sábado, 31 de maio de 2008

Google vai hospedar bibliotecas web populares para uso em sites com Ajax

Reuven Lerner, um dos mais antigos colunistas do Linux Journal (onde escreve sobre desenvolvimento web com software livre), divulgou a iniciativa do Google de passar a hospedar uma série de bibliotecas Ajax de código aberto, como Dojo, Prototype, Scriptaculous, Mootools e jQuery, para que desenvolvedores de aplicações possam referenciá-las diretamente a partir dos servidores do Google, se desejarem.


As vantagens para os usuários estão relacionadas ao tempo de carregamento e à maximização da efetividade dos caches (especialmente se o usuário acessar vários sites que usem as mesmas bibliotecas, o que é comum). Para o desenvolvedor, há a relativa despreocupação com a disponibilidade e uso de recursos como banda, memória e CPU do servidor. Claro que para ambos pode existir alguma preocupação com a privacidade, já que o Google terá condições de saber qual usuário está acessando qual site - portanto, a opção pelo uso da “Google Ajax Libraries API” tem que levar isto em consideração.

Como usuário, não me preocupo, e como desenvolvedor, fico feliz. Mas cada um deve fazer seus próprios juízos!

Fontes:
BR-Linux - Google vai hospedar bibliotecas Ajax
OStatic - Google now hosts Open Source libraries

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 07 - Segunda Temporada

Sexta-feira. Sexta é dia de crônica, não é mesmo? O que será que vai acontecer hoje, depois do discurso de Andrew? Acompanhe agora mais um capítulo da crônica Vampiro e Lobisomem

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em algum lugar do passado ...

O dia não tardava. Ísis entrou rapidamente em sua taverna e pediu que seus convidados a esperassem no lado de fora. Sabia que o faro de lobisomens era divinamente apurado e resolveu testá-lo:

- Olhem. Esta unha foi arrancada do dedo de Ferguson, meu protegido. Sei que o faro de alguns lobisomens é apurado, talvez vocês possam encontrá-lo a partir disso.

- Droga! Não tenho este dom, mas David o tem.

Ísis, irritada com sua falta de sorte jogou a unha no chão e dirigiu-se, com seus amigos, seguindo-a a uma certa distância, para sua estalagem.

Enquanto isso dois seres os observavam nas sombras, silenciosos como predadores, estavam tão concentrados que podiam até mesmo ler os lábios de Ísis e seus amigos. Após Ísis ter se retirado, Sebastian e David pegaram a unha de Ferguson e a farejaram como cães...


- Pode encontrá-lo, David?

- Claro! Desde quando meus poderes falham?!

- Será que ela tentou colocá-los em uma armadilha? Atraindo-os até algum aliado?

- Não sei. Sei somente que um humano sofreu e isso já me faz sentir melhor! - disse David com um irônico e cruel sorriso.

- Vamos ter que nos separar. Encontre quem fez isso. Não o enfrente sozinho, se o encontrar chame-me, eu o ajudarei.

- Não será preciso, posso matá-lo sozinho!

- Não banque o herói! Precisamos pegar essa traidora! E separados somos mais vulneráveis!

David transformou-se em lobo e saiu pela cidade, farejando, procurando pela vítima. Sebastian continuou sua missão e seguiu Ísis. Já na estalagem Ísis e seus amigos retiravam-se para os quartos.

- Devo dormir agora. O dia já nascerá.

- Entendemos.

- Este será vosso aposento. Espero que aproveitem a estadia. Qualquer problema, basta chamar-me.

Ísis dirigiu-se a seu quarto enquanto seus convidados entraram no aposento cedido pela vampira.

- Será que devemos confiar nela?

- Não tenho certeza. Por via das dúvidas, acho melhor alguém manter-se acordado, sendo um sentinela enquanto os outros dormem. Concordam?

- Perfeitamente Martin. Fico primeiro, depois Jason e aí sim você, até que anoiteça.

Os dois Filhos de Gaia foram dormir, enquanto Andrew ficou de sentinela. Sebastian não desistiu de sua missão, assim que o dia nasceu, entrou furtivamente na estalagem e dirigiu-se para o quarto de Ísis, pois nesse momento ela certamente estaria adormecida.

Não muito longe da estalagem, seguindo seu faro, David encontrou o provável esconderijo do protegido de Ísis. Não esperou até o amanhecer, seu excesso de confiança o fazia a nada temer, e entrou na velha casa. Não era tão furtivo como seu aliado, mas já dominava, com boa experiência, a arte de ser silencioso. Sacou sua adaga, pois sentiu a presença de seres da Wyrm, mas não sabia quantos ao certo. Lembrou-se do que Sebastian havia dito, mas mesmo assim não acovardou-se, podia ser um vampiro adormecido ou mesmo o próprio protegido de Ísis, e seguiu seu faro. Encontrou um alçapão no chão, que levava provavelmente ao porão, o odor que perseguia vinha do fundo, o que indicava que lá estava a pobre vítima. Sem hesitar, ele entrou. A escada descia em espiral, não havia quase nenhuma luz e podia-se ouvir murmúrios vindos debaixo. Ao descer toda a escada viu uma cena horrível: um jovem estava amarrado sobre uma cadeira, sua perna esquerda estava inchada e vermelha e certamente sofria de hemorragia interna. Estava delirando, suava de dor e não percebia que alguns ratos roíam lentamente os dedos de seus pés. A chega de David não causara qualquer reação no mesmo, que permanecia em estado delirante. O lobisomem teve certeza de que Ísis não estava mentindo, ao menos em parte. Soltou o jovem de suas amarras, não por sentir compaixão pelo sofrimento daquele ser humano, (na verdade divertia-se com aquela cena) mas sim por ele ter sido aprisionado por vampiros, inimigos ainda mais perigosos. Isso fez com que David reconsiderasse seus sentimentos e o soltasse. Estranhamente percebeu que o jovem não fedia a Wyrm e por isso ficou ainda mais cuidadoso, certamente havia mais criaturas na casa.

Subiu as escadas e já aproximava-se da saída quando ouviu alguém entrando. Não teve tempo de esconder-se, apenas colocou o corpo do jovem no chão e sacou sua adaga. Pela porta frontal, entraram dois lobisomens e por sua retaguarda, saídos diretamente por um portal do Mundo Espiritual, vieram outros dois. Não eram lobisomens comuns, eram deformados, alguns tinham um rabo curto, outros não tinham pêlos. Suas orelhas eram pontudas, e seus membros desproporcionais para a forma de lobisomem. Eram negros como a noite, e feios como um Maldito. David não teve dúvida, eram Dançarinos da Espiral Negra, tribo de lobisomens traidores que se uniram a Wyrm.

- Como vocês soldados de Gaia são previsíveis! E patéticos! - disse um deles ao defrontar-se com David.

- Cale-se ou sofra as conseqüências de minha ira!! - respondeu David de maneira imponente e furiosa.

- Não viemos aqui para matá-lo! Queremos o garoto! Entregue-o e viverá!

- Se vocês querem este humano é porque ele é valioso! ... Nunca o entregarei a vocês!!

- Você é quem decide!

David, sabendo que não teria chances de enfrentar tantos sozinho, uivou, na esperança de que Sebastian o ouvisse e viesse em auxílio.

- Covarde! Não disse que é o tal?! Enfrente-nos sozinho!

- Venham um a um! Façam uma fila e eu lhes mostrarei quem é o covarde!

Logicamente os Dançarinos não o obedeceram e atacaram. Saltaram como animais esfomeados, enfurecidos. David escolheu um aleatoriamente e encravou-lhe a adaga no pescoço, este nada pôde fazer e caiu engasgando com seu próprio sangue. Os outros três acertaram-lhe golpes o que fez com David caísse ferido. Estava em dificuldades, dois dançarinos mordiam, cada um em um braço, e um terceiro abocanhava sua perna. Apesar de os dentes de seus adversários também serem defeituosos, causavam-lhe grandes danos. Naquela situação ele não resistiria por muito tempo e desistiu de tentar se defender. Mordeu a jugular do que estava preso à sua perna e puxou usando suas últimas forças, este não morreu, mas ao menos o soltou. Pôde assim levantar-se, tentou de todas as formas fazer com que eles o soltasse, chacoalhando os braços, e prensando-os contra a parede. De nada adiantava, já não tinha forças suficientes. O que havia sido mordido na jugular levantou-se e devolveu o golpe com a mesma força e ira, mordendo a jugular de David. Lutava com ferocidade, mas seus golpes não surtiam mais efeito, sabia que acabaria morto; sua única esperança era Sebastian.

Por sorte Sebastian havia escutado seu companheiro uivando. Transformou-se em lobo, forma que era mais veloz, e foi o mais rápido que pôde, derrubando tudo e todos que apareciam à sua frente. Como estava próximo chegou na casa em poucos instantes. Ao entrar viu seu companheiro no chão lutando bravamente contra três dançarinos. Rápido como um pensamento e silencioso como um gato, transformou-se em lobisomem, sacou sua adaga e decapitou o que mordia o pescoço de David. Os outros dois surpreenderam-se e, antes mesmos que pudessem atacar, Sebastian atacou novamente, encravando a adaga na barriga de um dos traidores. O terceiro o cortou com suas garras, causando-lhe um corte feio no peito, mas Sebastian estava furioso, ignorou o golpe e atacou. O matou, mas mesmo assim continuou a acertá-lo, dilacerando por completo o corpo daquela criatura. Quando se cansou daquilo ergueu o pobre amigo, que já não mais se agüentava. Seu pescoço estava ensangüentado e ele tinha dificuldades em respirar.

