sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Conspiração P.A.L.M.A.S. 2

Bom dia. Aqui estou para postar mais um capítulo da odisséia Conspiração Palmas. No entanto, ao contrário do que eu penso, muitas pessoas gostaram do texto e me pediram para postar assim mesmo, pois o grau de viagem está ótimo. Eu não concordei pq achei que algumas mecânicas precisavam ser melhoradas, mas vou postar assim mesmo. Espero que curtam este texto. A primeira parte deste episódio pode ser encontrada no post Conspiração P.A.L.M.A.S. Boa leitura !!

Conspiração P.A.L.M.A.S. 2

18:38:26 - Estou no topo do mirante da Serra do Carmo, admirando por mais uma vez o Sol se pondo por trás da jovem e bela capital do estado do Tocantins. No entanto, apenas eu, e mais alguns poucos loucos, conseguimos enchergar além desse cenário melancólico e ver por trás das cortinas do cotidiano. No entanto, não é para isso que vim até aqui em cima hoje. Não foi por uma bela visão do por do Sol nem da cidade, e sim para fazer meu último experimento antes de revelar a vocês, a verdade.



19:11:26 - O Sol já se escondeu no oeste e as estrelas já começaram a pintar o céu em tênues cores que rapidamente se dissolvem na escuridão. No entanto, uma luz branco-azulada surge do outro lado da serra, longe do alcance da vista daqueles que moram na cidade, mas plenamente visível dali, da ponta do morro. Um grande disco branco se levantando para o céu, começa a se cercar de nuvens e parte em direçâo ao esmo. Sem nem pensar, saio dali para não ser descoberto. E aqui meus amigos, depois desse depoimento, começa mais um relato preciso da atividades subterfugiadas em P.A.L.M.A.S.

Bom, começemos com um pouco de história contemporânea. Há alguns anos, dois presidentes subiram ao poder em dois paises que até este momento, eram neutros um em relação ao outro, com boas relações comerciais. No entanto, com a ascensão do presidente Polvo e do presidente Chaves, as relações diplomáticas começaram a ficar mais tensas, até o momento que, como forma de manter seus recursos em seu próprio controle, a Bolívia tomou a refinaria de gás natural da Petrobras para seu controle, sem intervenção da mesma.

Como todos se lembram, foi amplamente divulgado na televisão, principalmente pela propria mídia do país que, após alguns meses, também foi desapropriada pelo governo e passou a dirigir a sua programação televisiva.

Isso claramente mostrou para os governantes do sub-governo, que aquele país estava se tornando um entrave ao nosso próprio desenvolvimento e ainda havia o risco de guerra que começava a surgir. Então, o sub-governo aproveitou a estrutura já construída da Base P.A.L.M.A.S. para seus novos planos.

Em nossa região, coincidentemente aconteceram e ainda acontecem fatos no mínimo estranhos. Bússolas que perdem seu prumo, tempestades elétricas sem causa aparente, luzes e barulhos estranhos durante a noite, presença frequente de caças sobrevoando nossa região e, o mais estranho de todos, um trecho de rodovia onde os carros sobem desengatados ao invés de descer.

Apesar de serem eventos aparentemente sem relação, todos eles tem um ponto em comum. Projetos de novas armas secretas desenvolvidos pelo nossa inteligência.

Como guerras tradicionais não tem mais aquele impacto na sociedade, trazendo por vezes um efeito negativo, e ainda com a necessidade do sub-governo de se manter oculto à toda custa, novas armas que imitem fenômenos naturais seriam bem vindas. E e aí que entra nossa bela cidade.

Com sua super-estrutura, a base militar de palmas tem condições mais do que suficientes para abrigar novos projetos de armas militares. Recursos minerais não faltam, como minério de ferro, água, calcário, madeira, energia.

Primeiramente, quem nunca se perguntou porque todas as vezes que chove na cidade, a chuva surge de repente, quase destrói metade da cidade, e se dissipa em questão de minutos? Porque as vezes enormes tempestades elétricas assolam a nossa cidade, nos deixando totalmente inseguros com nossos equipamentos ligados nas tomadas? Bom, um simples motivo: Projeto Nave Ultraleve para Vigilâcia, Ataque e Manipulação, codinome N.U.V.E.M. Este veículo tem a capacidade de formar extensas áreas de concentração de vapor de água, formando grandes nuvens que podem cobrir enormes áreas. Dentre seus equipamentos, eles tem geradores de vento, formadores de chuva e o melhor de tudo, podem criar raios e trovões que podem intimidar qualquer um no raio de ação desta nave.

