depois matou-a. Isso á uma grande vergonha para qualquer lobisomem. Ele quer vingança!

- Como sempre, escuto uma história de minha raça provocando sofrimento.

- Sinceramente. Você não estaria viva agora se não fosse a Ísis que a tanto aguardávamos. Não hesitaríamos em matá-la.

- E por quais outros motivos ele me odeia?

- Ele á um Cria de Fenris. A mais revoltada de todas as tribos, consideram-se os únicos guerreiros de Gaia capazes de lutar contra as forças da Wyrm. Seu companheiro, David, é um Garra Vermelha, odeia os humanos e os culpa por tudo o que acontece com este planeta, logo os culpa também pelo surgimento dos vampiros.

- O que aconteceu com os lobisomens enquanto estive ausente?! Vocês pareciam ser tão unidos!

- É o que sempre tenho dito. Estamos perdendo essa guerra contra a Wyrm porque brigamos mais entre nós mesmos do que contra quem deveríamos.

- Acho que você tem uma visão errônea sobre nós, Ísis. A muitos anos temos enfrentados este tipo de problemas. Duas tribos já se extinguiram e uma outra uniu-se a Wyrm.

- Mas afinal quem diabos é Wyrm?

- Wyrm é um dos seres da Tríade. No princípio três seres mantinham o equilíbrio, Wyld, Weaver e Wyrm. Wyld criava, Weaver transformava as criações em energia e matéria e a Wyrm catabolizava o excesso e assim viviam em equilíbrio. Até que um dia Wyrm corrompeu Weaver, esta enlouqueceu e tentou agarrar todo universo com seu poder, Wyrm passou então a destruir não somente o excesso, mas também toda criação, transformando e corrompendo tudo, construindo assim o mundo que conhecemos.

- E os lobisomens onde entram nessa história?

- Somos as criações de Gaia, somos seus guerreiros, devemos lutar contra a Wyrm antes que ela domine todo o universo.

- Essa história é meio difícil de acreditar. Acredito sim neste ser chamado Wyrm, mas com outro nome: Lucifer.

- Entendo que é difícil para alguém, que não pode entrar no Mundo Espiritual, acreditar no que dizemos, mas sinceramente também não vejo diferença alguma entre Lucifer e Wyrm. São sinônimos, ambos devem ser eliminados.

- O que é isso Andrew!? Você também é mais um traidor que não acredita em Gaia!? Nossa mãe!

- Não foi isso o que quis dizer. Acho que devemos ter mais tolerância religiosa. Não cabe a nós dizer o que é certo ou errado. Para nós lobisomens Gaia é nossa mãe; para os cristãos, Deus; para os índios a natureza; não importa. Em suma todas as religiões pregam as mesmas doutrinas, da qual devemos ser bons. Quando aprendermos a ignorar nossas diferenças e lutar todos por um mesmo objetivo conseguiremos derrotar a Wyrm, Lucifer e seja lá quem for!

Todos escutaram admirados o discurso de Andrew. Ninguém teve coragem de negar o que ele afirmou, concordavam com ele, mas sabiam que se isso fosse dito em uma assembléia, certamente Andrew seria acusado de traição, por muitos lobisomens e isso desiludiu a todos.

Entraram na cidade, Ísis pediu que agissem como se não a conhecesse, para não levantar qualquer suspeita. Eles obedeceram e seguiram-na, na forma humana, por uma boa distância.