- David!! Fique comigo! Não desista, seu imbecil! ..... Onde diabos tem um espelho!!?

- Sebastian.... Pode ficar com minha adaga... Será sua não tenho progênie...

- Agüente!! Não vai morrer!! Ainda terá sua progênie!

Sebastian correu com seu companheiro procurando por algo que refletisse sua imagem, assim seria possível entrar no Mundo Espiritual. Na rua encontrou uma poça d'água, lamacenta, mas sem escolha jogou-se nela, entrando assim no Mundo Espiritual. Estavam em uma cidade abandonada, vazia, morta. A loucura da Weaver já havia conquistado aquela local que um dia foi chamado de Amyr, cidade próspera da Arábia, a muito desaparecida no mundo real.

Sebastian não tinha tempo para filosofar ou reparar no local que "aterrissou" e logo abriu um outro portal, para o Caern. Chegou gritando desesperadamente:

- Rápido!! Filhos de Gaia! Preciso do Toque da Mãe!! Ele vai morrer!

De todos os lados saíram lobisomens, alguns curiosos e outros decididos em salvar aquele bravo guerreiro. No meio da confusão, Evan separou Sebastian dos demais e perguntou:

- O que houve?

- Quatro dançarinos o atacou! Eu não estava com ele! ... Imbecil! Eu o disse para não fazer nada sozinho!

- Dançarinos!? Como!? Ísis disse que era um vampiro e não quatro dançarinos!

- Eu disse que ela era uma traidora!

- Explique-se, não estou entendendo. Como eles os encontraram?

- Nós os encontramos! Descobrimos pistas sobre o paradeiro do tal jovem. David ficou de encontrá-lo pelo faro, enquanto eu seguia Ísis. Ele quis ser "o herói" e enfrentou-os sozinho! Por que raios não me obedeceu!?

- E onde está o jovem?

- O deixei lá. Tinha que salvar a vida de meu companheiro!

Sebastian entregou a Evan a unha do rapaz e este ordenou a dois outros lobisomens que o encontrassem.

- Saiba de uma coisa Evan. Se meu companheiro morrer. Juro que me vingarei em Ísis!

Evan não respondeu e foi ter com os curandeiros que tentavam salvar o pobre e corajoso guerreiro.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

O Segredo de Brokeback Mountain

Bom dia caro leitor!

Acho que faz um tempo relativamente longo que não deixo transparecer minhas opiniões sobre algum assunto em específico, não é mesmo? Hoje venho falar de um filme que me fez pensar muito nesses últimos meses: O Segredo de Brokeback Mountain, dirigido por Ang Lee.

Ontem, revi "O segredo de Brokeback Mountain". A sensação de ter assistido a um grande filme se repetiu.

O filme de Ang Lee é, inicialmente, ingrato com aqueles que procuram lhe colocar o rótulo de “filme gay”: seus personagens tem sim envolvimento homossexual, mas eles também desenvolvem relações com mulheres ao longo de suas vidas. Essa seria a brecha para chamar tais personagens de “bissexuais”, mas a tentativa igualmente cai por terra: ao longo do filme percebe-se que, se um dia Ennis e Jack sentiram atração ou amaram suas esposas, este amor foi completamente sufocado pelo que sentiam um pelo outro; quanto mais os anos se passavam, mas eles se viam fugindo dos relacionamentos com mulheres em detrimento do amor entre os dois. Assim sendo, mesmo sem ser o termo mais apropriado, acaba por se adequar aos personagens muito mais a idéia de que eles eram mesmo gays.

terça-feira, 27 de maio de 2008

Tabajara TI

Trabalho na área de informática há muitos anos. No entanto, nunca trabalhei de verdade com desenvolvimento comercial. A minha desilusão nasceu com o tipo de trabalho que um programador, aqui no Brasil, mais faz: software de gestão empresarial. A capacidade criativa que o brasileiro desenvolveu nesse tipo de desenvolvimento causa inveja em diversos países do mundo. Isso é bacana.


Esse tipo de desenvolvimento nunca foi meu preferido mas eu devo admitir que sempre foi o que fizemos de melhor.

Mas de um tempo para cá eu venho notado que as empresas de desenvolvimento de software estão procurando buscar modelos de desenvolvimento de software vindos de fora. Opa! Se esse é o tipo de coisa que sempre fizemos bem aqui não deveríamos estar exportando?

O modelo de empresa de desenvolvimento que me deixa mais horrorizado é o triunvirato formado por engenharia-de-software, fábrica-de-software, STLs (sigla-de-três-letras como CMM, RUP e PMI).

Quando eu estudava Processamento de Dados na escola tecnica federal de goiás, há vários anos, eu tinha vários amigos que estudavam ‘Edificações’ que forma profissionais preparados para auxiliar os Engenheiros Civis. Alguns alunos amigos meus eram tão bons em seus trabalhos que os engenheiros somente ‘assinavam’ os projetos feitos por eles.

Se nessa época a minha visão-além-do-alcance me mostrasse o que está acontecendo hoje eu iria estudar Edificações e não mais Processamento de Dados. Estou esperando o dia que vão surgir os decoradores de sistemas, afinal, os engenheiros de software e arquitetos de software já existem.

Esse triunvirato parte da premissa de que software é algo criado em cima de padrões, normas e requisitos e esquecem de que essas três coisas produzem software mas nunca irão produzir software fantástico. O que diferencia um software de um software fantástico é o ‘toque de genialidade’ dos desenvolvedores. É aquela modificação elegante no código que o torna mais eficiente. É aquela idéia simples que torna o sistema mais robusto. É aquele momento de inspiração que faz surgir um excelente software. É aquela fuga do padrão, da norma, e até mesmo do requisito que fazem um software virar um software fantástico.

Os softwares de gestão brasileiros são (eram?) fantásticos por essa razão. Antes as normas eram menos rígidas, os padrões menos abrangentes e os requisitos quase sempre eram desconhecidos. Sei que muito software ruim foi produzido naquela época mas tolher a criatividade não deve ser a solução para esse problema. Que solução então? Seleção natural. É isso. Software ruim ‘morre’ com o passar do tempo. Software que nasce ruim mas melhora com o passar do tempo sobrevive.

Para resumir, o desenvolvimento de software é, em minha opinião, muito mais uma atividade criativa do que simplesmente aplicar técnicas, regras, normas em cima de um teclado de computador.

Minha forma de pensar leva à uma outra questão importante a ser ponderada: Programador sem criatividade deve mudar de profissão? Sim e não.

Se ele está nessa área porque disseram para ele que “programador é a profissão do futuro” sim. Todas as pessoas devem fazer o que gostam e não o que disseram para ela fazer. Trabalhar com algo que não te inspira cria pessoas tristes. E não vale falar que vai continuar programando porque ‘não agrada nem desagrada’, tem que gostar mesmo de trabalhar.

Mas se esse programador ‘não-criativo’ realmente tiver paixão pela profissão que vai exercer o problema de criatividade dele pode ser solucionado.

“Moço! Me vê 2kg de criatividade?”

As pessoas acham que um ‘insight criativo’ é o resultado de um sopro de pó de pirlim-pim-pim que a Fada Sininho jogou na gente. Isso não é totalmente verdade (exceto talvez pela fada).

Os ‘insights criativos’ são criados pelo nosso cérebro o tempo todo (em momentos randômicos). O nosso cérebro então coleta uma série de informações dos nossos ‘bancos de memórias’ de acesso rápido (informações), acesso lento (conhecimento) e do disco (lembranças), bate tudo por uns minutos no liquidificador e joga no ‘pipeline’ de coisas em processamento. O resultado dessa mistura, se for bom, será aproveitado, caso contrário será descartado imediatamente.

Com essa explicação podemos perceber que uma série de fatores aleatórios que determinam se você terá um ‘insight criativo’.

Quando você vai apostar na mega-sena (ou outro jogo desse tipo) você sabe que quanto mais números você marcar no canhoto de apostas maiores serão as suas chances de ganhar o prêmio. O mesmo acontece com nosso cérebro. Quanto mais informação, conhecimento e lembranças a gente tiver para que o nosso cérebro trabalhe maiores são as nossas chances de ter uma idéia legal.

E é aí que entra o fator ‘paixão’ pela profissão. Se você for apaixonado pelo que faz será mais fácil para você ler um livro sobre o assunto, fazer um treinamento, prestar atenção às informações relacionadas ao teu trabalho e assim por diante.

É claro que existem alguns programadores que são absurdamente geniais e criativos, mas eles são uma exceção (boa) e não são reproduzíveis em laboratório.

Tem que ter técnica!

Dizer que o importante é ser criativo não pode levar ninguém a concluir que a técnica é dispensável. Não é mesmo. A técnica é tão importante quanto a criatividade. Ambas devem ser desenvolvidas por igual e nutridas da mesma maneira. A técnica fornece elementos para que a loteria criativa do cérebro crie coisas legais que, através da técnica irão virar realidade; um ciclo fechado.

