quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap 7

Hoje eu retorno novamente às crônicas e em breve as Histórias do Elfo, que estão bastante atrasadas. No entanto, haverão surpresas bem interessantes sobre um dos personagens que foram apresentados no último post. E sua coragem será posta à prova em uma nova aventura.

Mas isto é para depois, hoje vamos às crônicas.

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em Algum Lugar do Passado ...

Exatamente quando Ísis concluiu seus pensamentos, Edgard disse:
- O que foi? Edgard percebe Ísis calada.
- Por favor, Edgard. Fique fora disso, não quero que nada de mal lhe aconteça.
- Tarde demais. Edgard jurou. Edgard vai ajudá-la.
- Então terá de quebrar seu juramento!
Ísis descobriu, então, o que amava em Edgard. Amava sua bondade que não distinguia nem cor, nem raça. Pela primeira vez na vida, conheceu um homem bom. As únicas pessoas bondosas que conhecia eram mulheres. Chegava a acreditar que apenas pessoas do sexo feminino conseguiam ser boas. Todos os homens que conhecia, ou eram prepotentes com as mulheres, ou tinham um forte excesso de confiança. Ao conhecer Edgard, descobriu que seu único defeito era sua dificuldade de fala, e apaixonou-se por ele rapidamente. Para ela, seu defeito desaparecera e não se preocupava mais com sua "tolice". Via, em Edgard, somente sua benevolência. Parecia que todas as suas palavras, que antes vinham de um tolo, agora se transformavam em serenidade, vindas de um sábio milenar. Seu olhar tímido que nunca fitava, diretamente, os olhos de quem falava, agora eram vivos e exprimiam felicidade. Ísis sentia-se atraída pela ingenuidade de Edgard. Amava-o como a um filho. Queria protegê-lo para todo o sempre. Mesmo não tendo certeza de que seu amor era verdadeiro, resolveu aventurar-se e entregar-se a seu protetor.
- Edgard.
- Sim, amor do Edgard.
- Você já esteve alguma vez sozinho com uma mulher?
- Edgard nunca teve uma mulher.
- Então você não sabe o que se faz quando isso acontece, sabe?
- Edgard não sabe. O que tem de fazer?
- Não tem de fazer. Faz se quiser.
- O quê? Edgard não entende.
- Você sabe como veio ao mundo?
- Richard disse que foi pelo cruzamento de dois burros.
- Não Edgard! Você não sabe!!
- Não foi assim?! Com os burros??!
- Claro que não! Quando um homem e uma mulher que se amam ficam sozinhos, começam a mostrar seus sentimentos.
- Como?
- Você já sabe como é beijar, não sabe?
- Foi o que Edgard fez, não foi?
- Isso. Então, esse é um dos meios de mostrar que se ama. Existem outros. Como, por exemplo, fazer amor.
- Como é isso? Um beijo demorado?
- Não. Vou demonstrar, mas, primeiro, preciso que relaxe.
- Edgard faz o que a senhora quiser.
- Pare de me chamar de senhora e relaxe!
Quando Ísis estava começando a despir-se, ouviram-se gritos de uma familiar voz:
- Ísis!!!!! Apareça!!!! Por favor!!!!
- Você ouviu Edgard?
- Edgard ouviu. Parece Scott!
- Ísis!!!?? Estou te ouvindo! É você?
- Esconda-se Edgard! Se eles nos vir juntos, nos mata!
Edgard correu para a mata e escondeu-se não muito longe dali, ficando a uma distância da qual poderia observá-los. Ísis, percebendo que Scott aproximava-se, usou uma de suas habilidades natas e começou a fingir que chorava.
- Ísis! Graças a Caim te encontrei. Estive te procurando por toda a cidade. Não chore. Achei que os lobisomens haviam te capturado, mas vejo que está bem! Eles não te encontraram... que alegria!
- Não se aproxime!!
- Acalme-se. Quero pedir-lhe desculpas. Precipitei-me obrigando-a a decidir-se sobre um assunto tão importante. Desculpe-me.
Ísis percebeu que Scott, ao pedir-lhe perdão, humilhava-se novamente. Não se privou da chance de discutir com ele, visando, apenas, um motivo para separar-se dele.
- Agora é fácil, não é?! Irei pedir desculpas a ela e ela me desculpará. Fácil. Muito fácil! Você se esquece de que não sou uma de suas aventuras. Não sou como Alice!
- Nunca estive envolvido com aquela Malkaviana mentirosa!... Perdoe-me... sei que errei.
- Você não merece meu amor! Não acredita no que falo! Não acredita em meus sentimentos!
- Perdoe-me! Eu lhe imploro!
- Nunca! Não quero te ver nunca mais!
- Espere! - disse Scott, segurando-a pelo braço, impedindo-a.
- Solte-me! Está me machucando!
- Sou seu mestre! Você me deve sua vida e inteira obediência.