Outro fenômeno mal explicado é o relacionado a luzes que as vezes são vistas no céu noturno da cidade. Isto nada mais é do que uma arma de ataque à distância que pode facilmente substituir os antigos e arcaicos ICBMs em ataques continentais, que são os canhões de partículas, ou canhões de plasma. Com uma estrutura de satélites boa, um canhão de partículas pode facilmente ser usado para acertar qualquer parte do mundo, e é isto que os militares pretendem, como suporte às suas táticas tradicionais. Uma nuvem cobrindo uma região, gerando tempestade suficiente para ocultar sinais de outros equipamentos, e um disparo preciso de um canhão de partículas, acabaria rapidamente com uma pequena cidade. Os sons estranhos já são relacionados às armas sônicas utilizadas pelas tropas terrestres, usadas para neutralizar alvos vivos. Armas de microondas podem ser detectadas à distância, mas armas sonoras não. É a tática perfeita.

No entanto, alguns acontecimentos muito estranhos ainda não podem ser explicados por simples observação, como nestes casos. Eles exigem um nível de conhecimento da organização militar da base que poucos já conseguiram. Bom, vamos lá.

Há algum tempo foi noticiado de forma parca na televisão a ocorrência de queda de um meteorito nas proximidades do município de Palmas. Claro, isso foi bem antes de eu me mudar para cá, mas me lembro das notícias como quem acabou de assistir seu show favorito na televisão. Na época que eu cheguei nessa cidade, a primeira coisa que eu fiz foi ir atrás de informações sobre o tal meteorito e o que encontrei? Nada. Não havia nem sinal de meteorito, nem nada. Nem mesmo árvores que poderiam ter sido queimadas no processo. Somente um estranho lago com água muito suja havia no local.
Para os curiosos, o local é este: Local da Queda do Meteorito

O que isso quer dizer? Bom, uma coisa me veio à cabeça quando estava lá, examinando o local. Será mesmo que foi um meteorito mesmo que caiu ali naquela região? Será que é muita coincidência que, nos últimos 100.000 anos, dois meteoritos caem tão próximos um do outro assim (eh minha gente, a formação da Lagoa da Confusão só pode ser explicada quando você analisa o local como uma cratera de um meteorito de mais ou menos o tamanho de um prédio de 5 andares)?

A resposta é simples. Ou os militares tiveram contato com alienígenas, ou eles obtiveram de alguma forma, acesso a tecnologia alienígena.

Isso pode explicar o porquê de dois fenômenos estranhos e aparentemente não relacionados acontecerem no mesmo local. Como os militares são especialistas em construir bunkers subterrâneos, nada os impediria de ter criado uma base de testes na Serra do Carmo, já que a mesma é praticamente um veio de ferro e niquel. E pensando no modo como o projeto N.U.V.E.M. se locomove, poderíamos imaginar que o referido local da rodovia passasse por cima de algum tipo de interferômetro, que em vez de atuar em ondas eletromagnéticas, atuasse com ondas gravitacionais.

Quanto à interferência na bússola, se a mesma fosse linear e randômica, a explicação de que se está em cima de um veio de minério de ferro resolveria, mas parado em cima da rocha, ela varia de forma não linear, e as vezes de maneira muito abrupta, o que poderia ser explicado por testes feitos com campos eletromagnéticos extremamente fortes. O Canhão de Partículas é um sério candidato a ser o gerador deste efeito.

No entanto, a influência alienígena não é bem explicada nestes casos pois ainda não é possível por este observador, determinar com exatidão quais são as tecnologias alienígenas que podem ter sido absorvidas pelos militares e, mesmo neste caso, a forma como elas ocorreram. No entanto, isto pode ser a explicação de o porque tantos ovnis são relatados nesta região do país.

A única coisa que este observador pode com exatidão relatar é que a guerra está presente, só que agora, é muito mais difícil percebê-la por conta do uso destas novas tecnologias. Esperamos que a guerra não aconteça, pois isto seria terrivelmente ruim para nós. No entanto, eu percebo que assim como nós estamos trabalhando nossas tecnologias, eles devem estar trabalhando as deles, pois o terremoto acontecido em Minas Gerais pode ter sido resultado de um embate entre as duas tropas, brasileira e boliviana. Pois acredito que eles dominaram uma tecnologia de perfuração rochosa que pode ser usada para viagens por baixo do solo, e usando vibrações sônicas reverberantes (a mesma que Nikola Tesla inventou), pode causar um enorme deslocamento de terra, simulando um grande terremoto. Fontes próximas acreditam que os americanos aprimoraram essa técnica, e um teste de campo na ásia pareceu confirmar a teoria.

Bom pessoas, agora que está tudo semi-esclarecido, este observador se ausenta por mais algum tempo. Pois como foi da primeira vez, este foi caçado impiedosamente por vários meses pelos militares, que criaram uma força-tarefa chamada polícia secreta. Talvez em mais alguns meses eu volte a falar novamente de algum assunto que mereça a sua atenção.

Até mais, até um próximo encontro. Se eu sair vivo dessa.