Não pense que Da Vinci usou só de criatividade para pintar a Monalisa. Se ele não tivesse conhecimento de sombras, luzes, cores, anatomia, etc. certamente ele não teria criado essa obra de arte.

domingo, 25 de maio de 2008

Spider Pig

Eu sei que o E-Milho vai perdoar a minha queda de nível. Claro que tenho problemas, como todo mundo. Mas, ao invés de ficar fazendo drama mexicano, como outros, escolhi rir ou ver sempre para fora. O olho só enxerga a si próprio quando está com catarata, ou seja, doente. Somos todos “olhos”: só somos felizes quando não tentamos “ver” a si próprios o tempo inteiro...


ENTÃO, vá agora para este link e cante a música mixada do Homer Simpson: “Spider pig”. Ponto alto do ano!! Amei. A “letra” é a que está embaixo (se é que eu entendi tudo direito, pois no clip só tem uma parte):
Spider pig.

Spider pig.

Does whatever a spider pig does.

Can he swing from a web?

No he can't

Cause he's a pig.

Look out!

He is the Spider pig.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 06 - Segunda Temporada

Aqui estamos para a continuação da crônica Vampiro e Lobisomem. A luta entre os lobisomens foi dura, mas o que será que acontecerá após isso? Veja agora mais uma continuação desta história que vêm subindo o ibope do Toca do Elfo no Google Analytics hehehehehe

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em algum lugar do Passado

Cinco lobisomens, inclusive o que se retirou, chegaram por um portal aberto no céu e aterrissaram sem grandes problemas. Martin e Sebastian separaram-se, guardaram suas adagas e encurvaram-se em respeito, Ísis ficou somente observando e esperando. Um deles se destacava, era maior que os outros, suas feições eram familiares a Ísis. Ele portava uma espada, que provavelmente era mágica, ao invés de uma adaga, e logo veio tratar com a vampira...


- Como isso pôde acontecer com você?! O que houve?

- Desculpe-me. Sei que já o vi em algum lugar, mas não me recordo. - Disse Ísis da maneira mais cordial possível.

- Sou Evan, tetraneto do Evan que conheceu. Reconhece essa espada?

- Sim. Aquela que Evan aprisionou o príncipe Richard.

- Exato. O que houve com você?! ..... Você fede a Wyrm!

- Não sei. Nem mesmo eu sabia que havia perdido tanta humanidade. Acho que me tornei insensível após ver tanta dor, sofrimento e morte.

- Estava escrito que quando você reaparecesse nossa luta estaria fortificada novamente. Deveríamos estar em festa, mas na verdade não sei o que fazer com você. Não sei se merece nossa confiança.

- Desculpe-me. Não sei como pude deixar isso acontecer... Se achas que sou uma traidora, ou que não posso mais defender vossa causa, deixe-me ir, mas se ainda acredita em mim deixe-me explicar o que houve.

- Convença-nos, se puder. - Disse Sebastian.

- Logo após a morte de Edgard e de todos os outros fui obrigada a fugir e vim para Inglaterra onde achava ser seguro. O único vampiro que sobreviveu àquela noite, por não estar presente, foi acusado no meu lugar de assassinato e desapareceu. Passou então a me caçar, louco por vingança. Escondi-me como pude, até que um dia, não mais agüentando o que presenciava em minha taverna, defendi um pobre mortal e arrisquei minha máscara. O vampiro encontrou-me e passou a vigiar-me. Ontem, ele aprisionou meu protegido, vai matá-lo se não fizer aquilo que ele exige.

- Qual é o nome deste lacaio?

- Walter. Ele quer que eu sacrifique uma pessoa por noite, ou matará o jovem e me entregará para os outros vampiros.

- Agora você vai dizer que não vai obedecer porque respeita a vida humana, assim como está escrito nos livros. - Disse Sebastian ironicamente.

- Cale-se Sebastian! Certamente você é Ísis. Sua história condiz perfeitamente com as escrituras. Por que escondeu-se de nós durante tanto tempo? Não confia mais em nós?

- Queria que todos pensassem que estava morta, queria começar uma vida nova.

- E agora quer nossa ajuda?! Sua traidora!

- Já disse para se calar Sebastian! Se a interromper novamente enfrentará minha ira!

- Preciso de ajuda. Não posso enfrentá-lo sozinho. De qualquer maneira ele matará a mim e a meu protegido. Preciso de vossa ajuda!

- Não conheço nenhuma matilha de lobisomens que aceitará ajudá-la, você não é mais de confiança.

- Desculpe-me Evan, mas eu conheço. - Disse Martin aproximando-se.

- O quê!!? Você enlouqueceu!? Nunca lutarei em favor dessa traidora!

- Que você é covarde, Sebastian, nenhum de nós tinha duvida. Não preocupe-se eu irei ajudá-la nem que lute sozinho e que isso leve a minha vida!

- Você tem um belo poder de sedução, sua vampira desgraçada! Aposto que fez isso para conseguir a tatuagem sagrada!

- Escute aqui Sebastian! Eu não o conheço! Nunca o vi! E nunca fiz nada contra você! Sinto muito se algum parente seu tenha sofrido nas mãos de um vampiro, mas se você não começar a respeitar-me como respeito você! ...Desejará nunca ter me visto!

- Tenha UMA certeza: A partir de agora não mais respeitarei você!!! - disse Sebastian aproximando-se.

- Seu desgraçado!

Ísis enfureceu-se, ia atacá-lo quando foi interrompida pelo grito de Evan.

- Parem!!! - Sua voz impôs uma moral ímpar e ambos pararam ao ouvi-la. Ele continuou, mais tranqüilo. - Tudo bem! Tem mais alguém dessa matilha que não quer ajudá-la!!?

O mesmo lobisomem que havia votado a favor da morte de Ísis disse que não ajudaria.

- Martin. Você e seus dois companheiros estão livres para ajudá-la, sabendo dos riscos que correm. Sendo ela uma traidora, você perderá seu cargo como líder dessa matilha, tudo bem!?

- Sim, meu senhor.

- No caso da morte de Martin ter sido causada de alguma forma por Ísis, Sebastian será responsável em vingar sua matilha e, quando trouxer a cabeça da traidora, liderará uma matilha. Todos concordam?

Todos responderam afirmativamente. Ísis, Martin e os outros dois foram para a cidade e todos os outros se retiraram, ficando apenas Evan , Martin e seu aliado.

- Sebastian, tenho um serviço para você. Sei que sabe como ser furtivo. Quero que vigie nossa bela desaparecida, quero saber onde ela vai, como ela vai, com quem conversa, tudo. Entendeu?

- Será um prazer, Evan meu senhor. Tenho a permissão de atacar, se perceber que ela é uma traidora?

- Se for apenas uma suspeita venha falar comigo. Se for certeza, ataque para matar!

- Seu desejo é uma ordem, meu senhor.

Ísis era carregada por um dos lobisomens e levada o mais rápido possível para cidade, pois o sol não tardava. Durante o percurso conversava como podia.

- Você é Andrew e você Jason?

- Isso mesmo. Sou um Peregrino Silencioso e Jason á um Filho de Gaia, assim como Martin.

- Entendo, Evan também era um Filho de Gaia. Isso é como um clã não é?

- Chamamos de tribo.

- Por que Sebastian tem tanto ódio por mim?

- É uma união de vários fatores. Sua mãe, uma humana, foi manipulada por um vampiro. Ele aproveitou-se dela de todas as formas; físicas, psicológicas, usou-a para descobrir nosso Caern e depois matou-a. Isso á uma grande vergonha para qualquer lobisomem. Ele quer vingança!

- Como sempre, escuto uma história de minha raça provocando sofrimento.

- Sinceramente. Você não estaria viva agora se não fosse a Ísis que a tanto aguardávamos. Não hesitaríamos em matá-la.

- E por quais outros motivos ele me odeia?

- Ele á um Cria de Fenris. A mais revoltada de todas as tribos, consideram-se os únicos guerreiros de Gaia capazes de lutar contra as forças da Wyrm. Seu companheiro, David, é um Garra Vermelha, odeia os humanos e os culpa por tudo o que acontece com este planeta, logo os culpa também pelo surgimento dos vampiros.

- O que aconteceu com os lobisomens enquanto estive ausente?! Vocês pareciam ser tão unidos!

- É o que sempre tenho dito. Estamos perdendo essa guerra contra a Wyrm porque brigamos mais entre nós mesmos do que contra quem deveríamos.

- Acho que você tem uma visão errônea sobre nós, Ísis. A muitos anos temos enfrentados este tipo de problemas. Duas tribos já se extinguiram e uma outra uniu-se a Wyrm.

- Mas afinal quem diabos é Wyrm?

- Wyrm é um dos seres da Tríade. No princípio três seres mantinham o equilíbrio, Wyld, Weaver e Wyrm. Wyld criava, Weaver transformava as criações em energia e matéria e a Wyrm catabolizava o excesso e assim viviam em equilíbrio. Até que um dia Wyrm corrompeu Weaver, esta enlouqueceu e tentou agarrar todo universo com seu poder, Wyrm passou então a destruir não somente o excesso, mas também toda criação, transformando e corrompendo tudo, construindo assim o mundo que conhecemos.

- E os lobisomens onde entram nessa história?

- Somos as criações de Gaia, somos seus guerreiros, devemos lutar contra a Wyrm antes que ela domine todo o universo.

- Essa história é meio difícil de acreditar. Acredito sim neste ser chamado Wyrm, mas com outro nome: Lucifer.