- Vida?! Se o que me deu foi vida, prefiro a morte!
- Cale-se! - uma súbita raiva invadiu Scott e ele deu-lhe um forte tapa, derrubando-a no chão.
Ísis sentiu seu ódio por Scott aflorar-se de uma maneira gigantesca, e tentou revidar com um soco, mas foi inútil. Scott segurou-a pelas mãos sem grandes dificuldades. Face a face continuaram a discussão:
- Tola. Acha que pode comigo?!
- Desgraçado!!
- Você ousa dizer que a forcei a ser o que é!!? Você é o que é por escolha sua e de mais ninguém.
- Mentiroso!!
Ísis enfurecida, cuspiu na face de Scott. Ele, numa explosão de raiva, começou a espancá-la. Lançou diversos socos e chutes em questão de segundos. Ísis, furiosa, pulou no pescoço de Scott e começou a mordê-lo. Scott suportou os golpes e levantou Ísis pelo pescoço, gritando:
- Prostituta!! Pensou que se aproveitaria, facilmente, de um vampiro apaixonado!!?
- Ela não é uma prostituta!!!!! - rompeu um grito de ódio.
Edgard surgiu da mata e pulou em Scott. Este, parecendo prever o ataque, soltou a vampira e jogou-se ao chão. Edgard passou zunindo por cima de Scott e acabou caído ao chão. Enquanto Edgard levantava-se, Scott, aplicando um de seus poderes, sugou quase todo o sangue de Edgard com apenas um toque de sua mão. Edgard, enfraquecido, caiu, mesmo tentando, de toda maneira, levantar-se. Scott rindo, disse:
- Edgard! Quase me pegou de surpresa!
- Edgard vai te matar!!
- Olhem só! Nosso bom vampiro retardado quer me matar! Ajudem-me!
- Edgard não está brincando!
- Eu é que deveria te matar! Estava me traindo com minha mulher. Só tem um problema: essa prostituta já tem dono!
- Ela não é uma prostituta!! - gritou Edgard, pulando em Scott novamente. Dessa vez Scott não estava tão preparado, pois Edgard havia levantado, mesmo estando severamente ferido, e eles engalfinharam-se. Scott tentou lançá-lo contra uma árvore, mas surpreendeu-se com a força que ainda restava em Edgard, mesmo assim, acabou por fazer o queria. A árvore e as costas de Edgard quebraram-se.
- Como vocês são patéticos! Dois vampiros de 8ª geração, sem qualquer poder!! Não podem comigo, o poderoso Scott, vampiro de 7ª geração!
Edgard tentou levantar-se, mas Scott acertou-lhe um chute, derrubando-o definitivamente. Enquanto Scott cuidava de Edgard, Ísis levantou-se e pegou um galho que estava no chão e o enfiou nas costas de Scott. Este se virou, arrancou o galho sem grandes dificuldades, fitou Ísis com um olhar irônico e disse:
- Devia ter cravado no coração!
Ísis ficou sem ação. Scott colocou-a nas costas e saiu dizendo:
- Não resista. Cure-se. Vamos para a cidade. Você perdeu muito sangue.
Ísis resistia, mas era inútil. Desistiu, preferindo guardar forças para um momento mais propício. Assim, Scott se foi, deixando Edgard na mata. Edgard, após alguns minutos, acordou e viu que não estava sozinho. Alguns lobisomens, inclusive Evan, tentavam reanimá-lo.
- Tudo bem, amigo? - disse Evan.
- Para onde eles foram?
- Nós avisamos! Nunca deveria ter-se envolvido com aquela Lacaia da Wyrm. Você terá sua vingança, Edgard! - gritou um outro.
- Acalmem-se! - disse Evan - Deixem que eu falo com ele. O que aconteceu Edgard? O que aquela maldita fez?
- Não foi Ísis! Foi Scott.
- Quem é esse?
- O malvado. Matou nosso amigo.
- Desgraçado! E onde está Ísis? Ela o traiu também?
- Edgard já disse! Ela não fez nada! Ele nos pegou, estávamos sozinhos. Íamos fazer amor!
- Você?!! Ia fazer o quê?! - os lobisomens estavam surpresos, mas a situação não era propícia para se saber mais sobre esse tipo de novidades. Ele continuou: - Onde está ela agora?
- Edgard não sabe. Ele bateu muito em Edgard e Edgard caiu. Estranho... ele parecia saber que Edgard estava na mata.
- Não falamos!!? Ela te traiu também!
- Não!!! Ísis não traiu Edgard. Scott bateu muito nela. Ele estava com ciúmes de Edgard.
- Entendo. Vamos todos à aldeia. Cuidaremos de seus ferimentos, Edgard.
- Edgard precisa de pequenos animais para repor sangue. Edgard ir rápido, Ísis pode precisar de Edgard.
- Você não vai a lugar nenhum. Está muito ferido!
- Entregue os animais a Edgard, ou então Edgard irá salvá-la mesmo estando ferido.
- Tudo bem. Você terá seu alimento, mas eu estarei te observando.
- Edgard sabe como pegá-lo. Scott vai estar preso aqui na aldeia.