sexta-feira, 16 de maio de 2008

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 05 - Segunda Temporada

Bem meu caro leitor, hoje é sexta e daqui até o dia 25 eu estarei viajando e, muito provavelmente, sem internet. Então todos os posts para este período do dia 16 até dia 25 são agendados. Comentários que vocês deixarem durante este período serão liberados assim que eu tiver uma conexão com internet em minha cidade ou, no pior caso, somente quando eu voltar. No entanto, não deixarei você abandonado, como fiz da outra vez. Espero que não se importe. Agora, vamos ao post de hoje.

Crônica - Vampiro e Lobisomem

Aqui estamos para mais uma parte crônica Vampiro e Lobisomem. Isis está perdida, não sabe mais o que fazer. O que será que ela poderá fazer para evitar o sofrimento de ter que matar pessoas para satisfazer um vampiro com sede de vingança? Veremos agora.

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em algum lugar do Passado

Muito tempo havia passado desde que encontrou-se pala última vez com um lobisomem, cento e cinqüenta e três anos para ser exato. Ísis não mais desejava envolver-se com nenhum ser sobrenatural, e assim não o fez por muitos anos. Walter a pressionava e ela precisava decidir o que fazer quanto a seu pobre companheiro. Não lhe restava outra alternativa senão a de procurar ajuda entre aqueles que eram considerados os maiores caçadores de vampiros: Os lobisomens. Temia ser descoberta por Walter, mas sabia que não tinha mais nada a perder e devia de todas as maneiras salvar a vida do pobre Ferguson, e de muitos outros...


Pouco tempo depois de Walter ter se retirado, Ísis deixou a taverna sob a responsabilidade de um funcionário, pegou um de seus únicos cavalos e cavalgou para o campo. Temia pela reação dos lobisomens, se eles ainda a reconheceriam depois de estar ausente por tantos anos. Todos que a viram, inclusive Evan, já estavam mortos e ela não conhecia ninguém entre os lupinos, nem mesmo de vista, quanto menos alguém de confiança, mesmo assim foi determinada a encontrar auxílio.

Seu cavalo já estava cansado, e já não mais corria apenas arrastava-se. Estava a uma distância bem grande da cidade, dentro de uma mata longe de qualquer estrada, Ísis sabia que deveria haver algum lobisomem por perto. Não perdeu mais tempo e começou a gritar o único nome relacionado a lobisomens que ainda se lembrava:

- Filhos de Gaia!! Vim aqui para encontrá-los!

Gritou várias vezes até que desistiu, montou em seu cavalo e ordenou-o que seguisse, estranhamente ele não a obedeceu, parecia hipnotizado, Ísis insistiu e ele numa reação estranha jogou-a no chão e correu sem rumo. Ela ainda tentou alcançá-lo mas não era mais rápida que um cavalo e ele fugiu. Olhou em sua volta, estava perdida, desesperou-se pois o dia não tardava a chegar e ela não sabia onde refugiar-se. Escolheu então andar em direção daquilo que considerava ser uma trilha. Após algum tempo percebeu que andava em círculos, perdeu a cabeça, não sabia mais o que fazer e nem como fazer, não desistiu e continuou a andar, mas sempre em círculos. Uma hora já havia se passado desde que havia se perdido, e sua sorte não estava a seu favor, pois era verão e tinha pouco tempo para pensar em algo. Olhou a volta e não viu nada, apenas árvores que de nada a protegeriam do sol, não havia nenhum sinal de grutas ou cavernas, sentiu seu fim aproximando-se. Ela sentou-se em um tronco desiludida e espantada com o irônico fim que a esperava, morreria como uma tola na mata. De repente ouviu um barulho vindo de suas costas, olhou espantada e viu um homem aproximando-se, empolgou-se e foi correndo em sua direção. O homem lentamente mostrou sua verdadeira identidade, e foi aumentando seu físico chegando a forma de lobisomem. Ísis ao ver do que se tratava, ficou paralisada esperando pela iniciativa do estranho. Este nada disse e apenas uivou, segundos depois Ísis se viu cercada por mais quatro lobisomens. Um deles que ainda estava na forma de lobisomem disse:

- Diga seu último desejo sua lacaia da Wyrm!!!

- Não me machuquem! Sou uma de vocês! Olhem essa tatuagem!

Todos se assustaram, o que não estava na forma de lobisomem aproximou-se e verificou o braço de Ísis.

- É autêntica! Por Gaia! Será que é ela?!

- Impossível!! Ela fede a Wyrm! - disse um outro voltando a forma humana.

- Qual é o seu nome? Criatura.

- Sou Ísis, uma vampira. Sei que não apareço faz...

- Cale-se! O que acham que devemos fazer com ela?

- Vamos matá-la!

- Acho melhor levá-la a Evan ele saberá o que fazer.

- Está maluco! Quer levá-la ao Caern?!

- Evan! Eu conheço Evan! Era meu aliado! Ajudou-me a matar todos os vampiros da cidade de Jamestown!

Os lobisomens se entreolharam, espantados e voltaram todos a forma humana.