- Entendo que é difícil para alguém, que não pode entrar no Mundo Espiritual, acreditar no que dizemos, mas sinceramente também não vejo diferença alguma entre Lucifer e Wyrm. São sinônimos, ambos devem ser eliminados.

- O que é isso Andrew!? Você também é mais um traidor que não acredita em Gaia!? Nossa mãe!

- Não foi isso o que quis dizer. Acho que devemos ter mais tolerância religiosa. Não cabe a nós dizer o que é certo ou errado. Para nós lobisomens Gaia é nossa mãe; para os cristãos, Deus; para os índios a natureza; não importa. Em suma todas as religiões pregam as mesmas doutrinas, da qual devemos ser bons. Quando aprendermos a ignorar nossas diferenças e lutar todos por um mesmo objetivo conseguiremos derrotar a Wyrm, Lucifer e seja lá quem for!

Todos escutaram admirados o discurso de Andrew. Ninguém teve coragem de negar o que ele afirmou, concordavam com ele, mas sabiam que se isso fosse dito em uma assembléia, certamente Andrew seria acusado de traição, por muitos lobisomens e isso desiludiu a todos.

Entraram na cidade, Ísis pediu que agissem como se não a conhecesse, para não levantar qualquer suspeita. Eles obedeceram e seguiram-na, na forma humana, por uma boa distância.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Mais dicas para Concursos

Ultimamente minha dedicação em passar em um concurso como o da Receita Federal está bem grande. Por isso, quanto mais estudo, mais material vou juntando, mais dicas vou aprendendo. E nada mais justo do que postar tudo por aqui, não acham?

Então, vamos a mais dicas para concursos.

Todo projeto, para ser bem sucedido, precisa de uma estratégia planejada. Entretanto, ler sobre como ser bem sucedido em concursos, não significa que teremos sempre êxito. Isso acontece porque, mesmo advertidos, pecamos em algumas orientações simples:

Escolhendo a vaga apenas pelo salário que oferece

Não estudando corretamente as matérias (por falta de tempo, achar que "já sabe demais", ou dedicando-se mais às matérias erradas)

Lendo superficialmente o edital

Não possuindo os requisitos exigidos (estar aquém do grau de exigência intelectual ou física necessárias)

Não adquirindo apostilas e livros necessários Contudo, alguns cuidados são indispensáveis. Muitas pessoas bem preparadas não são bem sucedidas em seleções justamente por não observarem esses pontos.

A fase de decidir para qual curso, ou cargo, concorrer é uma das mais importantes nesse tipo de processo. Uma escolha mal feita pode detonar todo o projeto, logo de início. Às vezes, nem é interessante ser candidato, muito mais porque está cada vez mais difícil pagar as taxas de inscrição.


ESCOLHA

1. SALÁRIO: A necessidade de salário é bem particular para cada um. A exigência é bem menor para aqueles em início de carreira (que precisam ainda ganhar experiência) ou desempregados, do que para os com muitas obrigações e dependentes. Mas, em geral, precisamos analisar qual a remuneração mínima que podemos aceitar (incluindo o salário indireto - benefícios, comissões e gratificações). Muitas pessoas ainda utilizam o antigo critério de só se candidatarem a vagas que garantam uma remuneração, no mínimo, 50% superior a que já possuem, quando na realidade a crise econômica mundial não está permitindo mais a escala financeira que muitos sonham ou merecem. Dependendo da situação, manter o mesmo poder aquisitivo, ou até trocá-lo por uma maior estabilidade, já é lucro. É importante lembrar que, conforme o regime de trabalho, os impostos (imposto de renda na fonte, previdência social e fundo de garantia) podem levar boa parte do salário bruto. Às vezes um salário menor com menos descontos é tão atraente quanto o que se ganha hoje. Outro fator primordial é o índice de reajuste da categoria, ao qual o salário está associado, para evitar que a maior parte da sua remuneração direta seja engolida pelo tempo. No geral, concorrer a vagas apenas pelo alto salário oferecido pode levar a sucessivos fracassos em concursos, uma vez que a competição é muito mais acirradas nesses casos

2. NÚMERO DE VAGAS: Ao contrário do que muita gente pensa, quanto menos vagas existirem para uma categoria, melhor. Isso acontece porque a maioria dos concorrentes prefere disputas "mais fáceis", para cargos com muitas vagas. O resultado é justamente o inverso: Quanto mais vagas, maior a procura

3. CONCORRÊNCIA: Já o grande número de candidatos à vaga é desestimulante, pois aumenta a probabilidade de existirem concorrentes mais bem preparados. Também é interessante verificar a relação de "Número de vagas X Concorrentes", para analisar proporcionalmente o que significa aquele número de candidatos. Processos seletivos pouco divulgados e de órgaos pouco conhecidos também tendem a ter baixa concorrência

4. EXIGÊNCIAS: A tendência é o aumento do nível de exigência para as classificações. Por outro lado, o crescimento da concorrência no mercado de trabalho e a escassez de vagas disponíveis, fazem com que os seletores possam escolher mais rigorosamente entre a mão-de-obra disponível. Noções de Informática e inglês, por exemplo, devem se tornar comum. Assim, é frustrante tentar um concurso que exige muito além da sua capacidade (como acontece em concursos da área de fiscalização, jurídica, seleções para embaixador e em algumas provas para cursos internacionais). Para diminuir esse problema, é interessante manter-se atualizado, estudando constantemente, e com bastante antecedência da data das provas. Esse princípio também vale para os exames que aferem a capacidade prática ou física do candidato. Não adiante entrar numa seleção para a qual você não tem condições de passar nos testes de aptidão no computador ou nos 100m rasos, por exemplo. O nível de escolaridade exigido determina fortemente o grau da concorrência que se vai ter. Entrar em seleções que exijam apenas o segundo grau, quando já se ganhou toda a experiência de um curso universitário pode fazer a diferença do candidato

5. BENEFÍCIOS: Os benefícios de uma função agregam valor real ao salário. Em muitos casos, superando até o próprio salário base. Para tal, deve-se somar o valor dos tickets alimentação, parcela do plano de saúde paga pela empresa, cesta básica, ajuda de custo, ajuda de transporte, gratificações e adicionais. Mas, atenção: é importante saber se os benefícios serão incorporados à remuneração em caso de licenças e aposentadoria. Caso contrário, o salário, quando inativo, não justificará todos os anos dedicados àquele trabalho. O salário indireto também pode ser perdido a qualquer momento. A forma de aposentaria é um forte diferencial. Quando a empresa oferece complemento ou equiparação salarial do aposentado em relação ao ativo, é o ideal. Recolher FGTS pode diminuir os rendimentos mensais, mas são uma poupança forçada para necessidades futuras. A maior ou menor estabilidade (risco de perder o emprego) e a ajuda educacional (em cursos e reciclagens profissionais) devem tamém ser considerados como benefícios

6. CARGA HORÁRIA: Mesmo que a tendência seja a redução cada vez mais das horas trabalhadas, a carga horária semanal não é um benefício considerável, ainda mais as demais vantagens não forem supridas. Em outras palavras, não devemos ir atrás de trabalhar pouco, em detrimento de outras vantagens

7. VOLUME DE TRABALHO: Semelhantemente à carga horária, o volume de trabalho só deve ser considerado se excessivo ou estressante. Mas, não tenha medo de trabalhar muito. Geralmente, a melhor remuneração está associada a uma maior responsabilidade

8. NATUREZA DO CARGO: Cada pessoa possui um perfil e aspirações individuais. Trabalhar ou estudar por muito tempo, em alguma coisa para a qual não se tenha a menor vocação, pode ser martirizante. Portanto, nem só salário e vantagens são importantes no cargo pretendido

9. OBJETIVO DA EMPRESA: Como faremos parte do mesmo barco, quando ingressarmos na carreira, é interessante pesquisar a solidez da organização e o futuro do próprio produto que ela produz, para evitar tomar a canoa errada

10. EXIGÊNCIAS DE CURRÍCULO: As exigências de cursos e treinamento que as empresas fazem nem sempre excluem um candidato que não se enquadre 100% nas especificações. Dependendo do rigor da seleção, das intenções da empresa e até do nível dos outros candidatos, esses critérios podem ser mais ou menos flexíveis. Ou seja, não ter determinado curso não significa que o candidato está fora da concorrência. Algumas contratações demoram tanto tempo para serem efetuadas que o candidato tem condições de fazer o curso mesmo após ter prestado o concurso

ANÁLISE DO EDITAL

Uma etapa muitas vezes menosprezada pelo concorrente é a análise do edital de Seleção. Ele não só define a taxa de inscrição e datas dos testes, como estabelece todas as regras do jogo. Portanto, é interessante ler com muita atenção o edital, para saber:

1. PONDERAÇÃO: Qual o peso de cada matéria. A ponderação das notas das provas define quais as matérias que se deve estudar mais. Podemos até escolher o cargo, ou curso, para o qual concorrer pelo que mais valoriza as matérias onde se é mais forte. Na ponderação, também ficamos sabendo qual a prova que teremos de fazer com maior atenção. Em algumas seleções, são pontuado o currículo (cursos), experiência na área (tempo de serviço), feitos testes práticos e de resistência física

2. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO: A fórmula pela qual será computada as notas, complementa a noção que se precisa ter sobre o que é mais importante para os avaliadores. A fórmula geralmente valoriza determinadas matérias, comparando o número de questões acertadas com aquelas incorretas. Sempre, quanto mais se acerta e menos se erra, melhor. O programa do que é exigido em cada matéria deve ser considerado à risca

3. CRITÉRIOS DE DESEMPATE: No edital, também ficamos conhecendo quais serão os pontos fortes quando atingirmos uma nota igual a de outros candidatos. Normalmente, os critérios de desempate valorizam as pessoas de maior idade e que obtiveram maior nota nas provas de conhecimentos específicos. Assim, os candidatos de idade avançada podem até levar vantagem. Os deficientes físicos já saem ganhando nesse item, pois são sempre reservadas vagas exclusivamente para eles

4. CRITÉRIOS DE DESCLASSIFICAÇÃO: Atenção para os procedimentos que podem desclassificar sumariamente o candidato, como utilizar calculadoras, portar livros na hora da prova e, principalmente, atingir o ponto de corte.

