sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 14

E aqui está o penúltimo capítulo desta série. O que será que aconteceu com Edgard? O que Isis pretende fazer? São todas respostas que vocês encontrarão nestes próximos capítulos. Boa leitura.

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em Algum lugar do Passado

Por sorte, Goth era um caçador de vampiros que tinha um belo arsenal e, por isso, Ísis não teve dificuldade em encontrar, na casa, algumas armas. Encontrou duas pistolas, uma espingarda e um machado. Nem pensou nas conseqüências de seus atos, estava tomada pelo ódio e aspirava à vingança, mas, acima de tudo, tinha de ser rápida, pois não sabia se Edgard estava vivo ou não.

Em poucos minutos, Ísis chegou correndo à Camarilla. Pela 1ª vez, sentia o calor do frenesi correr por seu sangue.

- Onde está Edgard?! Libertem-no, ou morram!!

- Ela entra gritando e ameaçando a todos por um traidor, e eu é quem sou uma louca!? - disse, a Malkaviana Alice, ironicamente.

- Cale-se, Alice! - disse, Richard - Você quer vê-lo, Ísis? - disse, voltando-se para a vampira friamente.

- Claro! O você fez a ele?

- O que mereceu! Siga-me se quiser vê-lo!

Ísis o seguiu. Foi levada até o subterrâneo da casa. Lá, sobre uma mesa, estava a cabeça de Edgard. Sua face ainda retratava o terror que havia sofrido, mas seus olhos estavam tristes e fracos. Ísis ficou paralisada. Desesperada, beijou a boca ensangüentada de Edgard, chorando e, inutilmente, tentando reanimá-lo. Enquanto isso, todos riam de sua dor. Mesmo após os demais terem parado de rir, a Malkaviana continuou seu sarcasmo, provocando a jovem vampira. Ísis enfureceu-se e, com o machado em punho, atacou a insana. Ela não esperava essa atitude de Ísis, que estava abatida e arruinada, e foi pega de surpresa. Num ímpeto de fúria, Ísis acertou o golpe no pescoço de Alice, a qual caiu decapitada. Ísis nunca havia usado um machado na vida, mas a fúria fora tanta que o fez com perfeição, já que sabia que seria rechaçada após atacá-la.

Antes mesmo que pudesse tentar atacar algum outro vampiro, agarraram-na e tomaram-lhe as armas, deixando-a, apenas, com uma pistola que estava escondida em suas vestes.

- Essa mulher ficou maluca! - gritou, Brian. - Vou matá-la!

- Não toque nela! - gritou, Richard. - Ela tem que ser julgada!

- Julgada!!?? Mas para quê?! Ela já se incriminou!

- Cale-se!! ... Respeite-me, ou também será julgado!

O vampiro calou-se enfurecido. Richard pegou a cabeça de Alice, colocou-a em seu lugar e curou a mulher com um simples toque no pescoço. Ela acordou engasgando-se, mas, quando retomou os sentidos, enfureceu-se e tentou atacar Ísis. Richard a impediu.

- Não a mate ainda!

- O quê!? Seu filho da mãe!! Ela quase me matou! E traiu-nos a todos!!

- Repita o que disse que eu mesmo a matarei, sua Malkaviana ingrata!! Você não vale nem mesmo o dispêndio de meus poderes!

Alice calou-se por alguns instantes, abaixou a cabeça e nada falou; parecia ter entrado em algum tipo de torpor mental. Todos a observavam quietos, esperando alguma reação; parecia que ela havia sido dominada por Richard. De repente ela explodiu, soltou um grito agudo e atacou Ísis enfurecidamente.

- Não!!! Tenho que matá-la!!! - gritou ao atacá-la.

Todos se assustaram com a reação da louca e recuaram, deixando Ísis livre. Alice voou no pescoço da menina, gritando palavras inaudíveis e tentando mordê-la a todo custo. O ataque de sua oponente era tão desequilibrado, que Ísis esquivava-se. Mesmo assim, Alice não desistiu e continuou atacando Ísis, que recuava como podia. Ísis, vendo que a parede aproximava-se e que logo não teria mais para onde recuar, sacou sua pistola e atirou no peito de Alice, que caiu novamente. Richard espantado, aproximou-se de Ísis lentamente.

- Entregue-me isso, garota. Você não sabe como usá-la. - disse, Richard, não demonstrando medo algum à arma.

- Não sei!??? -disse, Ísis, apontando para a cabeça de Richard. - Pergunte a essa maluca se eu não sei!

- Entregue-me. Não piore as coisas para você. - respondeu, Richard, ainda friamente.

- Não se aproxime, ou vou explodir sua cabeça!!!

- Tudo bem! Faça então!

Ísis não perdoou e atirou. Infelizmente, ela esquecera-se de que sua arma só tinha capacidade de dar um tiro por vez e ela não a havia recarregado, sendo assim, a arma não disparou. Richard soltou um sorriso irônico e os outros vampiros caíram em gargalhadas.

- Como eu disse. Você não sabe usar esse brinquedo. Passe ele para cá!

Ísis ficou atônita enquanto Richard tomava a arma de sua mão; não acreditava no erro infantil que fizera. Alice se levantou ainda tonta e tentou atacar Ísis novamente, mas foi contida por Richard.

