quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Caeryn, a história de um anti-herói

Bom pessoal, esta talvez seja a última história das Hisórias do Elfo que postarei por aqui, já que meu novo mundo, o mundo de Entalis estará pronto em pouco tempo, inclusive com as novas regras para que possa ser jogável como um mundo de Rpg. O mundo atual, Dracólia é um mundo criado pela Sociedade do Dado Viciado, mas eu não me sinto tão à vontade de fazer alterações no ciclo de histórias do mesmo. Então, lá vamos nós para a última história em Dracólia, que será dividida em duas partes. Caeryn - A História de um anti-herói.

"Tudo o que acontece no deserto, no deserto é esquecido ..."

Esta é uma história sobre um bravo soldado da legião do deserto, unidade de elite criada há muitas eras pelos governantes das cidades do Grande Deserto Central, como forma de defesa contra um antigo inimigo que um dia habitou os reinos gelados de Aesir, tornando isolados os povos das regiões desérticas do centro do continente de Dracólia. Os anos foram se passando, as pessoas morriam, nasciam, cresciam e morriam, e o que era história se tornou conto, o conto se tornou lenda e a lenda, com o passar de mais e mais anos e vidas de homens, elfos e anões, tornou-se mito. Um mito de que há várias eras, nenhum ser humano habita nas regiões do deserto central, lugar onde habitam somente demônios de areia, criaturas que atacam sem serem vistos, e somem por entre a areia sem deixar rastros. Atualmente a maioria das pessoas sensatas evita viajar pelas sendas desérticas desta região, com medo de serem devoradas pelas criaturas, além de também terem todos os seus pertences roubados...

Durante vários anos em uma escola preparatória, um jovem chamado Josh finalmente foi aceito para as tropas de defesa de uma cidade mais próxima da civilização, às bordas do grande deserto. Ele passou vários anos em operação e treinamento, aprendendo um pouco sobre táticas de sobrevivência no deserto, mas com muito mais afinco, ele se dedicou às artes da guerra, tornando-se um exímio lutador. Com pouco tempo, ele foi crescendo em seu destacamento, até que ele se torna um sargento. Seu treinamento nunca para de evoluir, com sequências e situações cada vez mais complexas envolvendo combate, estratégia e liderança; e em várias expedições pelas regiões da cidade de Cantrash ele obteve bastante sucesso. Mas não era somente por conta de suas habilidades que ele se dava tão bem em suas missões, mas pela lealdade que ele tinha com aqueles sob seu comando e pelo respeito com que eles o retornavam. Foi durante este período que Josh veio a se tornar um tenente e logo em seguida capitão da companhia na qual ele servia. Suas missões na maioria das vezes resultavam em poucas baixas e níveis de sucesso que chamaram a atenção de algumas pessoas na sua sociedade. Após pouco tempo neste posto, ele foi chamado por estas pessoas para participar do que, segundo fora dito para ele, de a Legião do Deserto.


A legião consistia em soldados que tinham como objetivo proteger do conhecimento externo as cidades mais internas do deserto, e também eram responsáveis pela operação de inteligência que os levavam na maioria das vezes a mercadores que ameaçassem a soberania destas cidades, e também a pessoas que, por algum motivo, revelassem informações sobre as cidades ocultas. Usando das lendas de demônios de areia, eles agiam muitas vezes se aproveitando de tempestades de areia. Uma das coisas que Josh mais aprendeu nos tempos que viveu na Legião foi a sobreviver no deserto. Não como ensinado na milícia, mas em mais profundidade, como táticas para achar água, se proteger dos sóis ardentes do centro do continente e, mais importante, não morrer durante uma tempestade de areia.

Até aí a vida de Josh foi tranquila, participando de diversas missões tanto de reconhecimento quanto de busca ou de ataque a caravanas que podiam de alguma forma ser perigosas para as cidades interiores. Sua vida mudou quando uma denuncia os levaria a viajar para o centro do continente, pois segundo algumas fontes, um grupo de gnomos havia construído um túnel que podia levá-los próximo do vórtice que existe no centro do deserto. Por causa disso, ele foi escolhido para, com sua companhia e mais outras duas, seguir em viagem sob o comando de um tuareg, um dos grandes no comando da legião, a quem Josh era extremamente leal.