PREPARAÇÃO

A Preparação para o concurso é muitas vezes completamente desconsiderada:

1. MATERIAL DIDÁTICO: Deve-se reunir os apostilas e livros necessários para cumprir todo o programa exigido. A falta de investimento nesta fase é fatal. Se você compra exatamente a mesma apostila que a maioria dos concorrentes comprou, não estará aumentando em nada suas chances de passar na frentes deles. Estudar sem o material didático necessário para passar é insuficiente. Dê preferência a livros e boas apostilas especializadas no assunto. Se possível, conseguir cadernos de exercícios é muito útil. Preferencialmente, contendo provas dos concursos anteriores. Mesmo que os teste mudem de ano para ano, ao menos tem-se uma idéia do formato adotado nas perguntas

2. CURSOS: Um bom curso preparatório é importante, principalmente para as matérias de conhecimentos específicos ou técnicas, que não sejam dominadas suficientemente. O curso é mais um recurso para se superar os demais candidatos, servindo também para disciplinar o estudo. Mas, atenção: fazer um curso apenas não garantirá sua vaga - é indispensável estudar

3. ESTUDO: Por mais que se conheça um assunto, deve-se sempre relembrar o que se sabe. Fazer um concurso sem estudar, é um total desperdício. Deve-se procurar tempo (até no horário do almoço), para se preparar o melhor possível. Serão alguns meses de sacrifício, mas as recompensas poderão ser para o restante da vida... E, tempo é uma questão de prioridade (interesse) - acabar um namoro por falta de tempo é apenas uma desculpa, quando não gostamos realmente da pessoa. Quem ama, sempre arrumará tempo para a pessoa amada. Mesmo antes da publicação do edital, pode-se comparar o que estão exigindo os concursos similares, e ir se atualizando naquela matéria. Saber a instituição que elaborará os testes é indispensável. Cada uma possui um "estilo" e grau de exigência próprios, que podem nortear os esforços de estudo. Mas, é essencial "saber estudar". Um estudo proveitoso é aquele feito:

Em um horário específico

Com ambiente propício

Com todas as necessidades básicas supridas (sono, alimentação, descanso e preocupações)

Seguindo o roteiro de: "Entendimento", "Resumo", "Exercícios" e "Fixação" (não adianta entender todo o assunto, sem fazer uma síntese do que se aprendeu, praticando e decorando o que precisa ser decorado). Sem seguir todos esses passos, o candidato corre o risco de, na hora da prova, se saber a matéria, mas não se lembrar da regra; ou recordar a regra, mas não saber aplicá-la. Fazer o maior número possível de exercícios, preferencialmente resolvendo questões de concursos anteriores é muito importante

Faça os testes cronometrando o tempo, para aprimorar sua rapidez de resolução

DIA DA PROVA

1. LOCAL: Visite com antecedência o local aonde os teste serão realizados. Muitas pessoas se perdem ou vão para locais errados, atrasando-se ou até não conseguindo realizar a prova. Trace minuciosamente o roteiro que vai seguir de casa até o local de testes, para evitar atropelos

2. HORÁRIO: Outra questão onde seu nervosismo pode lhe trair é quanto ao horário da prova. Sempre saia com antecedência de casa, para estar cedo no local dos testes. Os horários de máximo de chegada e de fechamento dos portões devem ser observados. Assim como, a hora de encerramento. Todos constantes no edital. Como a tendência é exigir muito em pouco espaço de tempo, não se desligue do tempo, mas faça as provas com atenção

3. ALIMENTAÇÃO: Evite comer demais, ou mal, antes da prova, para não sofrer congestões ou disenterias. Também não faça a prova com fome. Algumas pessoas se precavém levando lanches e água mineral, para evitar imprevistos na hora do teste

4. MATERIAL: Confira o que é necessário levar para a prova, antes de sair de casa. Tanto os documentos e canetas, exigidos no edital, como os objetos de sua necessidade, como guarda-chuva e relógio (para cronometrar o tempo da prova) - de preferência o mesmo que utilizou para os exercícios *Caso o edital não permita telefones celulares, bips, etc, é importante atentar para não ser desclassificado

NA HORA DA PROVA

1. TEMPO: Controle o tempo de resolução da prova, de acordo com o tempo total disponível e o grau de dificuldade encontrado nas questões: Resolva primeiramente (dedicando mais tempo) a prova com mais peso para a pontuação final. Em cada prova, deixe as questões mais difíceis para o final. Não se esqueça de considerar o tempo para, ao final, fazer a revisão geral das respostas, preenchimento da folha de respostas e revisão desse preenchimento

2. REVISÃO: Alguns pontos podem ser "salvos" na última hora, justamente na revisão, ao final da resolução de todas as questões. Confrontando o que foi solicitado com o sua resposta, para evitar o erro muito comum) de marcar a questão correta, quando o que se pedia era a incorreta

3. FOLHA DE RESPOSTAS: Também é frustrante preencher incorretamente a folha de respostas ou deixar de passar para ela uma questão que se sabia a resposta correta A idéia é conseguir uma boa colocação. O período de validade do concurso e a prorrogação desse prazo, o remanejamento de candidatos, o aparecimento de novas vagas, desistências ou desclassificação de concorrentes, com o tempo, serão os fatores de "sorte" que se encarregarão de reclassificar o candidato.

Eh isso aí, acho que deu pra levantar umas dicas interessantes. Espero que tenham gostado.

terça-feira, 20 de maio de 2008

10 tecnologias importantes das quais você nunca ouviu falar (ou quase)

Essa semana eu estou viajando para minha cidade, então deixei alguns posts agendados para durante a semana. Este veio do site IDG Now, e me chamou a atenção por mostrar algumas tecnologias que realmente as pessoas nem conhecem. Algumas já são tão cotidianas que ninguém mais se lembra delas. Espero que gostem do post.

Você não deve passar muito tempo pensando sobre isso. Mas se elas não existissem, sua vida seria muito mais complicada.

O autor de ficção científica Arthur C. Clarke disse que qualquer tecnologia muito avançada não é diferente de mágica.

Vivemos em um mundo mágico. Estamos rodeados por tecnologia, embora raramente paremos para pensar sobre os incríveis avanços com os quais lidamos diariamente. Estamos acostumados a navegar na internet, a fazer ligações com o celular e a assistir filmes em DVD em televisores com grandes telas.


Olhamos dentro do 'chapéu do mágico' e selecionamos dez tecnologias fundamentais para a era digital. Sem se dar conta, você já usou pelo menos uma delas na sua rotina - se não tiver usado todas. Notando-as ou não, sem elas o mundo seria muito diferente.

1) Unicode
Usamos o computador para todos os tipos de comunicação, da mensagem instantânea ao e-mail, por exemplo. O problema é que essas máquinas não falam a nossa língua. Elas usam linguagem digital; antes de armazenar ou processar o texto, cada letra, símbolo e pontuação devem primeiro ser traduzidos para números.

Os primeiros PCs baseavam-se em um código chamado ASCII, que traduzia a maioria dos caracteres usados por idiomas da Europa ocidental. Mas isso não é suficiente na era da internet. O que fazer com o cirílico, o hindu e o tailandês?

Use o Unicode. Esse padrão define um número específico para cada letra, símbolo ou hieróglifo em mais de 30 idiomas e continua se expandindo. Embora incrivelmente complexo, desde que a Microsoft o adotou para codificação interna da família Windows de sistemas operacionais, ele ganhou notoriedade.

A maioria de nós nunca precisará saber quais números de Unicode representam cada caractere, mas a computação moderna dificilmente sobreviveria sem ele. Na verdade, é ele que permite que você leia essa reportagem pelo seu navegador Web, nesse instante.

2) Processamento de sinal digital
Música digital, fotos digitais, vídeos digitais. É fácil se esquecer de que vivemos em um mundo analógico. Os computadores dão conta de tudo o que vemos e ouvimos porque usam aplicativos de matemática complexa avançada, uma área conhecida como processamento de sinal digital (do inglês DSP).

Onde quer que se encontre mídia digital, o DSP está lá trabalhando, com a ajuda de toda uma categoria de chips e circuitos especializados. Algoritmos DSP revêem erros enquanto seu drive óptico lê a música do CD. Eles novamente são acionados quando você comprime o áudio em um arquivo de MP3 e, mais uma vez, quando você ouve a música nos alto-falantes.

