sexta-feira, 20 de julho de 2007

Crônica - Vampiro e Lobisomem - Cap2


Bom, eu decidi que vou postar a crônica Vampiro e Lobisomem toda sexta, para que o pessoal tenha tempo para ler cada capítulo com tempo e possa refletir sobre as coisas que já aconteceram ... Não é assim que fazem com seriados, nos fazendo esperar uma semana inteira para ver um novo capítulo ?? Hehehe, vamos então, ao segundo capítulo da série, Vampiro e Lobisomem.

Crônica Vampiro e Lobisomem Completa

Em Algum Lugar do Passado

Após sugar quase todo o sangue, Scott abriu um ferimento em seu pulso e deu de seu sangue a Ísis. Ela sofreu fortíssimas convulsões; sua cabeça girava, tinha alucinações, mesmo estando com os olhos fechados. Várias imagens que tivera em sua vida reapareciam distorcidas, imagens de conversas com Scott, vozes desconhecidas, professores antigos, tudo reaparecia, diferentemente, em sua mente. Por fim, a imagem de Dorah em seus instantes finais reapareceu em sua mente. A dor expressada por ela era mais suave, parecia, até mesmo, que ela sentia prazer. Ísis mal sabia que todo o seu mundo mudara e que nunca mais veria a luz do Sol. Recuperou os sentidos, mas não pensava muito, apenas sentia uma fome incontrolável.
- Bem vinda à família. Está se sentindo melhor?
- Quero mais sangue!
- Está bem, suba nas minhas costas que vou levá-la a um lugar especial.
- Não... eu já posso andar e você está muito ferido. Onde vamos?
- Não muito longe. Vamos andando, pois já ficamos muito tempo aqui e os lobisomens podem nos encontrar.
- Então vamos logo.
Durante a caminhada, Scott foi guiando-a por um caminho estranho. Quanto mais eles andavam, mais a vegetação ficava morta.
- Por que a vegetação está morrendo?
- Isso é para avisar, aos nativos e aos lobisomens, que este é o nosso lugar.
- Mas é preciso acabar com a vida para mostrar que este é o nosso lugar?
- Não necessariamente. O problema é que nosso príncipe sofre de um pequeno mal. Toda e qualquer vegetação que ele toca, ou mesmo que se aproxima, morre ou seca.
- Quem você chama de príncipe?!
- É um vampiro de 5ª geração, o mais velho da cidade e, por isso, líder dos vampiros de Jamestown e de pequenas vilas da região.
- E que tipos de poderes ele tem?
- Não sei realmente. Sei que ele pode estar nos observando agora e ler, facilmente, os pensamentos de qualquer um.
- 5ª geração!!? O que isso quer dizer?
- Significa que ele veio da 5ª geração de vampiros... ele é um dos mais velhos e poderosos. Eu sou da 7ª geração e você, por ser minha progênie, é de 8ª geração.
- 8ª geração em relação a quem?
- Em relação a Caim.
- O Caim de....!!? Caim e Abel?!!
- Exato. Você conhece a história dos vampiros?
- Eu achava que sim.
- Contarei a nossa verdadeira história. Você deve conhecer a história de Caim e Abel, conhece?
- Conheço... mas me dê a versão vampírica.