O caminho não foi nada fácil, pois as condições na região central do deserto eram muito inóspitas, e quanto mais próximo chegavam do vórtice, mais difícil ficava a caminhada, e mais frequentes eram as tempestades de areia. Com o tempo, alguns soldados começaram a morrer, e Josh decidiu então voltar com sua companhia, pois para ele esta empreitada não iria levar a lugar nenhum, somente a morte dos seus soldados. Depois de uma discussão com o tuareg, Josh por lealdade, decide continuar seguindo, não sem antes tentar explicar a seus soldados a gravidade da situação e a necessidade vital da defesa desse ponto estratégico do Grande Deserto Central. As outras duas companhias não eram tão leais quanto a de Josh, por isso elas decidiram voltar a morrer no deserto interior.

Ao chegar bem próximo do centro do centro do vórtice, quando todos, à exceção do tuareg, já estavam no limite da sobrevivência, os ventos cessam, em algo que parece ser um tipo de bolha de ar que, conforme é revelado em seguida pelo tuareg, é a única forma de se conseguir chegar próximo do vórtice sem ser lançado a várias milhas de distância.

O tuareg revela também que aquele vórtice existe há tantas eras justamente por causa da defesa que tropas, como a do Josh, desempenhavam, pois o que forma o vórtice na verdade é uma grande mina mágica, descoberta há centenas de eras pelos primeiros tuaregs. A mina é simplesmente a maior concentração de pedras do ar existente em Dracólia, e que segundo ele acredita, pode ser na verdade uma única e gigante pedra, centrada bem ali no meio do deserto.

Todo o destacamento fica pasmo com as explicações do tuareg, e depois de um pouco de excitação inicial, voltam à normalidade e, sob o comando do Josh, eles começam a andar pelos túneis de vento, à procura dos gnomos.

Passados mais ou menos 3 horas desde a chegada ao vórtice, um grupo descobre o que parece ser um pequeno túnel, escondido sob a areia, que leva a um dos corredores centrais da mina. O tuareg fica especialmente interessado, e pede que o destacamento espere enquanto ele entra na mina para averiguar a situação. Poucos minutos depois que o tuareg entrou, Josh entra na mina e ouve uns barulhos estranhos, e pensa que é algo arriscado demais para que o tuareg faça sozinho, mesmo tendo bastante conhecimento do vórtice e domínio sobre a magia do vento.

Andando sempre em silêncio, ele encontra a frente o tuareg conversando em uma língua estranha com um grupo de gnomos. Apesar de não entender o que eles diziam, Josh pôde discernir que o tuareg estava fazendo algum tipo de acordo entre os gnomos, pois estes traziam uma pedra de formato estranho, outras pedras que provavelmente podiam ser outras elementais, e ouro. Foi aí então que o tuareg fez um gesto com as mãos, abarcando toda a mina, e Josh entendeu que o tuareg estava fazendo era vendendo a mina para que os gnomos fizessem extração. Os gnomos entregam então para o tuareg um pergaminho enrolado e o mesmo responde na língua comum: "espero que este mapa possa lhes ter sido útil". Nesse momento, por descuido, a pedra onde Josh estava escondido se lascou e caiu fazendo um barulho, discernível pelo tuareg e pelos gnomos. Eles cessaram a conversa e o tuareg veio voltando de dentro da mina.

De surpresa, o tuareg chega ao local onde o baulho aconteceu, mas só encontra uma pedra solta no chão, que ele pega e cheira de maneira estranha, depois a solta no chão, quando um vulto é visto saindo da mina. Voltando em direção à entrada da mina, ele encontra Josh com quase metade do destacamento esperando em torno da entrada, e diz que o tuareg estava sendo preso por alta traição, por trazer pessoas estranhas à civilização do deserto até a região central, que ele sempre tinha aprendido que deveria ser defendida não só com corpo, mas com a alma.

O tuareg, então, começa a falar que o que ele viu, ou acha que viu não tem relevância, e que eles estavam aqui por simples burocracia por parte do conselho, por acharem que poderia haver algum perigo ao chegarem nas imediações do vórtice. Continuando, ele diz que, ingenuidade por parte deles, não imaginasse que havia uma pessoa realmente interessada em ajudar o povo, e que aquela mina seria uma fonte de renda magnífica para o deserto, e para ele também, e que ninguém iria atrapalhar os planos dele.

Por conseguinte, vários vultos de areia apareceram por entre o destacamento e, com um olhar malévolo, o tuareg olha para Josh e diz: "Teria sito tudo mais fácil se você tivesse feito seu papel, assim como estou fazendo o meu", e ordena em uma língua parecida com um sopro de ar, alguma coisa aos vultos de areia, que começam a atacar os soldados. O tuareg começa a ir em direção à entrada encontrada dos gnomos, enquanto os soldados ficam ocupados lutando.