O DSP está para as mídias digitais como correntes e engrenagens estão para um relógio. Ele faz sua mágica discretamente, embora ela seja absolutamente necessária. Pode-se dizer que sem ele nenhuma das tecnologias a que estamos familiarizados – de DVDs a celulares, impressoras e banda larga DSL – existiriam.

3) Ambientes gerenciados por códigos
Programar é muito mais complicado do que era antigamente. Sistemas operacionais modernos são como cebolas, com camadas sobre camadas de subsistemas para interconectar e gerenciar falhas de software e bugs de segurança não identificados – até os erros mais banais podem representar terríveis ameaças na era da internet.

Para diversos desenvolvedores, a solução é usar plataformas feitas para aliviar um pouco da carga. Programas criados para esse tipo de ambiente gerenciado por códigos, como o Java e o .NET, da Microsoft, não rodam em hardwares expostos. Em vez disso, uma máquina virtual age como intermediária entre o software e o sistema. É como uma babá para programas de computador, silenciosamente protegendo a máquina contra violações de segurança.

Para um usuário final, um ambiente gerenciado por código se parece com um software comum, mas esses programas que rodam em máquinas virtuais oferecem uma experiência mais confiável, estável e segura. Com a .NET transformando-se na plataforma favorita para desenvolvimento em Windows, esses ambientes podem em breve deixar de ser a exceção e se tornarem a regra.

4) Transistores
A Intel planeja lançar ainda em 2008 o primeiro circuito integrado do mundo com dois bilhões de transistores. A lei de Moore diz que o número de transistores que colocamos em circuitos integrados dobra a cada dois anos. Existem muitos deles, mas para que servem transistores?

O transistor deve ser uma das mais importantes invenções do século 20. Ele não é nada mais do que um interruptor de voltagem controlada, mas essa modesta descrição esconde um poder incomensurável. Reunidos de formas diferentes, transistores podem formar circuitos que são a base de todo tipo de lógica digital usada pelas CPUs que alimentam computadores e servidores.

O que faz com que os chips modernos sejam tão poderosos é a habilidade da indústria de aproximar e interligar componentes. O transistor do processador dentro do seu PC deve ter 100 átomos de comprimento e a evolução de tecnologias de fabricação poderá reduzir ainda mais esse tamanho.

É provável que chips ópticos ou até mesmo processadores quânticos substituam o design dos chips atuais e ofereçam uma performance muito mais eficiente. Por enquanto, temos que nos contentar com uma tecnologia que nos é útil há cinqüenta anos.

5) XML
Você já deve ter ouvido falar dele, mas, afinal, o que é XML? Talvez você nunca o tenha encontrado diretamente, mas ele está por todo lugar. Com dez anos de existência, ele se tornou a língua-mãe da troca de dados.

A sigla XML significa “linguagem de marcação expansiva” - expansiva porque desenvolvedores podem contribuir com necessidades específicas de aplicativos. Mas o que dá a ele grande valor é o fato de que é uma linguagem, muito parecida com a HTML.

Diferentemente de outros formatos, arquivos XML não são apenas fluxos de números incompreensíveis. O XML é feito para ser usado tanto por humanos quanto por máquinas. Um desenvolvedor que “fale” essa língua pode olhar um documento estranho ao dialeto XML e mesmo assim entender a mensagem que ele transmite.

A poderosa combinação de ferramentas torna o XML incrivelmente útil para todos os tipos de aplicativos. Seu sucesso, entretanto, foi causado pela decisão da Microsoft de usar formatos de arquivo baseados em XML no Office 2007. Seu computador deve estar armazenando documentos em XML e você talvez nem saiba.

6) RAM não-volátil
Seus bolsos têm o mesmo tamanho, mas a capacidade de armazenamento deles aumenta constantemente. Isso lhe parece estranho?

Em 1956, as primeiras unidades de disco da IBM usavam discos com 60 centímetros de comprimento. É difícil acreditar que unidades de disco em escalas micro usam essencialmente a mesma tecnologia. Avanços como a descoberta de resistência magnética e a invenção de cabeças de gravação perpendiculares produziram resultados surpreendentes. De 1990 a 2005, unidades de disco rígido magnéticas aumentaram suas capacidades de armazenamento inúmeras vezes, deixando até a lei de Moore passar vergonha.

Mas mesmo com essa evolução, unidades de disco rígido enfrentaram desafios quando se depararam com dispositivos portáteis. Elas eram muito grandes e frágeis para a maioria dos gadgets. Então surgiram os discos sólidos baseados em RAM não volátil. A tecnologia tem sido usada para armazenamento desde 1970, mas era muito cara até que os processos de fabricação foram barateados pela demanda.

Ela hoje está por toda parte: em tocadores de MP3, câmeras digitais, celulares e laptops. As fabricantes não estão satisfeitas, entretanto. Tecnologias como a de “memória racetrack” poderiam produzir dispositivos de armazenamento ainda menores, mais rápidos e confiáveis.

7) Baterias de íons de lítio
Quando éramos crianças, nossos brinquedos não vinham com bateria. Os brinquedos das crianças de hoje tem a bateria como uma das suas principais ferramentas. Tão essencial quanto a mobilidade, ela não existiria se nossas escolhas tivessem se limitado a D, C ou AA.

A invenção de baterias de íon de lítio deu movimento à engrenagem. As primeiras recarregáveis eram feitas com chumbo – material que não combina com portabilidade. Mas com o lítio, mais leve, as baterias podem armazenar mais energia. Baterias mais leves levam a dispositivos menores.

Além das novas baterias de íon de lítio que usam nanotecnologia, alternativas estão pouco a pouco chegando ao mercado, incluindo células de combustível e ultra-condensadores.

8) Voz sobre IP (VoIP)
Você acabou de fazer uma ligação usando o Skype. Isso é o máximo que você aproveita da tecnologia de VoIP. É o que você acha. O VoIP está revolucionando a indústria de telecomunicações, eliminando as barreiras entre chamadas de voz e redes digitais.

E os cartões pré-pagos que oferecem preços mais atrativos para chamadas internacionais? O VoIP é o responsável por eles existirem. Da mesma forma, um crescente número de empresas usa VoIP para eliminar impostos de chamadas de longa distância.

Menos impostos implicam preços mais baixos. Chamadas digitais são mais facilmente gerenciadas, o que faz com que elas sejam interessantes até para as operadoras. Não se assuste se, em breve, sua linha telefônica for substituída por uma digital.

9) Unidade de processamento gráfico (GPU)
Pensou que seu cartão de vídeo funcionava apenas com jogos? A unidade de processamento gráfico (do inglês GPU) que ele usa é como uma segunda e altamente especializada CPU. Quando se trata de certos tipos de matemática complexa, ela faz sua CPU passar vergonha.

Até pouco tempo atrás, quando você não usava toda a potência do computador, o que sobrava ia para o lixo. Mas cientistas estão descobrindo novas formas de utilizar a aceleração GPU para aumentar a velocidade de aplicativos fora da tela. Por exemplo, um projeto da Universidade de Stanford distribui cálculos para outros PCs dentro da rede para melhorar sua performance em muitas vezes.

Devido aos tipos de cálculos usados para criar gráficos em 3D serem também úteis para outras funções, a aceleração da GPU pode contribuir com diversos aplicativos, de ciência matemática e engenharia até questões complexas de bases de dados.

Cada vez mais, a performance do PC não dependerá da velocidade de nenhum chip. Conforme a AMD e a Intel entrarem no jogo, as CPUs do próximos desktops devem reunir capacidades de CPU e GPU em um único pacote, o que agradará não só jogadores mas todos os usuários.

10) Internet rápida
Onde estaríamos sem internet rápida? Raramente nos lembramos de que há dez anos, a maioria de nós usava modems precários. A revolução da banda larga introduziu o streaming de vídeo, os downloads de MP3, chamadas telefônicas pela internet e games online com múltiplos jogadores. E devemos isso à televisão.

Na década de 80, empresas de TV a cabo prometiam 500 canais de programação ininterrupta. O cabo era apontado como o mais importante fio dentro de uma casa, mas as companhias telefônicas escondiam uma carta sob a manga. Uma nova tecnologia poderia levar sinais de alta freqüência a linhas telefônicas comuns, que até então suportavam só chamadas de voz que usavam pouca banda. As operadoras viram isso como uma oportunidade para vender conteúdo de vídeo e competir com empresas de TV a cabo.

Foi o que pensaram. Esse plano foi deixado de lado na metade da década de 90, mas a tecnologia sobreviveu. Chamada atualmente de DSL, ela permite oferecer acesso rápido à internet.

Tanto o cabo como a DSL ainda usam sinalização convencional de freqüências sobre fios de cobre, mas novas mudanças devem aparecer. As fibras ópticas, por exemplo, prometem velocidades maiores e o WiMax pretende levar a banda larga a territórios que ainda não recebem o sinal.

O que essa nova revolução deve trazer... Bem, apenas começamos a imaginar.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Receitas com Cholocate e Pimenta

Bom dia caro leitor! O post de hoje é especial. Hoje vou passar algumas receitas de uma mistura que é provavelmente a melhor que já experimentei com chocolate: Chocolate e Pimenta. Tudo começou depois que experimentei uma trufa de chocolate com pimenta e quase tive um orgasmo mental. Era tão gostoso, mas tão gostoso, mas tããããããão gostoso que eu não resisti e comprei mais. Agora, estou aqui trazendo várias receitas de bolos, trufas, brigadeiros, entre outros, todos com pimenta (alguns vão até pimenta do reino). Espero que gostem.