- Pare com isso, Alice! A brincadeira acabou! Ela terá o que merece após o julgamento!

Alice ainda relutou, queria de qualquer maneira se vingar.

- Então vamos logo com isso!! - disse, ela, recobrando-se de sua fúria.

- Acalme-se. Devemos esperar Walter.

O tempo passava e Walter não aparecia. Alice e os outros ficavam cada vez mais nervosos. Todos, menos Jauques de Bardoul.

- Ísis. - disse, Jauques, educadamente. - Qual é a sensação de beber sangue de animais?

- Garanto que não é pior que beber do sangue de vocês!

- Não disse que ela é doida, retrucou Alice.

- Cale-se, Alice! - disse, Richard.

- Não consigo entender como um ser tão bonito como você pôde beber sangue animal. Deve ser nojento! - continuou, Jauques.

- E eu também não entendo como vocês, mesmo podendo escolher, têm a coragem de matar seres humanos. Matam, até mesmo, um pobre vampiro que nunca fez mal a uma mosca.

- É, mas este mesmo vampiro matou um de sua própria espécie! Não acha isso um crime pior?! - disse, Brian.

- Sinceramente, não! Ao menos ele matou alguém que merecia morrer, e, não, matou alguns coitados que nunca fizeram nada!

- Ísis, se você é contra tudo isso que fazemos, por que se tornou, então, um dos nossos? - indagou, Jauques.

- Scott não me deu escolha. Era ser um vampiro ou morrer! Preferia ter morrido a ter me tornado... isso!

- Tarde demais, minha querida! - respondeu, Richard.

Ísis calou-se. Finalmente alguém batera na porta. Richard mandou que Brian abrisse a porta.

Passaram-se alguns minutos e Brian não voltou. Richard deu ordem para que todos fossem à porta checar o que houve. Chegando lá, viram o corpo de Brian decapitado à frente da casa. A fúria e o medo tomou conta do grupo. Ísis sorriu percebendo que seus amigos não a abandonaram. Richard mandou que trancassem a porta e Jauques trancou-a rapidamente.

- Todos para o porão!! - gritou, Richard. - São lobisomens!

Enquanto corriam para o porão, ouviram a porta sendo arrombada e passadas fortes aproximando-se.

- Mas que diabos! - gritou, Jauques. - Como eles descobriram nosso refúgio??!

- Pergunte à sua amiga! - respondeu, Alice. - Talvez ela possa nos responder.

Richard enfureceu-se. Olhou para Ísis que, silenciosamente, se divertia com a cena.

- Devido aos poderes a mim concedidos, eu, Richard - príncipe de Jamestown - executarei essa traidora!!

- E eu, Evan - Líder dos Filhos de Gaia - ordeno que soltem essa garota!!

Evan e mais dois lobisomens aproximavam-se, preparando-se para o combate. Richard não se deixou intimidar com o grito de Evan e lançou-se ao combate em direção aos outros dois lobisomens. Jauques atacou Evan e Alice tentou dominar a mente de Ísis, mas encontrara uma barreira intransponível.

- Aposto que a maluca está pensando: "Mas como isso é possível!? Essa criança da noite resistir aos meus poderes!?" Pois é, não sou mais tão criança da noite assim!! - disse, Ísis, friamente e provocando a rival.

Dizendo isso, ela atacou Alice mordendo-a no braço. Ao mesmo tempo, Evan mostrou ser mais habilitado que seu oponente e, usando sua adaga mágica, perfurou severamente a barriga de seu adversário, o qual caiu morto. Richard, em apenas um segundo, cremou seus dois oponentes.

Evan e Richard, afinal, se confrontavam.

- Lembra-se da última vez que você me encontrou, Evan?! Deve ser difícil esquecer essa cicatriz que deixei em seu pescoço!

- Acha que pode me vencer de novo!? Desta vez não terei compaixão!!

Dizendo isso, Evan atacou com sua adaga. Richard, em um movimento extremamente rápido, esquivou-se do golpe e contra-golpeou; sendo mais feliz que seu inimigo, conseguiu acertá-lo, mas Evan logo se levantou.

- Como eu disse, desta vez não terei compaixão!! E, dizendo isso, Evan fez uma fogueira gigantesca em torno de Richard. Este ficou encurralado e desesperado. Evan fez com que a fogueira se aproximasse cada vez mais, deixando Richard sem saída. Não tendo outra escolha, Richard teve de passar pelas chamas, evitando ser queimado vivo. Mesmo com o rápido contato que teve com as labaredas, sofreu severos danos em todo o corpo. Ao sair das chamas, Richard tentava conter o fogo que se espalhava em suas vestes e defrontou-se com Evan que, sem hesitar, encravou sua adaga no peito de Richard e repetiu esse movimento, mesmo depois que ele já estava morto.

Enquanto isso, Ísis e Alice trocavam socos e mordidas furiosas. Evan viu que sua amiga não conseguiria matar sua oponente e resolveu ajudá-la. Arrancou a adaga do peito de Richard e decapitou Alice que, desta vez, caiu morta.

Evan curou os ferimentos de Ísis e aproximou-se dos corpos de seus aliados mortos - por um poderoso e temido Lacaio da Wyrm - e começou a uivar e cantar como um índio.