Josh, depois de conseguir escapar de dois dos elementais da areia, corre em direção ao tuareg que, de súbito, se vira pronunciando palavras estranhas e apontando sua mão que agora sibila em um estranho tom de azul. No exato momento em que sua mão dá um brilho forte, Josh se esquiva por reflexo e um raio passa por debaixo do seu braço, indo acertar um espectro alguns metros atrás. No entanto o raio ao acertar o mesmo, dá um salto e começa a acertar a todos, entre espectros e soldados. Josh para e vê aquilo, mas se volta para enfrentar o tuareg.

A luta entre os dois é extremamente desvantajosa, pois o tuareg é muitas vezes mais poderoso e ágil que Josh. Ele é alvejado por uma rajada de espinhos, que acertam o escudo e são repelidos. Josh revida logo em seguida com uma investida e um ataque com sua espada, que é facilmente bloqueada pelo tuareg, que revelou usar um tipo de bracelete em torno dos braços. Não esperando esta reação, Josh é surpreendido pelo tuareg que pronuncia algo parecendo um sussurro e toca no abdômen de Josh, arremessando-o com uma rajada de ar para fora do túnel de vento, deixando-o à mercê do vórtice. O tuareg então sai do túnel de vento e vem vindo em direção de Josh, que não consegue ficar em pé por causa dos fortes ventos, mas o tuareg não parece estar sendo afetado pelos mesmos.

Chegando bem próximo de Josh, o tuareg retira de sua cintura uma adaga fina, em forma de um dente de dragão, adornada, e se prostra próximo do pescoço do soldado caído, e diz: "Sua lealdade foi muito útil todos estes anos, e agora, como mais um ato de lealdade, seu sangue será utilizado para purificar esta pedra, que se tornará a pedra mestre que trará para nossa terra, aqueles que um dia habitaram esta região, há muitas e muitas eras, antes dos homens aqui se afixarem. Dê-me seu sangue para que Balor, o senhor do deserto, volte e domine as areias do deserto central!".

No momento que o tuareg está para abrir o pescoço de Josh, alguns soldados aparecem e o atacam, o pegando desprevenido. No entanto, o ataque deles foi suficiente para ferí-lo de maneira mortal. Ele tenta então finalizar o ritual mas é impedido por um outro soldado, que lhe toma a adaga e a pedra, mas é arrastado para dentro do vórtice. O tuareg então agoniza, dizendo que ele não era o único que iria fazer aquilo, e pouco antes de desfalecer, fala algo em uma outra língua, e uma luz sai de sua mão, como uma explosão luminosa, mas que não faz aparentemente nada. E ele morre.

Logo em seguida à sua morte, os túneis de vento começam a se desfazer, os elementais restantes se desfazem em areia, e tudo em volta do vórtice começa a ser destruído, pois sua força original havia sido libertada, possivelmente aprisionada pelo tuareg para permitir que os gnomos trabalhassem na mina.

O primeiro soldado, que atacou o tuareg, acorda Josh e vem arrastando ele pela areia, tentando levá-lo para o mais longe da tempestade. Depois de um tempo, Josh recobra a consciência e começa a perguntar o que aconteceu. O soldado também está muito fraco, e depois de contar o que aconteceu, ele também falece.

Josh então, percebe que ele não poderá voltar para sua civilização. Sua primeira missão totalmente falha. Sua lealdade rachada em mil pedaços por conta de um corrupto.

...

Depois de várias semanas sobrevivendo parcamente no deserto, ele consegue alcançar as regiões mais próximas da cidade, e descobre que outro destacamento está se encaminhando para o vórtice, para descobrir o que causou o repentino aumento dos ventos. Ele sabe que quando encontrarem os corpos do tuareg e dos soldados, e não encontrarem o seu, vão logo considerar Josh um traidor, e levá-lo à execução. No entanto, Josh queria tentar provar a verdade, mas os verdadeiros indícios da ação do tuareg foram levados pelos ventos do vórtice para muito longe dali.

Ele então, sai do deserto e durante vários meses caminha a esmo pelas regiões do sul do grande deserto, e assume outro nome, tentando esquecer os acontecimentos do passado. Não existe mais Josh, o guerreiro leal. No seu lugar surge Caeryn, o mercenário e caçador de recompensas.