Receitas com Chocolate e Pimenta

Bolo Rápido de Chocolate com Pimenta

Massa:
2 colheres (sopa) de manteiga derretida
1 colheres (chá) de canela em pó
1/2 xícara de chocolate em pó
1/2 xícara de farinha de trigo
1 xícara de açúcar
6 ovos...


Recheio e cobertura:
1 colher (sopa) de molho de pimenta malagueta
1/2 xícara de castanha de caju triturada
1/4 xícara de licor de chocolate
1 xícara de creme de leite
400 gramas de chocolate ao leite picado

Preparo

domingo, 18 de maio de 2008

O Beijo

Olá caro leitor. Estou fazendo um post especial hj, pq ele é realmente especial. Algo que aconteceu tão rápido mas que me deixou tão marcadamente apaixonado e, apesar de todos os avisos, algo que ficará marcado para o resto da minha vida dentro de mim. Um Beijo. Espero que goste.

Quando um beijo eu encontro,
e sem ao menos esperar,
no meu beijo este beijo encaixa
Mil outras loucuras um beijo lá do começo pode ocasionar

E se este beijo é docemente molhado, como o seu
Certamente,
em mim,
um beijo que beija igual vai encontrar

E se além de um beijo doce e molhado
Você, depois de me beijado
Me faz sentir um sentimento quente
por dentro das minhas veias
correndo
a se espalhar
Meu coração dispara,
Eu logo quero é outro beijo
Não mais quero me controlar

E quando você me cede outro beijo
Beijo duplamente quente,
molhado
doce
sutil, sublime,
gostoso
se você abrir um olho
e olhar meu rosto
vai descobrir
certamente
por que e como gosto de te beijar

E se ficamos calados tantas vezes, antes
Com os olhos a se entrecruzar
Cheios de dúvidas um do outro
No beijo se deu o nosso encontro
Isso não dá prá negar

Entendo que prá você,
Ouvir em um poema que teu beijo é bom
Pode te causar estranheza
Mas o que alcançamos no beijo
com toda a beleza
era a minha exata noção
de que o nosso beijo
com certeza fostes
um beijo de amor....

Um dia vou lá dentro de você te conhecer
Irei a sua casa,
Comerei do teu jantar
Beberei do teu vinho
Deitarei na tua cama
E te beijarei gostosamente,
do jeito que lá no começo quisemos
naquele estranho lugar
o beijo que sonhei
Era um beijo em você
Desses bem simples
À luz do luar...

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 05 - Segunda Temporada

Bem meu caro leitor, hoje é sexta e daqui até o dia 25 eu estarei viajando e, muito provavelmente, sem internet. Então todos os posts para este período do dia 16 até dia 25 são agendados. Comentários que vocês deixarem durante este período serão liberados assim que eu tiver uma conexão com internet em minha cidade ou, no pior caso, somente quando eu voltar. No entanto, não deixarei você abandonado, como fiz da outra vez. Espero que não se importe. Agora, vamos ao post de hoje.

Crônica - Vampiro e Lobisomem

Aqui estamos para mais uma parte crônica Vampiro e Lobisomem. Isis está perdida, não sabe mais o que fazer. O que será que ela poderá fazer para evitar o sofrimento de ter que matar pessoas para satisfazer um vampiro com sede de vingança? Veremos agora.

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em algum lugar do Passado

Muito tempo havia passado desde que encontrou-se pala última vez com um lobisomem, cento e cinqüenta e três anos para ser exato. Ísis não mais desejava envolver-se com nenhum ser sobrenatural, e assim não o fez por muitos anos. Walter a pressionava e ela precisava decidir o que fazer quanto a seu pobre companheiro. Não lhe restava outra alternativa senão a de procurar ajuda entre aqueles que eram considerados os maiores caçadores de vampiros: Os lobisomens. Temia ser descoberta por Walter, mas sabia que não tinha mais nada a perder e devia de todas as maneiras salvar a vida do pobre Ferguson, e de muitos outros...


Pouco tempo depois de Walter ter se retirado, Ísis deixou a taverna sob a responsabilidade de um funcionário, pegou um de seus únicos cavalos e cavalgou para o campo. Temia pela reação dos lobisomens, se eles ainda a reconheceriam depois de estar ausente por tantos anos. Todos que a viram, inclusive Evan, já estavam mortos e ela não conhecia ninguém entre os lupinos, nem mesmo de vista, quanto menos alguém de confiança, mesmo assim foi determinada a encontrar auxílio.

Seu cavalo já estava cansado, e já não mais corria apenas arrastava-se. Estava a uma distância bem grande da cidade, dentro de uma mata longe de qualquer estrada, Ísis sabia que deveria haver algum lobisomem por perto. Não perdeu mais tempo e começou a gritar o único nome relacionado a lobisomens que ainda se lembrava:

- Filhos de Gaia!! Vim aqui para encontrá-los!

Gritou várias vezes até que desistiu, montou em seu cavalo e ordenou-o que seguisse, estranhamente ele não a obedeceu, parecia hipnotizado, Ísis insistiu e ele numa reação estranha jogou-a no chão e correu sem rumo. Ela ainda tentou alcançá-lo mas não era mais rápida que um cavalo e ele fugiu. Olhou em sua volta, estava perdida, desesperou-se pois o dia não tardava a chegar e ela não sabia onde refugiar-se. Escolheu então andar em direção daquilo que considerava ser uma trilha. Após algum tempo percebeu que andava em círculos, perdeu a cabeça, não sabia mais o que fazer e nem como fazer, não desistiu e continuou a andar, mas sempre em círculos. Uma hora já havia se passado desde que havia se perdido, e sua sorte não estava a seu favor, pois era verão e tinha pouco tempo para pensar em algo. Olhou a volta e não viu nada, apenas árvores que de nada a protegeriam do sol, não havia nenhum sinal de grutas ou cavernas, sentiu seu fim aproximando-se. Ela sentou-se em um tronco desiludida e espantada com o irônico fim que a esperava, morreria como uma tola na mata. De repente ouviu um barulho vindo de suas costas, olhou espantada e viu um homem aproximando-se, empolgou-se e foi correndo em sua direção. O homem lentamente mostrou sua verdadeira identidade, e foi aumentando seu físico chegando a forma de lobisomem. Ísis ao ver do que se tratava, ficou paralisada esperando pela iniciativa do estranho. Este nada disse e apenas uivou, segundos depois Ísis se viu cercada por mais quatro lobisomens. Um deles que ainda estava na forma de lobisomem disse:

- Diga seu último desejo sua lacaia da Wyrm!!!

- Não me machuquem! Sou uma de vocês! Olhem essa tatuagem!

Todos se assustaram, o que não estava na forma de lobisomem aproximou-se e verificou o braço de Ísis.

- É autêntica! Por Gaia! Será que é ela?!

- Impossível!! Ela fede a Wyrm! - disse um outro voltando a forma humana.

- Qual é o seu nome? Criatura.

- Sou Ísis, uma vampira. Sei que não apareço faz...

- Cale-se! O que acham que devemos fazer com ela?

- Vamos matá-la!

- Acho melhor levá-la a Evan ele saberá o que fazer.

- Está maluco! Quer levá-la ao Caern?!

- Evan! Eu conheço Evan! Era meu aliado! Ajudou-me a matar todos os vampiros da cidade de Jamestown!

Os lobisomens se entreolharam, espantados e voltaram todos a forma humana.

- É ela! Meu Deus ela está viva! Não é uma lenda!

- Não me importa! Ela fede a Wyrm! Vai nos trair!

- Desculpe-me, mas acho que tem algo errado com seu faro, sou uma lacaia da Wyrm, mas não sou má!

- Quem é você para corrigir-me! - disse o lobisomem aproximando-se - Apesar do que diz a lenda, eu não confio em você! Quem pode garantir-me sua identidade! Além do mais, todos os vampiros são iguais e devem ser exterminados com implacável fúria e piedade!

- Acalme-se Sebastian!... Ele está certo, você fede a Wyrm. O que deseja de nós? Por que não apareceu antes?

- Como eu tentava dizer. Sei que é um pouco estranho eu ficar desaparecida por todos esses anos mas tive que manter-me escondida para não ser morta por um vampiro. Ausentei-me por mais de um século e meio, mas agora voltei, preciso de ajuda.

- Ah! Está explicado! Você é como todos os outros! Aparece somente quando lhe interessa! É uma traidora! Acho que deve morrer! - disse Sebastian encurralando Ísis em uma árvore, enquanto sua aparência assemelhava-se lentamente com a de um lobisomem.

- Mantenha distância Sebastian! - disse o outro entrando entre os dois. - Ainda sou o líder dessa matilha!

- Quem você pensa que é, Martin? Acha que só por ser o escolhido de Evan vai mandar em mim!? - gritou Sebastian empurrando Martin.

- Não obrigue-me a fazer aquilo que não quero!

- Faça, seu traidor! Morrerá tentando proteger uma lacaia da Wyrm!

Martin enfureceu-se e se não fosse contido pelos outros acabaria entrando nessa luta inútil. Ísis vendo que os ânimos já se acalmavam, novamente disse:

- Não vim aqui para causar mais mortes. É por isso que vim pedir-lhes ajuda, quero evitar a morte de pessoas inocentes.