- É ela! Meu Deus ela está viva! Não é uma lenda!

- Não me importa! Ela fede a Wyrm! Vai nos trair!

- Desculpe-me, mas acho que tem algo errado com seu faro, sou uma lacaia da Wyrm, mas não sou má!

- Quem é você para corrigir-me! - disse o lobisomem aproximando-se - Apesar do que diz a lenda, eu não confio em você! Quem pode garantir-me sua identidade! Além do mais, todos os vampiros são iguais e devem ser exterminados com implacável fúria e piedade!

- Acalme-se Sebastian!... Ele está certo, você fede a Wyrm. O que deseja de nós? Por que não apareceu antes?

- Como eu tentava dizer. Sei que é um pouco estranho eu ficar desaparecida por todos esses anos mas tive que manter-me escondida para não ser morta por um vampiro. Ausentei-me por mais de um século e meio, mas agora voltei, preciso de ajuda.

- Ah! Está explicado! Você é como todos os outros! Aparece somente quando lhe interessa! É uma traidora! Acho que deve morrer! - disse Sebastian encurralando Ísis em uma árvore, enquanto sua aparência assemelhava-se lentamente com a de um lobisomem.

- Mantenha distância Sebastian! - disse o outro entrando entre os dois. - Ainda sou o líder dessa matilha!

- Quem você pensa que é, Martin? Acha que só por ser o escolhido de Evan vai mandar em mim!? - gritou Sebastian empurrando Martin.

- Não obrigue-me a fazer aquilo que não quero!

- Faça, seu traidor! Morrerá tentando proteger uma lacaia da Wyrm!

Martin enfureceu-se e se não fosse contido pelos outros acabaria entrando nessa luta inútil. Ísis vendo que os ânimos já se acalmavam, novamente disse:

- Não vim aqui para causar mais mortes. É por isso que vim pedir-lhes ajuda, quero evitar a morte de pessoas inocentes.

- Pessoas inocentes!? Desde quando existe algum ser humano inocente?! Todos querem destruir nossas matas!

- Eles não fizeram nada, só foram desafortunados o suficiente para terem seu destino cruzado com o de um vampiro. Walter é seu nome, ele é o único sobrevivente de Jamestown, que tem me cassado nos últimos anos.

- Escutem-me! Ela é uma traidora! Está enganando vocês! Vai nos entregar!

- Cale-se Sebastian!! Farei aquilo que a matilha achar melhor! Quero que todos votem, assim saberemos o que fazer com ela. Fiquem a minha direita aqueles que acham que ela deve viver e a esquerda os que não.

Sebastian e um outro dirigiram-se a esquerda e Martin e outros dois à direita.

- Vocês são idiotas! Querem levar uma lacaia da Wyrm ao Caern!? Ela fede a Wyrm!! Será que não entendem! O ritual só protege aqueles que não fedem!

- De uma coisa é certa, é impossível ela ter sido dominada. Se ela estiver nos traindo é por vontade própria, o ritual tem efeito permanente. - disse um dos que estavam ao lado de Martin.

- E desde quando ela precisa ser dominada para nos trair?! Está fazendo isso por conta própria!

- Sebastian, a maioria decidiu! Terá que acatar a decisão!

- Tudo bem, ela não morre, mas também não entra no Caern!

- Como ousa desafiar a decisão da matilha!?

- Acalmem-se, ambos! Martin, ele tem razão, é mais sensato deixá-la aqui por enquanto. Fiquem aqui vigiando-a, que já volto com Evan.

Ísis estava espantada, nunca havia visto uma discussão tão forte entre lobisomens e chegou a temer por sua vida. O que aconteceu com esses justos seres enquanto se ausentou? Parece que quanto mais os vampiros se fortaleceram, mais os lobisomens se enfraqueceram. Estava espantada, também, pela longevidade de Evan, sua curiosidade era grande e logo perguntou:

- Como é possível que Evan esteja vivo até hoje?

- Não está. Após a morte do primeiro Evan, que foi um dos maiores líderes de todos os tempos, passaram a dar esse nome a todos aqueles que são considerados justos.

- Cale-se Martin! Não conte a ela nossos segredos e tradições! Ela é uma traidora!

- Sebastian, por que tens tanto ódio por mim? Nunca fiz nada a você ou a nenhum lobisomem.

- Você é uma vampira!! Não preciso de outra razão para odiá-la! Seu cheiro indica suas intenções!

- Desculpe o nervosismo de meu amigo. É que sua mãe foi morta por um vampiro e depois desse dia ele enlouqueceu. - disse Martin a Ísis.

- Você não tem medo da morte?! Seu filho da mãe! Quem é você para falar de minha mãe!

- Sebastian, não vai querer negar agora que sua mãe tinha um caso com seu próprio assassino!? Todos sabem.

- Seu filho da mãe vou matá-lo!

Ambos, sacaram suas adagas mágicas, transformaram-se em lobisomem e prepararam-se para uma luta mortal quando de repente ouviu-se um estrondo vindo de cima.