- Bem... após matar seu irmão, Caim foi amaldiçoado à vida eterna e à dependência de sangue. Nós, vampiros, somos herdeiros dessa maldição. Caim peregrinou pelos desertos durante vários anos, e voltou para a sociedade dos mortais quando teve certeza de que seu nome havia sido esquecido. Voltou e fez-se líder de uma cidade cujo nome não me recordo. Lá, Caim deu origem à 2ª geração e esta, por sua vez, deu origem à 3ª. Com medo de a cidade ser exclusiva de vampiros, Caim, proibiu, então, a criação de novos vampiros. Tudo manteve-se bem até que um dilúvio devastou a cidade, matando todos os vampiros de 2ª geração. Caim, pensando que o dilúvio fosse um castigo divino por seus atos, resolveu, então, voltar à sua peregrinação deixando seus descendentes à própria sorte. Apesar da ordem de Caim, os vampiros que restaram, da 3ª geração, resolveram gerar seus descendentes e, com isso, nos espalhamos pela Terra. Até os dias de hoje, é incerto se Caim está vivo ou não.
- E você!?? O que acha?
- Pessoalmente, acho que ele está vivo, pois seu poder deve ser inimaginável. Se ele ainda vive, deve estar em algum lugar clamando por perdão a Deus por ter sido responsável por tanto sofrimento na Terra. Mas deixe-me continuar... após o abandono de Caim, a 3ª geração formou muitos descendentes, que, querendo ganhar o poder de seus senhores, começaram a cometer Diablerie.
- Diablerie!!? O que é isso?!!
- É uma espécie de canibalismo entre vampiros, onde o mais jovem mata o mais velho para beber de seu sangue e, com isso, ter maiores poderes e aprimorar a sua geração. Assim, os mais jovens fundaram uma cidade; alguns dizem que essa cidade era a Babilônia, outros dizem que está em algum lugar do Egito. O reinado dos jovens vampiros de 4ª geração não foi bom, pois ainda restavam vampiros da 3ª geração que, por serem mais velhos e poderosos, decretaram que somente eles poderiam gerar descendentes; para se protegerem, viviam refugiados em locais secretos. Durante dois séculos, a cidade foi governada por vampiros de 4ª geração, que eram dominados por vampiros de 3ª... até que um dia, o respeito que os mortais tinham pelos vampiros acabou-se e, com isso, houve uma rebelião... e os mortais saíram às ruas matando todos os vampiros que encontravam.
- Mas como os mortais sabiam dos vampiros?
- Os vampiros da 4ª geração viviam em público.
- Mas por que não ocultavam suas identidades?
- Eu nunca soube a razão.
- Mas que tolos... continue!! Quero saber mais.
- Os sobreviventes da rebelião espalharam-se por todo o mundo. Mesmo sendo numerosos, conseguiram-se esconder, escapando das imposições dos vampiros da 3ª geração, e geraram uma nova e assim sucessivamente.
Você conhece a história dos clãs?
- Clãs!!? Quais clãs?!
- Durante a formação da 3ª geração, os vampiros foram-se dividindo em clãs, cada qual com sua crença. São sete clãs: Tremere que somos nós...
- Nós quem?!
- Nós - eu e você. Nós somos vampiros magos e temos poderes relacionados com as magias de magos mortais. Lutamos de todas as formas para controlar a Camarilla.
- Camarilla!!? O que é isso?!
- É uma forma de organização social dos vampiros, onde, em cada cidade, o mais velho é o príncipe e comanda todos os outros. Os príncipes, por sua vez, podem ser desafiados por outros vampiros para que estes conquistem a cidade. Existem também outras formas de organização que não têm muita influência.
- Os príncipes são desafiados pelos vampiros de 3ª geração?
- Não, esses vampiros vivem adormecidos em sono eterno e, segundo alguns, quando acordarem, acontecerá a Jyhad.
- O que é isso?!
- É a guerra entre vampiros. É quando os mais velhos acordam e seus descendentes devem prestar-lhes contas. Portanto é bom ser uma boa menina e preparar-se para este dia, pois eles podem matá-la somente para provar de seu sangue.
- Tudo bem titio Scott.
- Não brinque com coisa séria!
- Quais são os outros clãs?
- Existem os Ventrue, que são nossos maiores rivais no controle da Camarilla, mas, apesar disso, são nossos maiores aliados. Pena que eles sejam ingênuos e achem que vamos colocar a mão no fogo por eles...
- Outro clã importante no domínio da Camarilla é o dos Toreadores. Eles estão mais preocupados com as artes, que com a Camarilla em si; isso os enfraquece, mas, mesmo assim, alguns deles conseguem-se tornar príncipes.
- Quantos eu já falei?
- Três. Faltam quatro.
- Sim, então falta o dos Nosferatus, que são os "patinhos feios" da Camarilla. São tão feios e fedorentos a ponto de serem percebidos a distância. Apesar de hediondos, eles têm profundos conhecimentos sobre a Camarilla e alguns já conseguiram-se tornar príncipes. Eu, particularmente, acho que a existência dessas criaturas ainda vai quebrar nossa máscara.
- Máscara!!? Como assim?!
- É uma das leis.
- Ah!!! Esqueci de falar-lhe sobre as leis. São seis ao todo. A máscara, a 1ª delas, diz que os vampiros não podem revelar, para nenhum mortal, a sua verdadeira identidade, porém, se o fizer, será caçado pelos outros vampiros; a 2ª diz que todos têm de respeitar os domínios do príncipe e nunca desafiar suas palavras; a 3ª fala que, para gerar um vampiro, é necessária a permissão do príncipe. É por isso que estou te levando a um lugar especial para que possa ser apresentada a ele.
- Mas se ele não me aceitar!!? O que acontece?
- Ele mata! Não se preocupe... já falei com ele sobre você... e se ele não aceitar, terei de usar a força bruta.
- Cuidado com o que dizes, pois ele pode estar nos vigiando.
- Não se preocupe. O que estou falando não é novidade para ele.
- Você me ama tanto assim?
- Mais que você imagina.
- Nossa! Este seu amor me assusta!
- Me assusta também.
- Eu acredito em você. Continue a falar sobre as leis...
- A 4ª lei diz: quem gera um vampiro torna-se responsável por ele. O mestre terá de pagar pelos erros cometidos por seus descendentes.
- A 5ª diz: quando um vampiro chegar a uma nova cidade, terá de apresentar-se ao príncipe, mostrando seu respeito.
- A 6ª e última diz: não é permitido matar vampiros. Somente ao príncipe é permitido, e através de uma caçada de sangue.
- Nunca se esqueça dessas leis, está bem?
- Sem problemas. Voltando ao assunto dos clãs...
- Ah, sim... claro! Faltam ainda os Malkavianos. Eles são outro risco para a Máscara. São vampiros completamente loucos...todos possuem algum tipo de perturbação. É quase impossível falar, seriamente, com eles. Outro clã interessante é o Gangrel... são nômades, amantes da natureza...o único clã que consegue enganar os lobisomens, pois possuem o poder de metamorfose e, com isso, transformam-se em lobos. Eles não ligam a mínima para a Camarilla e, raramente, avisam aos príncipes a sua presença.
- De quem eu já falei?
- Gangrel, Nosferatu, Malkavianos, Toreador, Ventrue e Tremere.
- Quase esqueci o clã mais chamativo - os Brujah. Trata-se de um grupo de vampiros rebeldes que não obedecem às leis e que gostariam de reformulá-las. A grande maioria desses vampiros são baderneiros e nem mesmo sabem pelo que lutam.
- Estou vendo que estamos chegando. Praticamente não existe mais vegetação...
- Realmente estamos. É logo depois dessa colina. A propósito, cuidado com o que pensa e com o que fala, pois eles estarão observando você!
- Você está me assustando!
- Não fique assustada. Te protegerei.
Eles atravessaram a colina e, de repente, surgiu uma casa. Eles bateram na porta...