- Pessoas inocentes!? Desde quando existe algum ser humano inocente?! Todos querem destruir nossas matas!

- Eles não fizeram nada, só foram desafortunados o suficiente para terem seu destino cruzado com o de um vampiro. Walter é seu nome, ele é o único sobrevivente de Jamestown, que tem me cassado nos últimos anos.

- Escutem-me! Ela é uma traidora! Está enganando vocês! Vai nos entregar!

- Cale-se Sebastian!! Farei aquilo que a matilha achar melhor! Quero que todos votem, assim saberemos o que fazer com ela. Fiquem a minha direita aqueles que acham que ela deve viver e a esquerda os que não.

Sebastian e um outro dirigiram-se a esquerda e Martin e outros dois à direita.

- Vocês são idiotas! Querem levar uma lacaia da Wyrm ao Caern!? Ela fede a Wyrm!! Será que não entendem! O ritual só protege aqueles que não fedem!

- De uma coisa é certa, é impossível ela ter sido dominada. Se ela estiver nos traindo é por vontade própria, o ritual tem efeito permanente. - disse um dos que estavam ao lado de Martin.

- E desde quando ela precisa ser dominada para nos trair?! Está fazendo isso por conta própria!

- Sebastian, a maioria decidiu! Terá que acatar a decisão!

- Tudo bem, ela não morre, mas também não entra no Caern!

- Como ousa desafiar a decisão da matilha!?

- Acalmem-se, ambos! Martin, ele tem razão, é mais sensato deixá-la aqui por enquanto. Fiquem aqui vigiando-a, que já volto com Evan.

Ísis estava espantada, nunca havia visto uma discussão tão forte entre lobisomens e chegou a temer por sua vida. O que aconteceu com esses justos seres enquanto se ausentou? Parece que quanto mais os vampiros se fortaleceram, mais os lobisomens se enfraqueceram. Estava espantada, também, pela longevidade de Evan, sua curiosidade era grande e logo perguntou:

- Como é possível que Evan esteja vivo até hoje?

- Não está. Após a morte do primeiro Evan, que foi um dos maiores líderes de todos os tempos, passaram a dar esse nome a todos aqueles que são considerados justos.

- Cale-se Martin! Não conte a ela nossos segredos e tradições! Ela é uma traidora!

- Sebastian, por que tens tanto ódio por mim? Nunca fiz nada a você ou a nenhum lobisomem.

- Você é uma vampira!! Não preciso de outra razão para odiá-la! Seu cheiro indica suas intenções!

- Desculpe o nervosismo de meu amigo. É que sua mãe foi morta por um vampiro e depois desse dia ele enlouqueceu. - disse Martin a Ísis.

- Você não tem medo da morte?! Seu filho da mãe! Quem é você para falar de minha mãe!

- Sebastian, não vai querer negar agora que sua mãe tinha um caso com seu próprio assassino!? Todos sabem.

- Seu filho da mãe vou matá-lo!

Ambos, sacaram suas adagas mágicas, transformaram-se em lobisomem e prepararam-se para uma luta mortal quando de repente ouviu-se um estrondo vindo de cima.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Py3k - Reforma geral na linguagem Python

Olá leitor! Estou aqui mais uma vez para falar de Python. Dessa vez o assunto é diferente. Vamos falar de Python 3000, ou a release 3.0 do Python.

Muitas coisas estão mudando na linguagem. Eu mal comecei a aprender a linguagem (estudando num livro de Python 2.3 e usando Python 2.5) e o Python já vêm com mais novidades. Apesar da frase ser aparentemente ruim, eu digo isso com otimismo, pois cada vez mais a linguagem vai melhorar, a ponto de se tornar ainda mais popular entre os programadores que dizem que linguagem de macho é linguagem com ';' e begin .. end.

Mas, vamos às novidades.

terça-feira, 13 de maio de 2008

Licenciamento de Software

Bom dia leitor! Eu não sei se já falei em algum post anterior, mas de uns tempos para cá eu venho me empenhando bastante em aprender uma nova linguagem: Python. Estou realmente surpreendido com a capacidade da linguagem, e até agora, não tenho nada a reclamar. Apesar de o conteudo do post de hoje não envolver diretamente Python, ele está ligado aos projetinhos que eu venho desenvolvendo durante os últimos anos.

Bem, nos últimos anos, eu vinha desenvolvendo em Delphi, Java ou até recentemente, em C. Vinha porque não estou mais programando nestas linguagens. Decidi me dedicar exclusivamente à Python. E por incrível que pareça, projetos que eu estava tendo dificuldades de levar para frente pelos mais diversos motivos, eu estou conseguindo levar adiante com relativa facilidade nessa linguagem.

Uma delas é o PyIrc, framework de comunicação usando o protocolo IRC. Em menos de 2 meses eu consegui fazer o que, no Delphi, eu levei mais de 5 anos para desenvolver, em face à dificuldade de se escolher os componentes de conexão. Agora, com a proximidade do lançamento da primeira versão pública de partes da framework, outro problema me vem à mente. Licenciamento...

domingo, 11 de maio de 2008

Tipos de Provas de Concursos

Num post anterior, eu usei o material do site do Augusto para falar sobre como estudar com efetividade e se dar bem em concursos. Já hoje o tema é um pouco diferente. Hoje o tema são os tipos de provas mais comuns em concursos. Espero que gostem sa seleção.

Um concurso pode ter várias fases dependendo do que o selecionador julgar necessário. Normalmente, cada fase é caracterizada por um tipo de prova. Alguns têm somente provas objetivas. Outros também têm provas discursivas, exames físicos e até provas orais. A seguir, as principais modalidades de provas.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 04 - Segunda Temporada

Essa semana foi meio puxada aqui na escola, então os posts minguaram um pouco. Foi então que decidi fazer algumas consultas com você para ver os melhores dias para postar. O gadget de votação está no final da barra lateral. Dê seu voto, pois é muito importante para mim, para saber o que melhor agrada a ti, caro leitor. Agora, vamos ao post principal da sexta feira. O que será que vai acontecer com Fergurson, agora que uma antiga ameaça o encontrou? Leia aqui, e leia agora !!

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em algum lugar do Passado ...

Ísis procurou durante toda a noite, nas estradas, estalagens, porto, em todos os lugares, mas ninguém o viu. Pensou no lugar onde ele iria se estivesse livre, lembrou-se do sonho simples do jovem: construir uma família e ter uma fazenda. Concluiu, então, que ele viajaria para uma cidade do interior, onde poderia comprar uma fazenda. Sabia que ele não possuía dinheiro suficiente para a compra, mas mesmo assim achou que ele viveria no campo pois este também era seu sonho, lá conseguiria um trabalho, realizando-se ao menos em parte. Correu então para os limites da cidade, procurando por alguém que o teria visto. Era certo que ele não sairia da cidade sozinho, pois nunca havia estado em outro local. Foi em todas tavernas de viajantes que encontrou, mas em nenhuma delas alguém havia visto um jovem viajando para o interior, viram somente jovens chegando do interior ou jovens indo para cidades maiores, como Londres, o que era perfeitamente normal, pois lá havia mais chances de empregos para recém formados.


terça-feira, 6 de maio de 2008

O sucesso consiste em não fazer inimigos

Eu recebi um e-mail muito interessante de um colega de Brasília, e resolvi postar ele por aqui. Ele trata justamente sobre relações pessoais, amizade e inimigos. Espero que gostem ...

domingo, 4 de maio de 2008

Posts relacionados no Blogger

Bom pessoal, fazia tempo que eu não mexia no layout do meu blog, talvez por preguiça ou talvez por comodismo. Não sei qual dos dois é pior, mas resolvi mudar isso hoje, depois de ler um post no blosque.com sobre como adicionar um Widget de Posts Relacionados no Blogger.

Sempre achei interessante essa coisa de posts relacionados pois, por curiosidade, você acaba visitando alguns daqueles links que parecem interessantíssimos. Eu ainda não implementei a idéia desse post, mas pretendo em um futuro bem próximo fazer isso. Espero também que, com esse recurso, eu consiga fazer subir a estatística "Pages/Visit" e diminuir a "Bounce Rate", que me deixam sempre com um nó na cabeça, por não saber mais o que poderia fazer para que esses dois mudassem.

Bom, vamos à dica então.

Conforme o post original, as vantagens dos posts relacionados são as seguintes:
- Permitir o leitor encontrar exatamente o que lhe interessa;
- Permitir que o visitante conheça mais sobre o seu blog;
- Aumenta a possibilidade de que o visitante leia mais posts;
- Mantém os posts mais antigos à vists;
- Melhora a navegabilidade do blog.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 03 - Segunda Temporada

Primeiro post de maio, não poderia ser melhor. Hoje, vamos continuar a saga iniciada há três semanas atrás, agora com Ísis vivendo no velho mundo, Lar dos vampiros mais poderosos que já existiram desde os tempos dos matusaléns e antediluvianos da antiguidade. Espero que curtam.

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em algum lugar do Passado ...

A noite já reinava há muito tempo. Ferguson estava furioso com o comportamento de Ísis e sabia que ela pensaria em algo para mante-lo preso, sendo assim, resolveu fugir. Pegou todos seus pertences, suas roupas, o pouco de dinheiro que conseguiu economizar durante esses anos e saiu. Quando passava como um raio pela entrada o funcionário responsável pela estalagem veio falar-lhe ...